Quinta das Águias

Fechar
Quinta das Águias
Quinta das Águias
Quinta das Águias
Quinta das Águias
Quinta das Águias
Quinta das Águias
Quinta das Águias
Quinta das Águias
Quinta das Águias


Imóvel de Interesse Público, a Quinta das Águias ou de Diogo Mendonça, onde se insere o palácio, teve a sua origem no aforamento parcelar do domínio dos Saldanha e Albuquerque. O núcleo primitivo da atual edificação, datado de 1713, foi adquirido por Diogo de Mendonça Corte-Real, filho do Estadista homónimo, Secretário de Estado de D. João V, em 1731, que terá realizado profundas obras na casa e na propriedade, datando dessa época a construção da capela, assim como o delineamento do jardim. Tendo passado por várias mãos, a quinta veio a ser adquirida, em 1841, por José Dias Leite Sampaio, Visconde da Junqueira, e já no séc. XX pelo Dr. Fausto Lopo Patrício de Carvalho, que efetuou uma intervenção profunda com a ajuda dos arquitetos Vasco Regaleira e Jorge Segurado. O palácio, de planta regular em forma de quadrilátero, desenvolve-se através de um conjunto de volumes de três pisos, articulados entre si, realçado nos cantos por torreões salientes de secção quadrada, cujas coberturas, de telha vidrada com beirais salientes, em tronco de pirâmide com mansardas, são sobrepostas por pirâmides de maior abertura. Na fachada principal, de dois andares e mansarda, o avanço dos torreões formou uma reentrância que corresponde a um alpendre, cuja zona central, apresenta uma arquitrave, em curva, que acompanha a elevação da entrada nobre, de arco de volta inteira, com frontão triangular sobre pilastras. No interior merecem especial referência: a capela, datada de 1748, de planta quadrada, com galeria superior limitada por balaustrada de madeira e silhares de azulejos setecentistas, com pintura ornamental polícroma na sanca e uma pintura atribuída a Quillard; a porta do átrio, guarnecida a cantaria e enriquecida por portal de ferragem portuguesa, da autoria de Vasco Regaleira, rematado pela águia heráldica dos Sampaios; e várias salas com tetos de estuque branco relevados. O jardim apresenta traçado setecentista, com muretes de azulejos azuis e brancos representando cenas de caça, bustos de mármore e espécies vegetais notáveis.

Localização

Calçada da Boa-Hora, 29; Rua da Junqueira, 138; Calçada da Boa-Hora, 1; Calçada da Boa-Hora, 3-5
Lisboa

Freguesia: Alcântara

Coordenadas: 
Data de actualização:
2019