Home » City Council » History » Mayors

Find all the personalities that performed the duty of Lisboa Mayor (from 1822 to 2002)

D. Duarte da Costa

D. Duarte da Costa

Presidente do Senado da Câmara de 1574 a 1575

D. Duarte da Costa, filho de D. Álvaro da Costa e de D. Brites de Paiva, nasceu cerca de 1505, e morreu nos anos 70 do mesmo século. Irmão colaço de D. João III, Fidalgo da Casa Real, moço de câmara do Rei, conselheiro régio e armeiro-mor do Reino, comendador de São Vicente da Beira, na Ordem de Avis, e de outras comendas na Ordem de Cristo. Embaixador na Corte de Carlos V de 1551 a 1553. Governador-geral do Brasil de 1553 a 1557. Desembargador da Casa da Suplicação. Vereador, em 1550, 1562, 1564-1565, 1572. Provedor da Misericórdia de Lisboa, nos biénios de 1541-1542 e de 1559-1560. Presidente do Senado da Câmara de Lisboa de 1574 a cerca de 1575, nomeado por carta régia de 17 de junho.

D. Pedro de Almeida

D. Pedro de Almeida

Presidente do Senado da Câmara de 1585 a 1590

D. Pedro de Almeida nasceu cerca de 1530. Alcaide-mor de Torres Novas, comendador de Loures na Ordem de Cristo, membro do Conselho de Estado de Filipe II de Espanha.
Esteve na Índia, tendo participado no 2º cerco de Diu, sob o comando de D. João de Mascarenhas.
Vereador do Senado de Lisboa de 1582 a 1584 e seu Presidente de 1585 a 1590, nomeado por alvará de 12 de Outubro de 1585.

Pedro Guedes

Pedro Guedes

Presidente do Senado da Câmara de Lisboa de 1591 a 1595

Comendador da Ordem de Cristo, primeiro Governador da Casa do Cível do Porto em 1583, em substituição do seu primo Henrique de Sousa. Conselheiro de Estado de Filipe II de Espanha e Vedor da Fazenda. Presidente do Senado da Câmara de Lisboa, de 1591 a 1595, nomeado por alvará de 22 de Junho de 1591.

D. Gil Eanes

D. Gil Eanes

Presidente do Senado da Câmara de Lisboa de 1595 a 1602 (?)

D. Gil Eanes nasceu em 1543 e morreu em 1612.
Comendador e alcaide-mor de Castro Marim, Governador de Ceuta, membro do Conselho de Estado de Filipe II. Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Santarém por duas vezes, nos biénios de 1577 e 1578, e de 1581 e 1582; Provedor da Misericórdia de Lisboa, de 2 de Julho de 1603 a 1 de Julho de 1604 e Provedor e Enfermeiro-mor do Hospital de Todos-os-Santos em 1603 e 1604. Presidente do Desembargo do Paço. Presidente do Senado da Câmara de Lisboa, de 1595 a 1602 (?), nomeado por alvará régio de 29 de Abril de 1595.
Edificou a Capela com o seu nome, na Igreja da Graça de Santarém.


D. João de Castro

D. João de Castro

Presidente do Senado da Câmara de 1602 a 1607

D. João de Castro foi filho de D. Garcia de Castro da Casa dos Comendadores de Segura, ramo segundo dos Senhores do Paul de Boquilobo. Comendador de S. Tomé da Cornilhã na Ordem de Cristo.
Governador do Algarve, de 1614 a 1620, Presidente do Senado de 1602 a 1607, nomeado por alvará de 22 de março. A partir de meados do último ano é o vereador Hugo Vieira Pinto que preside aos destinos da Câmara.

Manuel de Vasconcelos

Manuel de Vasconcelos

Presidente do Senado da Câmara de Lisboa de 1608 a 1612

Manuel de Vasconcelos, irmão de Luís Mendes de Vasconcelos, nasceu cerca de 1559 e morreu em Madrid, a 25 de Abril de 1637.
Senhor do Morgado de Esporão e Comendador de Santo Isidro, regedor da Casa de Suplicação e membro do Conselho de Portugal, em Madrid. Presidente do Senado da Câmara de Lisboa de 1608 a 1612 (até Outubro, segundo Pastor de Macedo no seu ficheiro Dicionário), nomeado por alvará régio de 12 de Julho de 1608.




Nuno Álvares de Portugal

Nuno Álvares de Portugal

Presidente do Senado de 1613 a 1617

Nuno Álvares de Portugal nasceu cerca de 1565 e morreu a 12 de Fevereiro de 1623. Comendador das duas partes de S. Vicente de Vimioso na Ordem de Cristo, membro da Junta de Governadores de Portugal, de 1621 a 1623.
Presidente do Senado de 1613 a 1617, nomeado por carta régia de 7 Dezembro de 1613.

João Furtado de Mendonça

João Furtado de Mendonça

Presidente do Senado de 1618 a 1624

João Furtado de Mendonça, filho de Afonso Furtado de Mendonça, comendador de S. Romão da Fonte Cuberta na Ordem de Avis, Governador e capitão de Angola. Desembargador do Paço.
Presidente do Senado de 1618 a 1624, nomeado por alvará régio de 24 de Janeiro, embora só se encontre a sua assinatura num assento da vereação a 5 de Julho de 1618.   

Brás da Costa Lima

Comerciante. Presidente da Câmara Constitucional de 13 de Dezembro de 1822 a 10 de Junho de 1823, de acordo com a Carta de Lei de 27 de Julho de 1822

Pedro Mendonça e Menezes

Pedro Mendonça e Menezes

Presidente do Senado da Câmara de Lisboa de 10 de Novembro de 1823 a 26 de Julho de 1833.

Capitão de Infantaria. Deputado da Junta dos Três Estados. Par do Reino. Secretário de Estado dos Negócios da Fazenda e Presidente do Erário Régio, de 9 de Junho a 11 de Junho de 1827. Ministro interino dos Estrangeiros, em 1827.


António de Saldanha da Gama

António de Saldanha da Gama

Presidente da Comissão Municipal de Lisboa de 26 de Julho de 1833 a 25 de Março de 1834

Oficial da Marinha. Desempenhou funções diplomáticas, nomeadamente, no Congresso de Viena, em 1814, em São Petersburgo e em Madrid. Secretário dos Negócios Estrangeiros sob a Regência nomeada pelas Cortes a 28 de Janeiro de 1821. Em 1825, foi Ministro e Secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros. Foi também secretário de Estado dos Negócios da Fazenda. Chefe de esquadra da Armada Real. Membro do Conselho Ultramarino. Governador e capitão general do Maranhão. Governador de Angola. Par do Reino.

Francisco António de Campos

Francisco António de Campos


Presidente da Câmara Constitucional de Lisboa entre 25 de Março e 31 de   Dezembro de 1834.

Bacharel em Direito pela Universidade de Coimbra. Deputado. Sócio correspondente da Academia Real das Ciências. Par do Reino. Presidente da Câmara dos Deputados e Presidente suplente da Câmara dos Pares. Senador. Presidente da Comissão para o Melhoramento do Comércio. Contratador do Tabaco e Saboarias do Reino, Ilhas Adjacentes e Macau. Co-fundador e primeiro Presidente da Associação Mercantil Lisbonense, antecessora da Associação Comercial de Lisboa. Vereador. Co-fundador da Companhia de Seguros Fidelidade. Ministro da Fazenda, no governo do Duque de Saldanha, de 27 de Maio de a 15 de Julho de 1835 e no de José Jorge Loureiro, de 18 de Novembro de 1835 a 6 de Abril de 1836. Grão-mestre do Grande Oriente da Maçonaria do Sul. Membro da Sociedade Literária Patriótica, e da Sociedade Patriótica Lisbonense. Linguísta.

Anselmo José Braamcamp de Almeida Castelo Branco

Anselmo José Braamcamp de Almeida Castelo Branco

Presidente da Câmara Constitucional de 31de Dezembro de 1834 a 6 de Março de 1836.

Ministro de Estado honorário. Deputado e senador. Chefe do Partido Progressista. Presidente de A Geral Associação da Sociedade Propagadora dos Conhecimentos Vitais e responsável pela revista O Panorama. Vereador da Câmara Municipal de Lisboa a partir de 25 de Março de 1834. Grande Experto na Grande Loja da Maçonaria. Membro da Sociedade Literária Patriótica, e da Sociedade Patriótica Lisbonense.

João de Mattos Pinto

João de Mattos Pinto

Presidente interino da Câmara Constitucional empossada a 31 de Dezembro de 1834 e da empossada a 6 de Março de 1836

Homem de negócios. Vereador. Vogal da Comissão Municipal, de 8 de Julho a Outubro de 1846. Vice-presidente, de 1864 a 2 de Janeiro de 1866. Escrivão da Casa de Santo António, em 1856. Co-fundador e Presidente da Associação Mercantil Lisbonense, de 1840 a 1845.

José Augusto Braamcamp de Almeida Castelo Branco

José Augusto Braamcamp de Almeida Castelo Branco

Presidente da Câmara de Lisboa de 2 de Março de 1837 a 2 de Janeiro de 1838

Nasceu a 8 de Julho de 1810 e faleceu a 22 de Abril de 1890. Conselheiro e Par do Reino. Terceiro Administrador-geral do Distrito de Lisboa. Vice-presidente da Casa do Asilo da Infância Desvalida de Lisboa. Comendador da Ordem da Conceição.

António de Sousa Salgado

António de Sousa Salgado

Presidente da Câmara Municipal de Lisboa de 1 de Janeiro a 29 de Outubro de 1838.

Médico cirurgião. Administrador-geral [antecessor do Governador Civil] interino do Distrito de Lisboa. Constava da lista dos maiores contribuintes da décima, podendo habilitar-se à eleição para o Conselho Municipal de Lisboa, pelo 4.º Julgado da Cidade (Bairro Alto). Co-fundador da Companhia de Seguros Fidelidade, em 1835.

Maximiano Ernesto da Silva Matos e Carvalho

Maximiano Ernesto da Silva Matos e Carvalho

Presidente interino da Câmara Constitucional de Lisboa de Outubro a Novembro de 1838

José Inácio de Andrade

José Inácio de Andrade

Presidente  interino da Câmara Constitucional de 2 de Março de de 1834 e Presidente da Câmara Constitucional de 29 de Outubro de 1838 a 1 de Janeiro de 1839

Nasceu a 28 de Outubro de 1779, na ilha de Santa Maria e faleceu a 2 de Novembro de 1780. Oficial da Marinha Mercante. Filiado no Partido Nacional. Vereador. Vogal da Comissão Municipal, nomeada por decreto de 3 de Junho de 1846. Co-fundador e membro da Direcção da Associação Mercantil Lisbonense (antecessora da Associação Comercial de Lisboa). Membro da Direcção do Banco de Lisboa. Presidente do Banco de Portugal.

Ildefonso Fernandes da Cunha

Ildefonso Fernandes da Cunha

Presidente da Câmara Constitucional de Lisboa, de 1 de Janeiro de 1839 a 1 de Janeiro de 1840

Vereador. Co-fundador e maembro da direcção da Associação Mercantil de Lisboa (antecessora da Associação Comercial de Lisboa) e da Companhia de Seguros Fidelidade, em 1835.

Manuel José Henriques Campos

Manuel José Henriques Campos

Presidente interino da Câmara Constitucional de Lisboa de 1839

Luís Francisco Soares de Melo da Silva Breyner de Sousa Tavares e Moura

Luís Francisco Soares de Melo da Silva Breyner de Sousa Tavares e Moura

 Presidente da Câmara Municipal de Lisboa em 1840

Nasceu no Porto a 23 de Novembro de 1801 e morreu a 13 de Novembro de 1865. Militar, participou no desembarque do Mindelo. Vogal do Supremo Conselho de Justiça. Vice-inspector da Academia de Belas-Artes. Membro da Academia de S. Lucas.
Senador. Par do Reino. Secretário do pai, Pedro de Melo Breyner, embaixador em Roma e em Paris.

Joaquim Gregório Bonifácio

Joaquim Gregório Bonifácio

Presidente-substituto da Câmara Constitucional de 25 de Março de 1834 a Dezembro de 1834 e da Câmara Constitucional de 1 Janeiro 1840.

Assinou o auto de posse da Câmara Constitucional a 13 de Dezembro de 1822. Vogal da Comissão Municipal de 27 de Julho de 1833 a 25 de Março de 1834. Presidente-substituto, nos anos de 1834 a 1836. Vereador do pelouro da Limpeza, Passeios e Mercado Novo, à Praça da Figueira. Era conhecido por “Bota-Abaixo”, pelas muitas demolições que mandou executar.

José Lourenço da Luz Gomes

José Lourenço da Luz Gomes

Presidente da Câmara Municipal de Lisboa de 1840 a 1842

Nasceu em Lisboa a 8 de Setembro de 1800 e morreu em Paço de Arcos a 13 de Julho de 1882. Director do Banco de Portugal. Deputado. Par do Reino. Vereador. Maçon. Médico, cirurgião e enfermeiro-mór [Director] do Hospital de São José. Lente da cadeira de Clínica. Co-fundador da Sociedade e do Jornal das Ciências Médicas de Lisboa. Colaborador na Revista Médica de Lisboa. Fundador de um gabinete de Frenologia na Escola Médica e do Hospital de doentes mentais no convento de Rilhafoles (actual Hospital Miguel Bombarda)

Joaquim da Costa Bandeira

Joaquim da Costa Bandeira

 Presidente da Câmara Constitucional de Lisboa de 1843 a 1845 e da Câmara Interina de 1846

Fidalgo da Casa Real. Par do Reino. Membro do Conselho de Sua Majestade Fidelíssima. Primeiro Presidente da direcção do Banco de Lisboa. Deputado da Junta dos Reais Empréstimos. Secretário de Estado dos Negócios da Fazenda, no governo da Belenzada.

Luís Manuel Moura Cabral

Luís Manuel Moura Cabral

Presidente da Comissão Municipal de Lisboa em 1846

Licenciado em Direito. Desembargador da Casa da Suplicação. Conservador-geral da Junta da Administração do Tabaco. Deputado. Ministro do Reino [Ministro da Administração Interna], de 6 a 16 de Dezembro de 1826 e Ministro da Justiça de 6 de Dezembro de 1826 a 8 de Junho de 1827

Augusto Xavier da Silva

Augusto Xavier da Silva

Presidente interino da Câmara Municipal de Lisboa em 1847

Negociante. Vereador das Calçadas até Maio de 1840 e 1842. Em 1845, desempenhou o cargo de vereador dos Passeios e Arvoredos. Deputado pelo círculo eleitoral da Ericeira. Pertenceu aos corpos dirigentes do Banco de Portugal.

Gonçalo de Jesus Vaz de Carvalho

Gonçalo de Jesus Vaz de Carvalho

Presidente da Câmara Municipal de Lisboa de Novembro de 1847 a 2 de Janeiro de 1849

 Bacharel em Direito pela Universidade de Coimbra. Vereador do Matadouro na Câmara Municipal de Lisboa em 1845. Deputado em 1853. Tio-avô da escritora Maria Amália Vaz de Carvalho. Comendador da Ordem de Cristo. 1º visconde de Monção por Decreto de D. Maria II de 22 de Dezembro de 1849

Nuno José Pereira Bastos

Nuno José Pereira Bastos

Presidente da Câmara Constitucional de Lisboa de 1850-1852

Conselheiro. Presidente da Câmara de Lisboa de 1850-1852. Filho de José António Pereira Bastos, vereador do pelouro das Águas Livres em 1842.

Alberto António de Morais Carvalho

Alberto António de Morais Carvalho

Presidente da Câmara Municipal de Lisboa em 1852-1853

Bacharel em Cânones pela Universidade de Coimbra, político liberal. Exilado de 1828 a 1848. Deputado. Governador Civil de Lisboa, em 1859-1860. Membro da Junta Geral do Distrito de Lisboa. Vereador e Presidente da Câmara de Lisboa em 1852-1853. Ministro dos Negócios Eclesiásticos e da Justiça nos Ministérios de Duque de Loulé, e, posteriormente, de Sá da Bandeira. Par do Reino, em 1862. Dignitário da Ordem da Rosa do Brasil, em 1872.

Manuel Salustiano Damasceno Monteiro

Manuel Salustiano Damasceno Monteiro

Presidente da Câmara Municipal de Lisboa de 1854-1858

Nasceu a 6 de Maio de 1818 e morreu em 1890. Proprietário, médico, cirurgião, político da fação regeneradora. Comendador da Ordem de Cristo e cavaleiro de Nossa Senhora da Conceição. Frequentou a Aula de Gramática Latina do estabelecimento do Rossio. Provedor da Real Casa de Santo António, cargo inerente ao de Presidente da Câmara. Condecorado com a medalha do Município pelos serviços prestados durante a epidemia cólera-morbis

Júlio Máximo de Oliveira Pimentel

Júlio Máximo de Oliveira Pimentel

Presidente da Câmara de Lisboa em 1858-1859

Nasceu, em Moncorvo, a 5 de Maio de 1809 e morreu, em Coimbra, a 20 de Outubro de 1884. Segundo visconde de Vila Maior. Bacharel em Matemática. Reitor da Universidade de Coimbra. Diretor do Instituto Agrícola. Lente da Escola Politécnica de Lisboa, em 1838. Fidalgo cavaleiro da Casa Real, par do Reino. Deputado. Vereador e Presidente da Câmara Municipal de Lisboa de 1858 a 1859. Cavaleiro das Ordens de Torre e Espada e Avis. Grã-cruz da Ordem de Carlos III de Espanha. Comendador das Ordens de Nossa Senhora de Vila Viçosa e de Cristo. Cavaleiro da Legião de Honra de França. Comendador da Ordem de Leopoldo da Bélgica e S. Maurício e S. Lázaro, de Itália. Dignitário da Ordem da Rosa, do Brasil. Sócio da Sociedade das Artes de Londres e de outros institutos científicos.

João Saldanha de Oliveira e Sousa

João Saldanha de Oliveira e Sousa

Presidente da Câmara Municipal de Lisboa em 1859 e 1960

Nasceu a 18 desetembro de 1811, em Lisboa, e aí morreu a 27 agosto de 1872.
Terceiro Conde de Rio Maior. Par do Reino na primeira Câmara dos Pares, em 1826, comendador da Ordem de Cristo e de Carlos III, de Espanha, senhor do morgado de Oliveira, Grã-cruz da Ordem de Nossa Senhora da Conceição de Vila Viçosa. Iniciou a carreira militar no posto de alferes de Lanceiros, sendo, em 1833, ajudante do Duque da Terceira contra o Partido Absolutista. Governador Civil de Coimbra, em 1854. Procurador à Junta Geral do Distrito de Lisboa. Vereador e, em 1859 e 1860, Presidente da Câmara Municipal de Lisboa.  

António esteves de Carvalho

António esteves de Carvalho

Presidente da Câmara Municipal de Lisboa de 1860 a 1865
Nasceu em Setúbal a 25 de Maio de 1818 e morreu a 4 de Agosto de 1864. Comendador de S. Maurício e S. Lázaro e da Ordem de Cristo. Primeiro presidente da Comissão Central 1º de Dezembro (actual Sociedade Histórica da Independência de Portugal). Foi condecorado pela Câmara Municipal pelos serviços prestados durante a epidemia de febre amarela, em 1857.

Manuel Joaquim de Almeida

Manuel Joaquim de Almeida

Presidente da Câmara Municipal de Lisboa de 1864 a 1866
Desconhece-se a sua data de nascimento. Faleceu a 22 de Fevereiro de 1873. Grande proprietário de Olhalvo, Alenquer. Cavaleiro da Ordem de Nossa Senhora da Conceição de Vila Viçosa. 1º barão de Alenquer por Decreto de 2 de Julho de 1862. Administrador do Bairro Alto.Vereador. Foi eleito presidente da Câmara após a morte, no cargo, do presidente precedente, António Esteves de Carvalho

António de Melo Breyner Teles da Silva

António de Melo Breyner Teles da Silva

Presidente da Câmara Municipal de Lisboa em 1866-1867

Nasceu a 23 de agosto de 1806 e morreu a 27 deabril de 1894. Militar. Combatente na Guerra Civil. Ajudante-de-campo de D. Pedro nas campanhas da Guerra Civil e até à morte do monarca. Presidente da Câmara Municipal de Lisboa de 2 de Janeiro de 1866 a 5 de Março de 1868. Par do Reino. Ministro interino dos Negócios Estrangeiros de 14.1.1831 a 2.7.1831. Conselheiro de Estado efectivo. Mordomo-mor da Casa Real; Gentil-homem da câmara da rainha D. Maria II, do rei D. Pedro V, D. Luís e D. Carlos; ajudante de campo de D. Augusto de Leutchemberg, primeiro marido da rainha D. Maria II. Membro associado da Academia Real das Ciências de Lisboa. Vogal efetivo do Conselho de Agricultura, Comércio e Indústria. Comendador de Santa Maria de Alcanede, na Ordem de Avis, e alcaide mor da mesma vila. Comendador de São Pedro de Gouveias e da comenda de S. Martinho de Pinhel, ambas na Ordem de Cristo . Grã-cruz das Ordens de Cristo e da Torre-e-Espada, da ordem da Rosa do Brasil, da Águia Vermelha da Prússia, de Carlos III de Espanha e de Santo Estanislau da Rússia    

Luís de Carvalho Daun e Lorena

Luís de Carvalho Daun e Lorena

Presidente da Câmara Municipal de Lisboa em 1868-1870 e Presidente da Comissão Municipal em 1877

Nasceu a 9 de maio de 1828 e morreu a 2 de dezembro de 1894, em Lisboa. Doutor em Cânones pela Universidade de Coimbra. Fidalgo cavaleiro da Casa Real. Comendador da Ordem de Nossa Senhora da Conceição de Vila Viçosa e da Ordem de Cristo. Grã-cruz da de Leopoldo da Bélgica. Vogal do Supremo Tribunal Administrativo. Filiado no Partido Progressista. Deputado. Presidente da assembleia-geral da empresa Tauromáquica, da Comissão Central 1.º de Dezembro, da Assembleia-geral da Companhia dos Tabacos e vice-presidente da Sociedade da Cruz Vermelha. Par do Reino. Governador civil de Lisboa. Vereador. Presidente da Câmara Municipal de Lisboa de 5 de Março de 1868 a 2 de Janeiro de 1870 e, de 1 de Agosto de 1877 a 2 de Janeiro de 1878 foi Presidente da Comissão Municipal.

António José Luís de Saldanha Oliveira Jusarte Figueira e Sousa, Conde e Marquês de Rio Maior

António José Luís de Saldanha Oliveira Jusarte Figueira e Sousa, Conde e Marquês de Rio Maior

Presidente da Câmara Municipal de Lisboa em 1870 – 1871 e Presidente da Comissão Municipal em 1877

Nasceu a 8 dejulho de 1836, em Lisboa, e aí morreu a 4 de fevereiro de 1892. Bacharel em Direito pela Universidade de Coimbra. Provedor da Misericórdia. Deputado. Par do Reino. Comendador de Santa Maria de África na Ordem de Cristo. Oficial mor da Casa Real. Adido honorário da Legação em Paris. Grã cruz das Ordens da Rosa do Brasil, de Leopoldo da Bélgica, da Coroa de Itália, de S. Gregório Magno da Santa Sé. Comendador da Ordem de Nossa Senhora da Conceição de Vila Viçosa e sócio efectivo do Instituto de Coimbra. Presidente da Câmara Municipal de Lisboa no biénio de 1870-1871 e presidente da Comissão Municipal, de 23 de junho a 1 de agosto de 1877.

Francisco Manuel de Mendonça

Francisco Manuel de Mendonça

Presidente da Câmara Municipal de 1872 a 1875

Bacharel em Direito, pela Universidade de Coimbra. Advogado. Presidente da Câmara Municipal de 1872 até 1875. Cônsul de Portugal em Bordéus. Membro do Conselho de Sua Majestade Fidelíssima. Comendador das Ordens de Cristo e da Rosa, do Brasil. O título de barão foi-lhe concedido em duas vidas, por Decreto de 26.11.1873, pelo rei D. Luís . Faleceu em 1882.

Luís de Almeida e Albuquerque

Luís de Almeida e Albuquerque

Presidente da Câmara Municipal de Lisboa em 1876-1877

Nasceu, em Serpa, a 2 de junho de 1819, e morreu, em Lisboa, a 3 de março de 1906. Doutorado em Direito. Lente de Economia Política na Escola Politécnica. Director da Escola Politécnica. Director do Instituto Industrial e Comercial de Lisboa, Vogal do Conselho Industrial e Comercial. Jornalista. Fundador e proprietário do Jornal do Comércio. Signatário do protesto contra a Lei da Rolha de Costa Cabral. Secretário geral do Governo Civil de Lisboa. Membro do Conselho Geral das Alfândegas. Fiscal do governo junto da Companhia das Águas. Cofundador e Presidente da Assembleia-geral da Comissão de Beneficência da Freguesia de Santa Catarina. Vereador e presidente da Câmara Municipal de Lisboa. Comendador da Ordem de Cristo. Cavaleiro da Nossa Senhora da Conceição de Vila Viçosa.

José Elias Garcia

José Elias Garcia

Presidente da Câmara Municipal de Lisboa de 2 de Janeiro a 18 de Agosto de 1878

Nasceu, em Cacilhas, a 31 de dezembro de 1830, e morreu, em Lisboa, a 21 de junho de 1891. Concluiu a Escola do Comércio. Ingressou na Escola Politécnica, e depois na Escola do Exército em Engenharia. Militar. Professor de Mecânica Aplicada na Escola do Exército. Jornalista. Fundador de vários jornais. Filiado no Partido Reformista e no Republicano. Presidente do Directório deste. Maçon. Grão Mestre. Deputado. Vereador e Presidente da Câmara Municipal de Lisboa de 1875 a 1881 e de 2 dejaneiro a 18 de agosto de 1878, respetivamente

José Gregório da Rosa Araújo

José Gregório da Rosa Araújo

Presidente da Câmara Municipal de Lisboa de agosto de 1878 a 2 de janeiro de 1886

 Nasceu em Lisboa, a 17 de novembro de 1840, e morreu, em Lisboa, a 26 de janeiro de 1893. Comerciante. Presidente do Grémio Popular da Associação Homeopática e da Fraternidade. Vice presidente da Irmandade do Santíssimo de S. Nicolau e da Associação dos Empregados do Comércio e Indústria. Membro da Direção da Companhia dos Tabacos, do Gás, do Crédito Comercial, Fidelidade, Bonança, dos Algodões de Xabregas e na Companhia das Lezírias do Tejo e Sado. Fundador dos jornais políticos O Espectro da Granja e a Gazeta Comercial. Comendador da Ordem de Nossa Senhora da Conceição de Vila Viçosa. Vereador de 1872 a 1873. Vice-presidente de 1876 a 1877 e Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, de agosto de 1878 a 2 de janeiro de 1886, a ele se deve a construção da Avenida da Liberdade. Deputado. Par do Reino. Rosa Araújo tinha a alcunha, herdada do seu pai “Cocó”, nome de uma das especialidades (pastéis de ovos, de folhado finíssimo), da confeitaria de que a família era proprietária.

Fernando Pereira palha Osório Cabral

Fernando Pereira palha Osório Cabral

Presidente da Câmara Municipal de Lisboa de 2 de Janeiro de 1886 a 10 de Março de 1890

Nasceu em Lisboa a 9 de Novembro de 1850, em Lisboa, e morreu a 10 de Março de 1897. Bacharel em Direito na Universidade de Coimbra. Filiado no Partido Regenerador e no Partido Progressista. Deputado. Par do Reino. Primeiro presidente da Associação Promotora do Ensino para Cegos (APEC). Participante no Congresso Universal de Paris para o Bem dos Cegos. Presidente da Câmara de Lisboa de 2 de Janeiro de 1886 a 10 de Março de 1890.

Francisco Simões Margiochi

Francisco Simões Margiochi

Presidente da Comissão Administrativa da Câmara Municipal de Lisboa em 1890
    
Nasceu, em Lisboa, a 22 de Dezembro de 1848 e morreu, em Lisboa, a 6 de Outubro de 1904. Licenciado em Agronomia. Vogal e Presidente da comissão do Sul encarregada do combate à invasão da filoxera. Vogal do Conselho Superior de Agricultura. Membro da comissão executiva da secção agrícola da Exposição Industrial Portuguesa, realizada em 1888. Militante do Partido Regenerador. Vereador da Câmara Municipal de Lisboa de 1872 a 1875. Presidente da Comissão Administrativa, de 11 de Março e 5 de Novembro de 1890. Secretário do Asilo de Infância Desvalida. Tesoureiro do Asilo Nossa Senhora da Conceição para raparigas abandonadas. Provedor da Casa Pia. Par do Reino. Presidente da Sociedade de Horticultura. Sócio da Sociedade de Geografia, da Associação Central de Agricultura Portuguesa, da Associação de Arquitectos e Arqueólogos Portugueses, da Sociedade de Ciências Agronómicas, de La Société des Agriculteurs de France, presidente da Associação da Imprensa Portuguesa e vice-presidente da Sociedade Literária Almeida Garrett.

Pedro João de Morais Sarmento

Pedro João de Morais Sarmento

Presidente da Comissão Administrativa de 4 de Novembro de 1890 a 8 de Agosto de 1891.

Nasceu, em Copenhaga, a 27 de Dezembro de 1829 e morreu, em Lisboa, a 10 de Janeiro de 1903. Oficial-mor da Casa Real. Gentil-homem da câmara de D. Luís I. Camarista do rei D. Carlos I. Par do Reino. Comendador da Ordem de Cristo, Cavaleiro da Ordem Soberana de S. João de Jerusalém, de Roma. Grande oficial da Ordem de Nichaf Intikar, de Tunis. Oficial da Ordem de Leopoldo, da Bélgica. Provedor do Asilo de D. Maria Pia. Fundador e director da Real Academia dos Amadores de Música. Presidente da Comissão Administrativa de Lisboa, de 5 de Novembro de 1890 a 8 de Agosto de 1891.

Manuel Sarmento Ottolini

Manuel Sarmento Ottolini

Presidente da Comissão Administrativa  de Lisboa de 10 de Agosto de 1891 a 2 de Janeiro de 1892 e Presidente da Câmara Municipal de Lisboa de 2 de Janeiro de 1892 a 2 de Janeiro de 1894

Nasceu em Lisboa, a 9 de Janeiro de 1840 e aí morreu a 11 de Maio de 1889. Bacharel em Direito pela Universidade de Coimbra. Governador do Banco Nacional Ultramarino. Membro substituto do Conselho de Administração da Companhia Geral de Crédito Predial Português. Presidente da Associação Comercial de Lisboa. Sócio da Sociedade de Geografia de Lisboa. Presidente da Comissão Administrativa de Lisboa de 10 de Agosto de 1891 a 2 de Janeiro de 1892 e Presidente da Câmara Municipal de Lisboa de 2 de Janeiro de 1892 a 2 de Janeiro de 1894. Cavaleiro e moço fidalgo da Casa Real. Grã-cruz da Ordem de Nossa Senhora da Conceição de Vila Viçosa e Cavaleiro da de Leopoldo da Bélgica,

(1º Conde de Ottolini)

Pedro Augusto Franco

Pedro Augusto Franco

Presidente da Câmara Municipal de Lisboa de 2 de Janeiro de 1894 a 15 de Fevereiro de 1897 e de 1 de Janeiro de 1899 a 11 de Setembro de 1901

Nasceu em Belém, a 29 de Julho de 1833 e aí morreu, a 28 de Abril de 1902. Farmacêutico. Proprietário da Farmácia Franco, que foi a primeira sede do Grupo Sport de Lisboa, o qual se fundiu com o Sport Clube de Benfica, dando origem ao Sport Lisboa e Benfica.

Deputado. Par do Reino. Vereador e Presidente da Câmara Municipal de Belém.Membro da Comissão Executiva da Câmara Municipal de Lisboa. Vereador. Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, de 1894 a 1897 e de 1899 a 1901. Membro do Conselho da Coroa [Conselho de Estado].

(1º Conde do Restelo)

Zófimo Consiglieri Pedroso

Zófimo Consiglieri Pedroso

Presidente da Câmara Municipal de Lisboa em de 15 de Fevereiro de 1897 a 1 de Janeiro de 1899

Nasceu, em Lisboa, a 10 de Março de 1851 e faleceu em Sintra, a 3 de Setembro de 1910. Diplomado e Professor do Curso Superior de Letras. Estudioso sobre o folclore nacional. Filiado no Partido Republicano. Fundador do Club de Propaganda do Norte. Tomou a iniciativa do protesto contra a Lei da Imprensa, em 1907. Director do Curso Superior de Letras (antecessor da Faculdade de Letras). Presidente da Sociedade de Geografia de Lisboa. Sócio efectivo da Academia das Ciências de Lisboa. Vereador, de 1870 a 1878 e Presidente no biénio de 15 de Fevereiro de 1897 a 1 de Janeiro de 1899.

António José d'Ávila

António José d'Ávila

Presidente da Comissão Administrativa da Câmara Municipal de Lisboa de 1901 a 1902

Nasceu no Faial a 7 de Novembro de 1842, e morreu, em Lisboa, a 18 de Março de 1917. Militar. Bacharel em Matemática pela Universidade de Coimbra. Director-geral dos Trabalhos Geodésicos e Topográficos do Reino. Deputado. Par do Reino. Foi Presidente da Comissão Administrativa da Câmara Municipal de Lisboa de 1901 a 1902

António de Azevedo Castelo Branco

António de Azevedo Castelo Branco

Presidente da Câmara Municipal de 1904 a 1907 e em 1908

Nasceu na freguesia de Vilarinho de Samardã, concelho de Vila Real, a 25 de Dezembro de 1842 e morreu, em Vila Real, a 5 de Janeiro 1916. Licenciou-se em Direito pela Universidade de Coimbra. Foi administrador do Concelho de Murça. Deputado e Presidente do Senado, nos anos 80 e 90 do século XIX. Vice-Director e Director da Penitenciária de Lisboa. Ministro dos Negócios Eclesiásticos e da Justiça no Governos de Hintze Ribeiro, de 1893 a 1897. Ministro da Marinha e Ultramar em 1906. Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, de 1904 a 1907 e, em 1908, até à posse da primeira Câmara republicana. Par do Reino em 1896 e membro do Conselho da Coroa [Conselho de Estado], em 1904.

Teodoro Ferreira Pinto Basto

Teodoro Ferreira Pinto Basto

Presidente da Câmara Municipal de Lisboa de 3 de janeiro de 1907 a 6 de junho de 1907

Nasceu, em Londres, em 8 de Novembro de 1839, e morreu,  em Lisboa, a 14 de março de 1920. Cofundador da firma E. Pinto Basto & Cª. Administrador gerente da Fábrica da Vista Alegre. Vice-Presidente e Presidente da Associação Comercial de Lisboa, de 1886 a 1888, e, em 1889, respecivamente.
Vogal da Comissão Administrativa da Câmara Municipal de Lisboa, de 1901 a 1903. Vereador no ano de 1904. Vice-Presidente, em 1905 e 1906 e Presidente de 3 de janeiro a 8 de junho de 1907

José Adolfo de Melo e Sousa

José Adolfo de Melo e Sousa

Presidente da Comissão Administrativa de 8 de Junho de 1907 a 17 de Fevereiro de 1908

Nasceu na Figueira da Foz a 9 de Novembro de 1858 e morreu a 10 de Janeiro de 1925. Trabalhou na firma Manuel Pereira Bastos & Genro, propriedade de um tio que o enviou a Inglaterra e à Alemanha para concluir a sua educação. Presidente da Companhia de Seguros Fidelidade. Presidente da Administração do Porto de Lisboa. Membro da direcção e Presidente da Associação Comercial de Lisboa. Presidente da Assembleia Geral da Companhia dos Caminhos de Ferro Portugueses. Membro do Clube Henriques Nogueira. Filiado no Partido Regenerador. Aderiu ao partido Regenerador Liberal de João Franco. Deputado. Par do Reino. Governador do Banco de Portugal. Membro do Conselho Superior do Comércio e Indústria, da Comissão de Superintendência da Bolsa e Presidente da Secção de Comércio da Sociedade de Geografia de Lisboa

Anselmo Braancamp Freire

Anselmo Braancamp Freire

Vice-presidente, de 30 de novembro de 1908 a 27 de outubro de 1910 e Presidente efetivo de 27 de outubro de 1910 a 1 de fevereiro de 1913

Nasceu a 1 de fevereiro de 1849 e morreu a 22 de dezembro de 1921, em Lisboa. Historiador. Par do Reino em 1886. Primeiro Presidente da Câmara Municipal de Loures. Adere ao Partido Republicano em 1907. Cabeça de lista da primeira vereação republicana eleita para a Câmara de Lisboa em 1908, só toma posse como Presidente após a Implantação da República, por o governo da Monarquia não o ter nomeado Presidente, sendo exonerado em 1913. Presidente da Câmara Constituinte e do Senado.

António Xavier Correia Barreto

António Xavier Correia Barreto

Presidente da Comissão Administrativa da Câmara Municipal de Lisboa de 6 de fevereiro de 1913 a 2 de janeiro 1914.

Nasceu a 5 de fevereiro de 1853, em Lisboa, e morreu a 15 de agosto de 1939, em Sintra.
Militar. Director da Fábrica da Pólvora e do Arsenal do Exército. Membro do Directório do Partido Republicano e do comité que organizou o 5 de Outubro. Deputado. Senador. Presidente do Senado. Ministro da Guerra no primeiro governo provisório, de 5 de outubro de 1910 a 3 de setembro de 1911, no de Duarte Leite, de 16 de junho de 1912 a 9 de janeiro de 1913 e no de António Maria da Silva, de 16 de fevereiro de 1922 a 15 de novembro de 1923. Fundou o Instituto Militar dos Pupilos do Exército de Terra e Ar, antecedente do atual Instituto Militar dos Pupilos do Exército, em 1911.


João Catano Menezes

João Catano Menezes

Presidente da Câmara Municipal de Lisboa de 2 de janeiro a 18 de abril de 1914;
e de 2 de janeiro a 2 de julho de 1926

Nasceu no Faial, Santana, Madeira, a 17 de Março de 1854, e morreu em Cabeço de Montachique, Loures-Mafra, a 16 de maio de 1942. Advogado. Bacharel em Direito. Filiado no Partido Progressista, tendo sido eleito, por diversas vezes, deputado pelo círculo da Madeira. Aderiu ao Partido Republicano. Ministro da Justiça, no governo de José de Castro, de 19 de junho a 29 de Novembro de 1915, acumulando, interinamente, a pasta do Interior, de 11 a 29 de Novembro; no governo de Afonso Costa, de 29 de novembro de 1915 a 15 de março de 1916; no de António Maria da Silva, de 6 de fevereiro a 7 de dezembro de 1922; no de Rodrigues Gaspar de 6 de julho a 22 de novembro de 1924; no de António Maria da Silva, de 7 de dezembro de 1925 a 30 de maio de 1926. Bastonário da Ordem dos Advogados, em 1942.

Eduardo Alberto de Lima Basto

Eduardo Alberto de Lima Basto

Presidente da Câmara Municipal de Lisboa de 18 de abril a 12 de dezembro de 1914

Nasceu a 4 de fevereiro de 1875 e morreu a 18 de junho de 1942, em Lisboa. Licenciado em Agronomia. Professor da Escola Nacional de Agricultura de Coimbra e do Instituto Superior de Agronomia. Director da Escola Superior Colonial. Presidente da Associação Comercial de Lisboa, em 1932 e 1933. Vogal do Conselho Fiscal do Banco Industrial Português. Ministro do Fomento, no Governo de Vítor Hugo Azevedo Coutinho, de 12 de dezembro de 1914 a 25 de janeiro de 1915; do Trabalho e Previdência Social, no Governo de Afonso Costa, de 25 de abril a 10 de dezembro de 1917; do Comércio e Comunicações, e das Finanças nos governos de António Maria da Silva, de 6 de Fevereiro a 18 de Outubro de 1922, e de 1 de julho a 1 de agosto de 1925, respectivamente. Autor de vários estudos sobre temas de agronomia.

Henrique Jardim Vilhena

Henrique Jardim Vilhena

Presidente da Câmara Municipal de Lisboa de 2 de janeiro a 1 de novembro de 1915

Nasceu a 13 de março de 1879 e morreu a 14 de abril de 1958, em Lisboa. Licenciado em Medicina em 1904. Professor de Anatomia Artística na Escola de Belas Artes. Professor de Anatomia na Escola Médica de Lisboa. Fundador do Instituto de Anatomia da Faculdade de Medicina de Lisboa. Reitor da Universidade de Coimbra em 1925-1926. Membro do grupo português de cooperação intelectual da Sociedade das Nações, em 1926, e de inúmeras associações e sociedades científicas nacionais e internacionais. Fundador da Sociedade Anatómica Luso-Hispano-Americana, e cofundador, com Celestino da Costa, da Sociedade Anatómica Portuguesa. Vereador em 1914 e 1916. Senador de 1919 a 1921.

João carlos Alberto da Costa Gomes

João carlos Alberto da Costa Gomes

Presidente da Câmara Municipal de Lisboa de 1 de novembro de 1915 a 2 de janeiro de 1918

Nasceu a 8 de janeiro de 1868 e morreu a 4 de julho de 1929, em Lisboa.
Licenciado em Farmácia pela Escola Médico-cirúrgica. Diplomado pelo Instituto Superior de Comércio de Lisboa. Farmacêutico militar. Membro do Directório do Partido Democrático.    Presidente da Junta Geral do Distrito de Lisboa. Presidente da Comissão Organizadora do Congresso Municipalista Nacional, realizado em Lisboa, de 10 a 12 de junho de 1922. Vereador da Câmara Municipal de Lisboa em 1914 e 1915.

Alfredo Rodrigues Gaspar

Alfredo Rodrigues Gaspar

Presidente da Câmara de Lisboa, de 2 a 14 de Janeiro de 1918; e de 16 de Junho de 1919 até 2 de Janeiro de 1920

Nasceu a 8 de Agosto de 1865, no Funchal, e morreu a 1 de Dezembro de 1938, em Lisboa. Militar. Oficial da Marinha (engenharia). Filiado no Partido Republicano. Deputado. Presidente da Câmara dos Deputados. Ministro das Colónias, no governo de Azevedo Coutinho, de 12 de Dezembro de 1914 a 25 de Janeiro de 1915; no de José de Castro, de 22 de Julho a 29 de Novembro de 1915; no de Sá Cardoso, de 30 de Junho de 1919 a 3 de Janeiro de 1920, e no de António Maria da Silva, de 7 de Fevereiro de 1922 a 15 de Novembro de 1923. Presidente do Ministério [Primeiro Ministro] e Ministro do Interior, de 6 de Julho a 22 de Novembro de 1924. Presidente da Administração-Geral do Porto de Lisboa.

José Carlos da Maia

José Carlos da Maia

Presidente da Comissão Administrativa da Câmara Municipal de Lisboa, de 14 de Janeiro até 9 de março de 1918

Nasceu a 16 de março 1878, em Olhão, e foi assassinado na noite de 19 de outubro de 1921, designada “Noite Sangrenta”. Oficial da Marinha. Republicano declarado, participou no 28 de janeiro de 1908; membro do Comité Revolucionário da Marinha, tomou parte na revolução de 5 de outubro. Deputado à Assembleia Constituinte de 1911, pelo círculo de Lisboa. Governador de Macau.
Ministro da Marinha, no governo de Sidónio Pais, de 9 de março a 7 de setembro de 1918. Ministro das Colónias, independente, no governo de José Relvas, de 27 de janeiro a 21 de março de 1919.
Foi agraciado, postumamente, com o grau da Grã-Cruz da Ordem Militar da Torre e Espada, do Valor, Lealdade e Mérito.
Foi erigido em sua homenagem um memorial, no Cemitério dos Prazeres.

Zeferino Cândido Falcão Pacheco

Zeferino Cândido Falcão Pacheco

Presidente da Comissão Administrativa da Câmara Municipal de Lisboa, de 15 de março a 27 de junho de 1918

Nasceu, em Abrantes, a 8 de setembro de 1856 e morreu, em Constância, a 16 de agosto de 1924. Médico dermatologista. Licenciado em Medicina pela Universidade de Coimbra. Fez estágio em Paris e Viena. Diretor do Serviço de Doenças de Pele e Sífilis Cutânea da Consulta Externa do Hospital de S. José. Assistente e Diretor do Serviço de Radioscopia, Radiologia e Aplicações Elétricas. Presidente da Sociedade de Ciências Médicas de Lisboa. Secretário-Geral do I Congresso Nacional de Medicina, realizado em Lisboa em 1898. Participou na organização do XV Congresso Internacional de Medicina, de 1906. Deputado e senador. Sócio da Academia das Ciências de Lisboa

José Tavares de Araújo e Castro

José Tavares de Araújo e Castro

Presidente da Comissão Administrativa da Câmara Municipal de Lisboa, de junho de 1918 a fevereiro de 1919

Nasceu a 21 de julho de 1870, em Oliveira do Bairro, e morreu, a 3 de Outubro de 1954, em Lisboa. Engenheiro militar. Oficial do Estado-Maior de Engenharia, destacado na Escola de Aplicação de Engenharia, Batalhão das Tropas de Comunicação, inspector do Serviço Militar dos Caminhos-de-Ferro, vogal da Comissão Técnica de Telegrafia Militar. Presidente da Comissão Liquidatária do Parque Automóvel Militar, após o 28 de maio, e, em 1929, presidente de uma comissão para resolver um conflito em Rosmaninhal, distrito de Castelo Branco. Agraciado com o grau de cavaleiro da Real Ordem Militar de S. Bento de Avis e com o grau de Grande Oficial da Ordem Militar de Avis.

Alberto Ferreira Vidal

Alberto Ferreira Vidal

Presidente da Comissão Administrativa da Câmara Municipal de Lisboa, de 7 de março a 16 de junho de 1919

Nasceu a 17 de fevereiro de 1871 e morreu a 13 de janeiro de 1967, em Salreu, concelho de Estarreja, distrito de Aveiro.
Bacharel em Direito. Professor do ensino secundário. Governador Civil de Aveiro de 1913 a 1914. Deputado nas listas do Partido Democrático, em 1919, pelo círculo do Porto; em 1921, pelo círculo de Lisboa Oriental; e em 1925, pelo círculo de Aveiro.
Após o 28 de maio de 1926, voltou à docência, tendo sido professor no Liceu Pedro Nunes. Depois de se reformar foi docente no ensino particular, no Colégio D. Egas Moniz, na sua terra natal. Vereador  da Câmara Municipal de Lisboa de 1919 a 1923.

Agostinho Inácio da Conceição Estrela

Agostinho Inácio da Conceição Estrela

Presidente da Câmara Municipal de Lisboa de 2 de janeiro de 1920 a 3 de abril de 1923

Nasceu a 30 de Janeiro de 1867 e morreu a 6 do mesmo mês de 1952, em Lisboa.
Industrial. Empregado no comércio, entre 1906 e 1910. Proprietário da firma Estrela & Cª - Fábrica de Chalés e Cache-nez. Co-fundador da Sociedade Promotora de Educação Popular, em 1904. Em 1914, integra a Comissão de organização local – subcomissão de recepção do I Congresso das Associações Comerciais e Industriais, que se realizou de 2 a 7 de maio. Em 1919, sendo vice-presidente, substituiu o Presidente da Câmara, Alfredo Rodrigues Gaspar, enquanto este foi Ministro das Colónias no governo de Sá Cardoso.

Albano Augusto Portugal Durão

Albano Augusto Portugal Durão

Presidente da Câmara Municipal de Lisboa de 5 de Abril de 1923 a 13 de Novembro de 1925

Nasceu a 22 de Março de 1871, na Sertã, e morreu a 13 de Novembro de 1925, em Lisboa.
Oficial da Marinha. Participou nas campanhas africanas em Moçambique. Administrador da Companhia da Zambézia e dos Transportes Marítimos do Estado. Director de Minas em Tete. Vogal da Comissão Executiva da Conferência de Paz Membro do Directório do Partido Democrático. Deputado. Ministro da Agricultura no governo de Bernardino Machado, de 4 a 19 de Maio de 1921. Ministro das Finanças, no governo de António Maria da Silva, de 6 de Fevereiro a 26 de Agosto de 1922. Ministro dos Negócios Estrangeiros, no governo de António Maria da Silva, de 1 de Julho a 1 de Agosto de 1925.

Sebastião da Costa Santos

Sebastião da Costa Santos

Presidente da Câmara Municipal de Lisboa de 23 de Novembro a 31 de Dezembro de 1925

Nasceu a 13 de Novembro de 1881 e morreu a 7 de Janeiro de em 1939 em Lisboa.
Médico oftalmologista. Licenciado em Medicina pela Escola Médico-cirúrgica de Lisboa. Especializou-se em oftalmologia na Alemanha, tendo estudado em Paris e Viena. Director dos Hospitais Civis e da Junta Geral do Distrito de Lisboa. Médico da Casa Pia e Instituto Clínico da Junta Geral do Distrito de Lisboa, tendo sido director desta instituição. Agraciado com a Grã Cruz de Isabel, a Católica, e com o grau de cavaleiro da Legião de Honra.
Vice-presidente da Câmara Municipal de Lisboa em 1924 e 1925, e presidente-substituto de Portugal Durão, de Julho a Novembro de 1925.

José Vicente de Freitas

José Vicente de Freitas

Presidente da Comissão Administrativa da Câmara Municipal de Lisboa de 2 de Julho de 1926 a 31 de Dezembro de 1934

Nasceu na freguesia da Calheta, na Madeira, a 22 de Janeiro de 1869 e morreu, em Lisboa, a 4 de Setembro de 1952.
Militar. Professor do Colégio Militar. Governador Civil do Funchal, de 22 de Fevereiro a 14 de Maio de 1914. Participante na I Guerra Mundial, integrado no CEP. Chefe da ala republicana do movimento do 28 de Maio. Grande impulsionador da União Nacional. Ministro do Interior de 26 de Agosto de 1927 a 18 de Abril de 1928, no governo de Carmona. Primeiro-ministro e Ministro do Interior, de 18 de Abril de 1928 a 8 de Julho de 1929. Membro do Conselho Superior de Disciplina, do Conselho Superior de Promoções e do Conselho Politico Nacional, por escolha do General Carmona. Comandante da Escola de Guerra, entre 1935 e 1939.
Agraciado com a Grã-Cruz da Ordem da Coroa de Itália, Grã-Cruz da Ordem Militar de Aviz, entre outras.

Eugénio Carlos Mardel Ferreira

Eugénio Carlos Mardel Ferreira

Presidente-Substituto da Comissão Administrativa da Câmara Municipal de Lisboa de 26 de Agosto de 1927 a 15 de Agosto de 1929

Nasceu a 19 de Outubro de 1867, em Lisboa e morreu em 1947.
Oficial do Exército (Artilharia). Concluiu o curso de Artilharia, na Escola do Exército. Combateu na Grande Guerra, tendo participado na Batalha de La Lys, em que foi ferido e feito prisioneiro. Presidente da Liga dos Combatentes da Grande Guerra. Representante do Exército Português, aquando da entrega do Monumento aos Mortos da Grande Guerra, em La Couture. Pertenceu à Guarda Fiscal e à Guarda Nacional Republicana.
Vogal da Comissão Administrativa em 1926, e de 1930 a 1932

Adriano da Costa Macedo

Adriano da Costa Macedo

Presidente da Comissão Administrativa da Câmara Municipal de Lisboa de 17 de Fevereiro a 19 de Maio de 1932

Nasceu a 21 de Março de 1870, em Tomar, e morreu a 30 de Maio de 1938, em Lisboa.
Militar. Participou na Primeira Guerra Mundial, integrado no CEP. Governador Civil de Castelo Branco de 30 de Maio de 1926 a 25 de Janeiro de 1927. Ministro do Interior, no governo de Carmona, de 25 de Janeiro a 26 de Agosto de 1927. Presidente do Tribunal Militar Especial de Lisboa.

Henrique Linhares de Lima

Henrique Linhares de Lima

Presidente da Comissão Administrativa da Câmara Municipal de Lisboa de 18 de fevereiro de 1933 a 31 de dezembro de 1934

Nasceu em S. Roque do Pico, a 24 de outubro de 1876 e morreu, em S. João do Estoril, a 13 de fevereiro de 1953.

Frequentou o Instituto Industrial e Comercial. Curso de Administração Militar da Escola do Exército. Chefe de subsistências no Corpo Expedicionário Português, em França. Diretor da Manutenção Militar, de 1923 a 1929. Professor do Instituto Feminino de Educação e Trabalho. Ministro da Agricultura, de 8 de julho de 1929 a 21 de janeiro de 1930, e de 21 de janeiro de 1930 a 5 de julho de 1932, nos governos de Ivens Ferraz e Domingos de Oliveira, respetivamente, cargo que acumulou com o de Ministro das Colónias, de 23 de abril a 5 de julho de 1932. Promotor da Campanha do Trigo, em 1929. Ministro do Interior, no Governo de Salazar, de 23 de outubro de 1934 a 18 de janeiro de 1936. Membro da Junta Consultiva da União Nacional. Vogal da Comissão Executiva do I Congresso da União Nacional. Membro da Comissão Executiva dos Centenários. Deputado.

Presidente da Junta da Província da Estremadura, de 1941 a 1945. Presidente da Sociedade Histórica da Independência de Portugal.

Daniel Rodrigues de Sousa

Daniel Rodrigues de Sousa

Presidente da Comissão Administrativa da Câmara Municipal de Lisboa de 31 de dezembro de 1934 a 31 de dezembro de 1937

Nasceu na freguesia da Sé, no Funchal, a 9 de agosto de 1867 e morreu a 30 de abril de 1958, em Lisboa.
Militar. Professor na Escola Regimental. Combatente da I Guerra Mundial, integrado no CEP. Comandante da Frente Marítima da Defesa de Lisboa. Governador Militar de Lisboa. Ministro da Guerra, no Governo de Salazar, de 5 julho de 1932 a 11 de abril de 1933. Vogal do Conselho Superior de Promoções, do Conselho Superior de Disciplina do Exército e do Conselho Político Nacional. Procurador à Câmara Corporativa, por inerência do cargo de Presidente da Câmara. Presidente da Comissão Central da Liga dos Combatentes da Grande Guerra.

Duarte José pacheco

Duarte José pacheco

Presidente da Câmara Municipal de Lisboa de 3 de janeiro de 1938 a 16 de novembro de 1943

Nasceu a 19 de abril de 1900, na freguesia de S. Clemente, em Loulé, e morreu a 16 de novembro de 1943, em Setúbal. Engenheiro Eletrotécnico. Professor de Matemáticas Gerais. Diretor do Instituto Superior Técnico. Promotor da construção das novas instalações do Instituto. Combatente, no batalhão académico, contra as forças monárquicas, em Monsanto. Ministro da Instrução Pública, no Governo de Vicente de Freitas, de 18 de abril a 10 de novembro de 1928 e Ministro das Obras Públicas e Comunicações, no governo de Salazar, de 25 de Maio de 1938 a 16 de novembro de 1943, cargo que acumula com o de Presidente da Câmara de Lisboa. O seu vice-presidente, Eduardo Rodrigues de Carvalho, foi nomeado presidente-substituto, assumindo as funções de presidente até 4 de março de 1944.

Eduardo Rodrigues de Carvalho

Eduardo Rodrigues de Carvalho

Presidente-substituto da Câmara Municipal de Lisboa de 25 de maio de 1938 a 4 de março de 1944

Nasceu a 3 de junho de 1891, em Vila Nova de Poiares, e morreu a 30 de setembro de 1970, em Lisboa. Cursos de Engenharia Militar e Engenharia Civil e Minas, na Escola do Exército. Segundo comandante e comandante interino da 4ª Companhia de Sapadores Mineiros, integrada no CEP. Chefe de repartição da Direção-Geral dos Edifícios e Monumentos Nacionais e inspector do Conselho Superior das Obras Públicas. Delegado do Ministério do Interior e do das Obras Públicas e Comunicações, nas obras de ampliação do Museu Nacional de Arte Antiga e nas das Gares Marítimas de Alcântara e da Rocha Conde de Óbidos. Presidente do Conselho de Administração da Companhia Portuguesa de Celulose e Presidente da Comissão Diretiva da Ordem dos Engenheiros.
Em 25 de maio de 1938, assumiu o cargo de presidente substituto da Câmara Municipal de Lisboa, em virtude do presidente em exercício, Duarte Pacheco, ter sido nomeado Ministro das Obras Públicas e Comunicações, sendo exonerado por portaria do Ministro do Interior, publicada a 4 de março de 1944.

Álvaro Salvação Barreto

Álvaro Salvação Barreto

Presidente da Câmara Municipal de Lisboa de 6 de Março de 1944 a 28 de Março de 1959

Nasceu a 26 de junho de 1890 e morreu a 23 de novembro de 1975, em Lisboa. Militar. Curso de Artilharia. Participou na I Grande Guerra, integrado no Corpo Expedicionário Português (CEP). Director dos Serviços de Censura. Deputado. Procurador à Câmara Corporativa, por inerência do cargo de Presidente da Câmara. Director-geral de Educação Física, Desportos e Saúde Escolar, em 1942. Fundador e diretor do Centro Cultural Musical.
Vogal, em 1932 e 1933, e Vice-Presidente da Comissão Administrativa da Câmara Municipal de Lisboa de 1933 a 1937. Nomeado a 4 de março, tomou posse a 6 do mesmo mês de 1944.

António Vitorino França Borges

António Vitorino França Borges

Presidente da Câmara Municipal de Lisboa de 30 demarço de 1959 a 28 de fevereiro de 1970

Nasceu a 8 de maio de 1901, em Lisboa, e morreu a 21 de fevereiro de 1986.
Militar. Oficial de ligação do General Ely, durante a Conferência da NATO, em 1952.
Mobilizado para a Índia, como comandante do Batalhão Vasco da Gama. Governador Militar da Madeira, em 1958 e 1959. Professor do Instituto dos Altos Estudos Militares.
Presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras. Procurador à Câmara Corporativa, na qualidade de Presidente da Câmara Municipal de Lisboa. Membro do Comissariado do Governo para os Assuntos do Estado da Índia.
Presidente da Comissão Executiva da Liga dos Bombeiros Portugueses e do seu Conselho Administrativo e Técnico.

Fernando Augusto dos Santos e Castro

Fernando Augusto dos Santos e Castro

Presidente da Câmara Municipal de Lisboa de 11 de março de 1970 a 20 de outubro de 1972

 

Nasceu a 20 de julho de 1922, no Funchal, e morreu a 10 de novembro de 1983, em Lisboa.

Licenciado pelo Instituto Superior de Agronomia de Lisboa. Chefe dos serviços técnicos da Federação Nacional dos Produtores de Trigo, em 1955. Chefe de Gabinete do Secretário de Estado da Agricultura, de 1958 a 1961. Chefe da Repartição do Quadro Técnico da Direcção-Geral dos Serviços Agrícolas. Presidente da Junta do Vinho. Membro da Direção da Casa dos Estudantes de Angola e do Império, sub-inspector da Mocidade Portuguesa. Deputado. Vice-presidente da Comissão Distrital da União Nacional de Lisboa e Presidente da Comissão Concelhia de Lisboa. Procurador à Câmara Corporativa, de 1965 a 1969. Governador de Angola de 20 de outubro de 1972 a 25 de abril de 1974. Vereador da Câmara Municipal de Lisboa, em 1968 e 1969.

 

António Jorge da Silva Sebastião

António Jorge da Silva Sebastião

Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, 27(?) de Outubro de 1972 a 7 de Maio de 1974

Nasceu a 3 de dezembro de 1919, em Mértola, e morreu a 5 de dezembro de 2005, em Lisboa.
Militar. Curso de artilharia da Escola do Exército, em 1943. Adjunto na Escola de Quadros Militares, em Nova Lisboa. Comandante da 6ª Companhia Indígena de Caçadores, em Malange, Chefe da 3ª Repartição do Quartel-General da Região Militar de Angola e Comandante-Geral da Polícia de Segurança Pública e da jurisdição da Polícia de Investigação Criminal. Governador do distrito do Quanza Norte, em Angola. Governador de São Tomé e Príncipe. Inspetor Superior da Administração Ultramarina. Procurador à Câmara Corporativa, por inerência do cargo de Presidente da Câmara. Após o vinte e cinco de abril de 1974, foi administrador de empresas. Agraciado com o grau de grande-oficial da Ordem do Império e da Ordem de Mérito da República Italiana.

João António Lopes da Conceição

João António Lopes da Conceição

Delegado da Junta de Salvação Nacional à Câmara Municipal de Lisboa, de 7 de maio a 2 de setembro de 1974

Nasceu a 20 de junho de 1927, em Castelo Branco.
Militar. Comissões de Serviço em Timor, em Angola, na Guiné, de 1957 a 1973. Segundo Comandante do Batalhão de Sapadores Bombeiros de Lisboa de 1967 a 1968. De 1976 a 1978 Director da Arma de Engenharia do Exército.
Foi ainda secretário de Estado da Administração Regional e Local no III Governo Provisório de 27 de dezembro de 1974 a 26 de março de 1975.

Joaquim Ângelo Caldeira Rodrigues

Joaquim Ângelo Caldeira Rodrigues

Presidente da Comissão Administrativa da Câmara Municipal de Lisboa de 2 de setembro de 1974 a 19 de novembro de 1975

Nasceu, em Torres Vedras, a 6 de dezembro de 1925, e morreu a 29 de dezembro de 2004, em Lisboa.

Frequentou o liceu na sua terra natal e concluiu os estudos liceais no Liceu Camões, em Lisboa. Engenheiro Civil, na especialidade de Planeamento e Estruturas Hidráulicas pelo Instituto Superior Técnico. Chefe de Divisão da Rede de Distribuição de Água e Chefe do Setor de Exploração da Companhia das Águas de Lisboa. Co-fundador e diretor da empresa de consultadoria COBA, - Consultores para Obras, Barragens e Planeamento, S.A.. Diretor da Associação Portuguesa de Projetistas e Consultores e seu Presidente. Membro da Direção da Associação Académica do Instituto Superior Técnico, do MUD Juvenil, de cuja comissão central fez parte, e do Movimento para a Paz. Preso por duas vezes, em 1947 e 1951.

 

Lino José Góis Ferreira

Lino José Góis Ferreira

Presidente da Comissão Administrativa da Câmara de Lisboa de 20 de novembro de 1975  a 31 de dezembro de 1976

Nasceu no Funchal, Madeira, em 5 de novembro de 1936.
Licenciado em Engenharia Civil e Militar, em 1960, pelo IST e pela Academia Militar. Chefe do Serviço de Telecomunicações Militares do Comando Territorial Independente da Guiné, 1962-1964; Chefe do Serviço de TSF do Batalhão de Telegrafistas, 1966-1968; Comandante da Companhia Independente de Transmissões da Guiné, 1968-1974. Comandante das Transmissões do Btm2 da Região Militar de Moçambique, 1974-1975; Diretor do Serviço de Informática do Exército; Chefe de Divisão do EMGFA, de 1991-1992 e director interino da Arma de Transmissões.
    

Aquilino Ribeiro Machado

Aquilino Ribeiro Machado

 Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, de 4 de janeiro de 1977 a 8 de janeiro de 1980.

 Nasceu em França, em Beyris perto de Bayonne a 6 de abril de 1930 e morreu a 7 de outubro de

2012, em Lisboa.

Licenciado em Engenharia Civil pelo Instituto Superior Técnico em 1954.

Iniciou a sua vida profissional na Câmara Municipal de Lisboa em 1956 nos Serviços de Urbanização e Expropriação, e posteriormente no Gabinete Técnico de Habitação (GTH), em particular na Divisão de Equipamento Urbano. Diretor do Gabinete de Estudos e Planeamento do Fundo de Fomento de Habitação, em 1969, desempenhando funções de diretor de serviços. Foi membro do Conselho de Administração da EPUL desde 1983 até à sua aposentação.

Deputado à Assembleia Constituinte, em 1975, pelo Partido Socialista. Presidiu à Comissão do Poder Local, contribuindo para a definição e conceção da natureza do poder local inscrita na Constituição de 1976. Deputado eleito à Assembleia da República em 1976. É autor de vários artigos de opinião sobre poder local e municípios.

 

Nuno Krus Abecasis

Nuno Krus Abecasis

Presidente da Câmara Municipal de Lisboa de 8 de janeiro de 1980 a 22 de janeiro de 1990

Nasceu a 24 de outubro de 1929, em Faro, e faleceu a 14 de abril de 1999, em Lisboa. Licenciado em Engenharia Civil pelo Instituto Superior Técnico. Dirigente da Juventude Estudantil Católica (JEC) a nível nacional. Quadro da Sorefame.
Deputado. Vice-Presidente da Assembleia da República. Secretário de Estado das Indústrias Extractivas e Transformadoras, no II Governo Constitucional, no Governo de coligação entre o PS e o CDS. Fundador e primeiro presidente da UCCLA (União das Cidades Capitais Luso-Afro-Américo-Asiáticas).

Jorge Fernando Branco de Sampaio

Jorge Fernando Branco de Sampaio

Presidente da Câmara Municipal de Lisboa de 22 de janeiro de 1990 a 15 de novembro de 1995

Nasceu em Lisboa a 18 de setembro de 1939. Advogado. Licenciado em Direito. Presidente da Associação Académica da Faculdade de Direito de Lisboa de 1960-61. Secretário-geral da Reunião-Inter-Associações Académicas (RIA), em 1961 e 1962. Um dos líderes da crise académica de 1962. Defensor de presos políticos no Tribunal Plenário de Lisboa. Candidato nas listas da CDE, em 1969, à Assembleia Nacional. Fundador do Movimento da Esquerda Socialista (MES), em 1974. Fundou o Grupo de Intervenção Socialista (GIS), em 1975, fruto de uma cisão daquele. Secretário de Estado da Cooperação Externa, no IV Governo Provisório. Filiou-se em 1978, no Partido Socialista. Deputado e membro do Secretariado Nacional do PS e da Comissão Europeia dos Direitos do Homem do Conselho da Europa. Líder do Grupo Parlamentar do PS. Secretário-geral do PS. Conselheiro de Estado. Presidente da União das Cidades Capitais Luso-Afro-Américo-Asiáticas (UCCLA), e vice-presidente da União das Cidades Ibero-Americanas, Presidente do Movimento das Eurocidades, em 1990, e da Federação Mundial das Cidades Unidas (1992). Presidente da Republica de 9 de março de 1996 a 9 de março de 2006. Enviado Especial do Secretário-Geral da ONU para o combate contra a tuberculose, em maio de 2006, e Alto Representante da ONU para a Aliança das Civilizações, em abril de 2007.

João Barroso Soares

João Barroso Soares

Presidente da Câmara, de 15 de novembro de 1995 a 23 de janeiro de 2002

Nasceu a 29 de agosto de 1949, em Lisboa. Licenciado em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa. Advogado. Bolseiro, na Alemanha, da Fundação Friedrich Ebert. Fundador, com Vítor da Cunha Rego, da Editora Perspectivas & Realidades. Membro da direcção da Comissão Pró-Associação dos Liceus em 1966. Deputado, de 1987 a 1991 e de 2002 à atualidade. Deputado no Parlamento Europeu, em 1994 e 1995, cargo que acumulou com o de vereador na Câmara Municipal de Lisboa. Presidente da Federação da Área Urbana de Lisboa do PS (FAUL) de 1992 a 1994 e da Junta Metropolitana de Lisboa de 1998 a 2001. Membro do Conselho de Estado, 1999 a 2002. Concorreu à liderança do PS, em 2004. Vereador da Cultura da Câmara Municipal de Lisboa, de 1990 a 1996 e do Turismo, na Câmara Municipal de Sintra, de 2005 a 2009. Presidente da Assembleia Parlamentar da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa, (OSCE). Presidente da UCCLA de 1995 a 2002.

Pedro Miguel Santana Lopes

Pedro Miguel Santana Lopes

Presidente da Câmara Municipal de Lisboa de 23 de janeiro de 2002 a 17 de julho de 2004 e de 14 de março de 2005 até setembro

Nasceu, em Lisboa, a 29 de junho de 1956.
Licenciado em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa.
Advogado. Investigador do Instituto de Direito Europeu e do Instituto para a Investigação da Ciência Política e Questões Europeias da Universidade de Colónia como bolseiro da Deutscher Akademischer Austauschdienst. Assistente na Faculdade de Direito da Universidade Clássica de Lisboa, na Universidade Moderna e na Universidade Lusíada.
Filiado no Partido Social Democrata, desde 1976. Adjunto do ministro-adjunto do Primeiro-Ministro do IV Governo Constitucional, 1978 a 1979 e assessor jurídico do Gabinete do Primeiro-Ministro do VI Governo Constitucional 1980 a 1981. Secretário de Estado da Cultura nos XI e XII Governos Constitucionais de 10 de janeiro de 1990 a dezembro de 1994 e de 5 de novembro de 1991 a 30 de dezembro de 1993, respectivamente. Deputado à Assembleia da República. Deputado ao Parlamento Europeu de 1987 a 1989. Presidente da Câmara Municipal da Figueira da Foz de 1998 a 2001. Presidente da União das Cidades Capitais Luso-Afro-Américo-Asiáticas (UCCLA) de 2002 a 2004. Presidente do Partido Social Democrata em 2004. Primeiro-ministro do  XVI Governo Constitucional de 28 de Junho de 2004 a 12 de março de 2005, sendo substituído por António Pedro Nobre Carmona Rodrigues na Câmara Municipal de Lisboa. Vereador da Câmara Municipal de Lisboa desde 3 de novembro de 2009 e Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, nomeado a 23 de setembro de 2011.


António Pedro de Nobre Carmona Rodrigues

António Pedro de Nobre Carmona Rodrigues

Presidente-substituto de 17 de julho de 2004 a 14 de março de 2005
e Presidente de 28 de outubro de 2005 a 18 de maio de 2007

Nasceu, em Lisboa, a 23 de junho de 1956.
Licenciado em Engenharia Civil em 1978. Diplomado em Hydraulic Engineering, em Delft, Holanda, em 1982 e doutorado em Engenharia do Ambiente em 1992, na Universidade Nova de Lisboa. Professor de Hidrologia e de Hidráulica nas licenciaturas em Engenharia do Ambiente na Faculdade de Ciências e Tecnologia. Presidente da Associação Portuguesa dos Recursos Hídricos de 2000 a 2002. Membro do Conselho Nacional da Água.
Ministro das Obras Públicas, Transportes e Habitação  do  Governo de Durão Barroso em 2003 e 2004. Vice-Presidente da Câmara Municipal de Lisboa em 2002 e 2003 e Vereador de 1 de agosto de 2007 a 3 de novembro de 2009.

Marina João da Fonseca Lopes Ferreira

Marina João da Fonseca Lopes Ferreira

Presidente da Comissão Administrativa da Câmara Municipal de Lisboa de 18 de maio a 1 de agosto de 2007

Nasceu em Lisboa em 1959. Licenciada em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa em 1982. Pós-graduação, em 1996, em Assuntos Europeus pela Universidade Lusíada de Lisboa. Militante do PSD.
De 1989 a 1991, diretora de pessoal da CARRIS. Chefe de Gabinete de Eduardo Azevedo Soares, Ministro do Mar, no XII Governo Constitucional, e negociadora da revisão do tratado de adesão à CEE. Secretária-adjunta do PSD, entre 1995 e 1997.
De 2003 a 2005, Presidente da Autoridade Metropolitana de Transportes de Lisboa.
Vereadora e vice-presidente da Câmara Municipal de Lisboa, durante o mandato de Carmona Rodrigues, entre 2005 e 2007, responsável pelos pelouros de Mobilidade, Recursos Humanos, Património e Protecção Civil. Presidente da EMEL (Empresa Municipal de Estacionamento de Lisboa) de 2006 a 2008. Regressou à CARRIS e desempenha actualmente funções como Presidente do Conselho de Administração do Porto de Lisboa.

António Luís dos Santos Costa

António Luís dos Santos Costa

Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, desde 1 de Agosto de 2007 até ao presente

Nasceu a 17 de Julho de 1961, em Lisboa. Licenciado em Ciências Jurídico-Politicas pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa. Membro da direcção da Associação Académica da Faculdade de Direito, de 1982 a 1984, e director da sua revista, de 1986 a 1987. Pós-graduação em Estudos Europeus pela Universidade Católica de Lisboa.
Filiado no Partido Socialista. Secretário coordenador da FAUL, de 1990 a 1992. Membro do Secretariado Nacional do PS desde 1994. Deputado à Assembleia Municipal de Lisboa de 1982 a 1993. Deputado à Assembleia da República desde 1991. Vereador da Câmara Municipal de Loures, de 1993 a 1995. Secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, de 1995 a 1997. Ministro dos Assuntos Parlamentares, de 1997 a 1999. Ministro da Justiça de 1999 a 2002. Membro do Governo responsável pela Expo’98, em 1997. Presidente do Grupo Parlamentar do PS, de 2002 a 2004. Deputado e Vice-presidente do Parlamento Europeu, em 2004 e 2005. Ministro da Administração Interna e Ministro de Estado, no governo de José Sócrates, de 2005 a 2007.