Que Futuros para Lisboa?

12, Julho 2018
A Câmara Municipal, através do Museu de Lisboa, apresenta Futuros de Lisboa, uma exposição que reflete e perspetiva o futuro da cidade. Patente no Torreão Poente da Praça do Comércio entre 13 de julho e 18 de novembro.

A vereadora da Cultura da Câmara Municipal de Lisboa, Catarina Vaz Pinto, participou em 12 de julho na inauguração da exposição Futuros de Lisboa, uma iniciativa que pretende levantar questões e apresentar ideias na conjugação de três elementos: Lisboa, Cidade e Futuro, num tempo de profundas alterações como o que hoje vivemos.

Para Catarina Vaz Pinto, que agradeceu o trabalho “fantástico” da diretora do Museu e da sua equipa, dos três comissários e de todos os que tornaram possível este projeto, “esta é uma exposição muito inesperada. É uma notável iniciativa que com a sua capacidade interpelativa nos leva a ficar mais ricos a nível cultural, da participação na cidade e nas comunidades. Há pedagogia, uma excelente provocação em cada um de nós, como saber, por exemplo, o que fazer aos plásticos, aos sapatos, às coisas que todos temos lá em casa ”, salientou.

Dividida por dois pisos e dez salas, esta mostra, que nos reflete variadas perspetivas através de uma equipa multidisciplinar de comissários, João Seixas, Manuel Graça Dias e Sofia Guedes Vaz, onde se juntam reflexões de diversos ensaístas convidados e de muitos cidadãos que contribuíram com as suas ideias, através de um convite dirigido aos alunos das escolas e ao público em geral no site do Museu de Lisboa.

Não propõe cenários concretos de futuro, abre antes uma ampla base de interpelação e interrogação a cada visitante, em várias dimensões: Como se pensa e como se tem pensado o Futuro? Como se pensa e se tem pensado a Cidade? O que se poderá afigurar como mais fundamental na construção de futuros para a cidade de Lisboa?

Através de imagens, vídeos, fotografias, documentos, objetos tecnológicos e obras de arte, a exposição leva-nos numa viagem desde o Futuro ao Longo do Tempo, passando pelo Futuro do Passado, pelas Dificuldades em Prever o Futuro, ao Futuro que Já Cá Está, e até ao Futuro Inevitável, terminando na sala dos Pilares de Lisboa.

Em abordagens multidisciplinares, ora otimistas ora pessimistas, as temáticas da ecologia e da sustentabilidade, da inovação e da criatividade, da coesão e da justiça estão sempre presentes. O público poderá encontrar documentação fotográfica e multimédia das coleções do Museu de Lisboa, mas também de coleções privadas, objetos do quotidiano da vida urbana em Lisboa e materiais relativos a importantes experiências científicas levadas a cabo por universidades de Lisboa, em áreas tão diversas como os sistemas de informação, robótica, energia, ecologia, comunidade e cidadania.

O custo da entrada é de três euros e as visitas decorrem de terça a domingo das 10h às 18h; último acesso às 17h30, com descontos disponíveis aqui.