Edifício da Imprensa Nacional-Casa da Moeda/Palácio de D. Fernando Soares de Noronha

Fechar
Edifício da Imprensa Nacional-Casa da Moeda/Palácio de D. Fernando Soares de Noronha
Edifício da Imprensa Nacional-Casa da Moeda/Palácio de D. Fernando Soares de Noronha
Edifício da Imprensa Nacional-Casa da Moeda/Palácio de D. Fernando Soares de Noronha
Edifício da Imprensa Nacional-Casa da Moeda/Palácio de D. Fernando Soares de Noronha
Edifício da Imprensa Nacional-Casa da Moeda/Palácio de D. Fernando Soares de Noronha
Edifício da Imprensa Nacional-Casa da Moeda/Palácio de D. Fernando Soares de Noronha
Edifício da Imprensa Nacional-Casa da Moeda/Palácio de D. Fernando Soares de Noronha


Criada em 1769, a Impressão Régia, também conhecida por Régia Oficina Tipográfica, adquiriu, a partir de 1833, a designação definitiva de Imprensa Nacional. Em 1972 assistiu-se à sua fusão com a Casa da Moeda dando origem à Imprensa Nacional-Casa da Moeda, E.P., que em 1999 passou a S.A.. Instalou-se inicialmente na oficina tipográfica de Miguel Manescal da Costa e no Palácio quinhentista de D. Fernando Soares de Noronha, no sítio da Cotovia, o qual, pouco afectado pelo Terramoto de 1755, possuía as dimensões e estrutura adequadas à nova função. Em 1895, este edifício, já não respondendo às necessidades de um estabelecimento fabril em contínuo desenvolvimento, começou a ser demolido, com o objectivo de dar lugar ao actual. A obra, faseada ao longo do tempo, ficou concluída em 1913. Em Vias de Classificação, tem projecto original do arq. Domingos Parente da Silva, o qual foi objecto de alterações por parte dos engs. Vítor Gomes Encarnação, Veiga da Cunha e António Luís Ramos, responsáveis pela direcção da construção das diversas alas. O edifício, estruturado em quatro grandes corpos interligados por escadas, corredores cobertos e galerias, apresenta dois corpos centrais, de menores dimensões, unidos pelo anexo construído entre eles. A fachada principal, virada à Rua da Escola Politécnica, organizada em dois pisos, surge rasgada por grandes janelas, de verga recta e cornija saliente no 1º piso e de verga em arco de volta inteira no 2º piso. O pano central da fachada, mais avançado em relação aos restantes, surge dividido por pilastras de cantaria com capitéis no topo, sendo rematado por cornija saliente prolongada pelo edifício, com platibanda interrompida ao centro por frontão circular com tímpano decorado. O portal principal, encimado por frontão circular, evidencia em termos estéticos uma interpretação da arquitectura pombalina. Actualmente, continua a laborar no mesmo local, embora o edifício tenha sido objecto de profundas alterações em virtude da necessária adaptação aos novos tempos e modernas tecnologias.

 

Contacto

  +351 213 945 700
https://www.incm.pt

Localização

Rua da Escola Politécnica, 137
Lisboa

Freguesia: Santo António

Coordenadas: 
Data de actualização:
2019