Quinta dos Condes de Carnide, incluindo o palácio, as dependências agrícolas, o jardim e a mata

Fechar

A Quinta dos Condes de Carnide integra o conjunto Carnide-Luz, lugar muito antigo, que se evidenciou por ser um importante ponto de passagem (estrada de ligação Lisboa-Belas), pela sua potencialidade agrícola e pastorícia, pela planura dos terrenos e pela abundância de água e "bons ares", que, desde cedo, favoreceram a aquisição de várias propriedades por parte da Igreja, da nobreza e até da Casa Real, contribuindo para nobilitar este local. Atualmente, a dimensão da propriedade é muito menor relativamente à propriedade original, que se estendia até à Quinta do Bom Nome (a Poente), à Quinta da Granja de Baixo (a Sul) e à Azinhaga da Fonte (a Nascente). As casas primitivas desta quinta remontam a finais do séc. XVII, tendo sido objeto de várias intervenções ao longo do tempo, nomeadamente no terceiro quartel do séc. XVIII, por iniciativa do proprietário à data, o Cónego António José da Cruz, resultando um palácio sóbrio e austero, ao gosto pombalino; na segunda metade do séc. XIX, por iniciativa do 1º Visconde de Carnide, Dr. José Street de Arriaga e Cunha, o referido palácio foi ampliado em altura, adquirindo um novo andar na sua metade poente, e conheceu uma reformulação do seu interior; no séc. XX, em 1957, após um violento incêndio, o palácio foi objeto duma campanha de obras, segundo projeto do arquiteto Vasco Regaleira, que procurou recuperar a sua estrutura setecentista e lhe imprimiu a sua linguagem arquitetónica atual, traduzida numa fachada mais uniforme e simétrica, com um aspeto compacto e altivo. Assim, o palácio, enquadrado por dependências agrícolas e virado a nascente para o Largo do Jogo da Bola, apresenta planta retangular alongada e volumetria paralelepipédica. A sua fachada principal, desenvolvida em dois pisos, separados por friso, evidencia um desenho sóbrio, ritmado e regular, organizado em cinco corpos, separados por pilastras de cantaria sobrepujadas por pináculos piramidais, onde se rasgam três portais ao nível do 1º, 3º e 5º tramos. Numa tentativa de simetria, os tramos dos extremos encontram-se estruturados com portal e janela unidos por avental de cantaria. O alçado posterior está intimamente relacionado com o jardim formal de buxo, de cariz barroco, desenvolvido contiguamente e rematado a poente por uma mata. Uma interessante e original escadaria barroca, de dois tramos circulares, articula, a eixo, o piso nobre com o referido jardim, organizado em redor de um pequeno tanque circular, também em posição central. Painéis de azulejos setecentistas monócromos pontuam o jardim. Por sua vez, o interior encontra-se estruturado em função do átrio de entrada, (a antiga "Sala Grande"), a partir do qual se distribui o acesso às duas alas térreas, ao jardim e à escadaria interior, de dois lanços, que permite aceder ao piso nobre e às salas de maior aparato. Ao nível do piso térreo merecem destaque a ampla cozinha e o revestimento dos principais espaços com silhares de azulejos. A Quinta dos Condes de Carnide, incluindo o palácio, as dependências agrícolas, o jardim e a mata, encontra-se Em Vias de Classificação. Integra, ainda, a Zona Antiga de Carnide-Luz, que também está Em Vias de Classificação.

 

Localização

Largo do Jogo da Bola, 6-12; Largo do Malvar, 2-3; Rua Maria Brown, S/N; Rua Guiomar Torresão, S/N
Lisboa

Freguesia: Carnide

Coordenadas: 
Data de actualização:
2019