Orçamento municipal dá prioridade à habitação

17, Outubro 2019
Habitação, mobilidade e estratégias para o desenvolvimento de uma cidade cada vez mais sustentável, são as grandes apostas da autarquia para 2020.
  • Vice presidente da CML João Paulo Saraiva na apresentação do Orçamento 2020
    Vice presidente da CML João Paulo Saraiva na apresentação do Orçamento 2020
  • Apresentação do Orçamento 2020
    Apresentação do Orçamento 2020
  • Apresentação do Orçamento 2020
    Apresentação do Orçamento 2020

A Câmara Municipal de Lisboa apresentou um orçamento municipal de 1,3 mil milhões de euros para 2020, mais 8,2% do que no ano anterior, dando prioridade à habitação, à mobilidade e às estratégias para o desenvolvimento de uma cidade sustentável, de que é exemplo a Lisboa Capital Verde Europeia 2020.

Já o orçamento consolidado (onde são consideradas as contas da autarquia em conjunto com as empresas municipais) tem um valor de 1,52 mil milhões de euros, mais 4,7% do que em 2019.

Na habitação o município vai apostar nos programas de Renda Acessível e no Subsídio de Arrendamento, bem como na reabilitação de fogos municipais. Na apresentação do orçamento de 2020 o vice-presidente João Paulo Saraiva anunciou que a autarquia vai aumentar a taxa do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) para os prédios devolutos nas zonas de maior pressão urbanística.

Na área da mobilidade vão ser criadas mais acessibilidades pedonais e mais ciclovias e serão reforçados os autocarros e as bicicletas GIRA.

No âmbito de Lisboa Capital Verde Europeia 2020 há verbas para a criação de novas áreas e corredores verdes, maior eficiência energética na iluminação pública e nos edificios, mais e melhor higiene urbana.

Mais informações aqui.