Lisboa Talks

No quadro de uma nova agenda para o conhecimento, a inovação e a competitividade da cidade de Lisboa e visando aprofundar o conhecimento sobre a economia da cidade, a Câmara Municipal de Lisboa tem realizado uma série de encontros, denominados Lisboa Talks. 

Lisboa Talks assumem-se como espaços de partilha de conhecimento e experiências sobre a economia e a estratégia da cidade de Lisboa, possibilitando a discussão sobre trabalhos realizados ao longo dos últimos anos por um conjunto diversificado de especialistas e atores e, sobretudo, abrindo um novo espaço de reflexão aberta e participada sobre a ação da Câmara Municipal de Lisboa nas áreas da economia, inovação e empreendedorismo.

As sessões têm por objetivo aprofundar o diálogo entre o Município, especialistas de reconhecido valor na área da economia e da inovação na cidade e cidadãos interessados em participar ativamente nas dinâmicas de desenvolvimento da cidade.

5ª Study Talk

LISBOA, CIDADE ATRATIVA PARA OS ESTUDANTES E INVESTIGADORES INTERNACIONAIS

15.novembro.2017 | Paços do Concelho

Conversa com a participação:

- Paulo Soeiro de Carvalho, Diretor Municipal de Economia e Inovação

- José Trindade, Presidente da  Erasmus Student Network 

- Anabela Possidónio, The LIsbon MBA

- Luís Ferreira, Vice Reitor da Universidade de Lisboa

- Miguel Santo Amaro, CEO da Uniplaces

TEMA: Transformar lisboa num íman de talento europeu no futuro, não só para estudar, mas também para pesquisar, trabalhar, investir, empreender e viver.

4ª Study Talk

DE ESTUDANTE A EMPREENDEDOR EM LISBOA: EXPERIÊNCIAS NOUTRAS LÍNGUAS

06.maio2016 | Sunset Hostel Destination

Realizou-se  no terraço do “Sunset Hostel Destination,” no Cais do Sodré, a quarta Study in Lisbon Talk, uma conversa aberta em torno do tema “De Estudante a Empreendedor em Lisboa: Experiências noutras línguas”. À conversa estiveram Kiruba Eswaram da Zaask, Yoann Nesme da PPL – Crowdfundig Portugal e Mario Rueda da Book a Street Artist. A moderação da conversa esteve a cargo de Rui Coelho, da Invest Lisboa.

A descontraída conversa teve como mote, a partilha de testemunhos e experiencias de jovens empreendedores estrangeiros a viver em Lisboa, que tenham estudado na cidade. 

A ideia foi a de compartilharem experiências enquanto estudantes, da vivência de cidade, do que os fez ficar e de como é ser estrangeiro e empreendedor nesta capital europeia.

Entre as conclusões em torno deste tema, destaca-se a necessidade de cada vez mais fomentar a integração, no panorama empreendedor da cidade, de estudantes que optam por Lisboa como base da sua formação académica. Desta forma, criando condições para a esta plena integração e aproveitando todas as mais-valias da cidade, desenvolve-se o setor empresarial de Lisboa.

3ª Study Talk

A GERAÇÃO ERASMUS E O PAPEL DAS CIDADES NA ATRAÇÃO DE ESTUDANTES INTERNACIONAIS 

05.nov.2015 | Atmosfera m

Realizou-se  no auditório da “Atmosfera m” na Rua Castilho a terceira Study in Lisbon Talk, uma conversa aberta em torno do tema “A Geração Erasmus e o Papel das Cidades na Atração de Estudantes Internacionais”. À conversa estiveram Joana Mira Godinho, da Agência Nacional Erasmus +, Inês Sá da Erasmus Student Network (ESN) Lisboa e Gonçalo Lobo Xavier, em representação do Comité Económico e Social Europeu.

Paulo de Carvalho, Diretor Municipal da área do Conhecimento e Inovação, deu as boas vindas aos presentes e aproveitou para fazer o lançamento oficial do “Procura o teu Curso”, uma ferramenta que passou a estar disponível no site Study in Lisbon e que vai permitir a todos aqueles que querem estudar em Lisboa, pesquisar a oferta educativa das instituições de ensino superior participantes.

Entre os temas abordados, Joana Mira Godinho apresentou o trabalho da Erasmus +, um programa que pretende fomentar a mobilidade entre pessoas, empresas e instituições na Europa, com a disponibilização de linhas de financiamento e com o objetivo de fomentar o espirito europeu. Gonçalo Lobo Xavier, partilhando a mesma visão, e como representante do órgão consultivo europeu da sociedade civil, congratulou a autarquia pelo desenvolvimento deste projeto, comprometendo-se a apresenta-lo em Bruxelas como exemplo de uma boa prática desenvolvida para os cidadãos e ainda a propor ao Comité o desenvolvimento de um relatório sobre o tema da atratividade das cidades e a sua contribuição para o conceito de cidadania na Europa. Inês Sá apresentou a ESN, uma organização sem fins lucrativos, constituída por estudantes, que faz o acolhimento aos estudantes internacionais que chegam a Lisboa, e que desenvolvendo programas culturais e de lazer específicos para este público, pretende dar aos estudantes que chegam a Lisboa “a melhor experiência das suas vidas”.

Entre as conclusões em torno deste tema, destaca-se a necessidade das cidades trabalharem em rede e de Lisboa reforçar a qualidade da oferta de ensino superior e das suas instituições, fator mais relevante para quem procura um destino de estudo internacional, e ainda de alargar as opções de financiamento disponíveis, com bolsas, empréstimos ou outras formas de financiamento para quem escolhe a nossa cidade para estudar. 

Foi ainda apresentado durante a sessão o novo Guia do Estudante Universitário, publicação bilingue, com informações práticas para os estudantes que escolhem estudar na cidade de Lisboa.

 

2ª Study Talk

COMO TRAZER TALENTOS CIENTÍFICOS PARA LISBOA?

26.mar.2015 | Biblioteca Camões

Para debater a forma como é possível atrair e reter talentos científicos na cidade de Lisboa, os professores António Coutinho e Edgar Gomes foram os oradores convidados da segunda Study in Lisbon Talks realizada em 26 de março na Biblioteca Camões. Paulo Soeiro de Carvalho, diretor municipal da Economia e Inovação, participou também no debate, moderado por Suzana Corvelo, diretora do departamento de Inovação e Setores Estratégicos.

António Coutinho, cientista doutorado em Microbiologia Médica e atualmente membro do Conselho de Curadores da Fundação Champalimaud, considera que a capital portuguesa tem todas as condições para atrair e reter talentos, também pela localização, o clima e as pessoas mas sobretudo pelas suas instituições, que precisam ter qualidade. E esse é o fator principal, de resto as universidades, o Instituto Gulbenkian de Ciência ou a Fundação Champalimaud são alguns exemplos.

Este é um tema fundamental, afirma o professor catedrático, pois “ciência, tecnologia e inovação são fonte última de todo o progresso socio-económico”. É preciso estarmos atentos à renovação das instituições e à sua qualidade, diz, frisando que o que atrai os talentos científicos não são as questões pecuniárias mas sim os meios para trabalhar e a apresentação de desafios aliciantes.

António Coutinho recorre ainda a exemplos internacionais, como França e Suécia, para salientar que o apoio público à investigação é fundamental, e nesse caso a Câmara de Lisboa vai no bom caminho, considera. No entanto é preciso criar ainda condições e o cientista deixa como sugestões a criação de residências que possam acolher investigadores internacionais em deslocações para conferências e a criação de estruturas que apoiem quem se queira fixar na cidade, como compra de casa e aspetos burocráticos. 

Opinião secundada por Edgar Gomes, licenciado em Bioquímica e doutorado em Biologia Celular, que lembra a sua experiência em Paris: “a Câmara convida anualmente todos os estudantes e investigadores estrangeiros para uma receção no salão nobre e isso fez-me sentir bem-vindo.”  

Também a criação de bolsas para projetos “novos, diferentes e arriscados que atraiam novas pessoas” é um exemplo que o investigador e atual diretor de um laboratório no Instituto de Medicina Molecular em Lisboa apresenta como sugestão. “Paris faz e a Câmara de Oeiras também já o faz”.

1ª Study Talk

LISBOA, PÓLO DE ATRAÇÃO DE ESTUDANTES INTERNACIONAIS

08.jan.2015 | Paços do Concelho, Sala do Arquivo

Estratégias para atrair estudantes estrangeiros e estratégias para manter na cidade estudantes em final de ciclo de estudos.

A primeira Study in Lisbon Talk abordou o tema da atração de estudantes e investigadores estrangeiros para a cidade. 

A iniciativa decorreu na sala do arquivo dos Paços do Concelho e contou com a participação da vereadora da Economia e Inovação, Graça Fonseca, o diretor municipal de Economia e Inovação, Paulo Soeiro de Carvalho, bem como os convidados, Mariano Gago, ex-ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior e Michael Baum, diretor do programa “Study in Portugal network”. Na ocasião, os atuais parceiros do projeto Study in Lisbon, assinaram os respetivos protocolos de cooperação.

Após uma breve apresentação da plataforma realizada por Paulo Soeiro de Carvalho, a vereadora Graça Fonseca fez questão de explicar um pouco como surgiu a necessidade de criar este projeto. “Lisboa tem tudo a ganhar se juntar a sua qualidade de ensino com a qualidade de vida que tem. Hoje em dia, quem opta por ir viver, estudar ou trabalhar para outra cidade não pensa só na empresa ou na universidade mas sim, na cidade, na localização. Se as universidades e a Câmara estiverem juntas apresentando a cidade e as suas instituições de ensino temos uma maior capacidade de atrair estudantes para a cidade de Lisboa”.

O Professor Mariano Gago explicou alguns dados de um estudo que realizou, referente ao período entre 1999 e 2009, sobre “Portugal e Lisboa como atratores de cientistas estrangeiros” onde mostra que o crescimento de investigadores estrangeiros na cidade tem crescido de forma muito significativa.

Michael Baum, diretor do programa Opens external link in new windowStudy in Portugal network falou um pouco sobre o programa que está a desenvolver destinado a estudantes universitários norte-americanos, em que se incluem os luso-descendentes e que tem como objetivo “aumentar a percentagem de alunos norte-americanos que escolhem Portugal como destino académico”.