Bairro Azul

Fechar
Bairro Azul

Edificado por construtores e engenheiros civis, dos quais se destaca A. J. Ávila Amaral, nos anos 30 do séc. XX, foi posteriormente ampliado na década de 60, mantendo-se o essencial do bairro sem alterações. O Bairro Azul, assim designado devido à cor das persianas dos edifícios, foi concebido no âmbito de uma urbanização mais vasta, apelidada de Bairro de França, que fora projetada no anos 20 para a zona de Palhavã. Essa urbanização nunca viria a ser concretizada, tendo sido edificadas apenas três ruas - Rua Fialho de Almeida, Avenida Ressano Garcia e Avenida Ramalho Ortigão -, que estruturaram o Bairro Azul, justificando assim a sua implantação em triângulo. Estas ruas encontram-se organizadas paralelamente entre si, separadas por prédios de gaveto, onde, pela sua monumentalidade, se evidenciam os dois edifícios que definem a artéria central e que funcionam como uma espécie de entrada ou fachada nobre. Ambos apresentam uma linguagem muito semelhante, rematados por frontão triangular e galerias de cobertura suportadas por colunas. Uma orgânica idêntica é exibida pelos outros dois edifícios que definem o início das artérias laterais do bairro. Classificado como Conjunto de Interesse Municipal, trata-se de um conjunto arquitetónico modernista, de grande unidade e homogeneidade, caracterizado por tipologias ao nível do prédio de rendimento, onde a linguagem Art Déco se afirma definitivamente, caracterizada pelo seu geometrismo e linhas retas.

Localização

Rua Ramalho Ortigão; Avenida António Augusto de Aguiar; Avenida Ressano Garcia; Rua Fialho de Almeida; Rua Marquês de Fronteira
Lisboa

Freguesia: Avenidas Novas

Coordenadas: 
Data de actualização:
2019