Ambiente, Município

Água Sobre Rodas já matou a sede a quase dez mil pessoas

03, Agosto 2018
A carrinha Pão de Forma está agora na Torre de Belém e é um sucesso. O objetivo é apelar ao consumo de água da torneira, pela afirmação da sua qualidade, nesta cidade recentemente distinguida com o galardão Capital Europeia Verde 2020.

O sol chegou em força, por estes dias aperta o calor e nada melhor para matar a sede do que a água. Sorte a de quem visita a Torre de Belém, pois junto à réplica do hidroavião que transportou Gago Coutinho e Sacadura Cabral na primeira travessia aérea do Atlântico Sul, o precioso líquido é oferecido literalmente sobre rodas, numa carrinha Pão de Forma itinerante que neste verão já saciou quase dez mil pessoas.

Água Sobre Rodas é um projeto da EPAL em parceria com a Câmara de Lisboa e a agência Lisboa E-Nova, que apela ao consumo de água da torneira e começou em finais de junho, na Avenida da Liberdade, onde esteve até meados do mês passado. Aí foram servidos cerca de cinco mil copos de água, simples ou com aromas, número que aumenta de dia para dia.

Esclarecer e sensibilizar

Está há pouco mais de uma semana na Torre de Belém e Marcos Sá, diretor de Comunicação e Educação Ambiental da EPAL, adianta que brevemente serão atingidas dez mil pessoas. Mas vai mais longe, pois afirma-se seguro que o número será duplicado até ao final da “viagem”, ainda com passagens previstas pela Rua Augusta (13 de agosto a 1 de setembro) e Parque Eduardo VII (entre 3 e 20 de setembro).

Marta e Andreia são duas das jovens que na pão de forma servem a água a quem por ali passa, com gelo porque frescura é o que se pede quando o sol escalda, mas também em variantes de sabores - laranja, limão, canela, hortelã, ananás, lima e alecrim. Uma boa parte dos  “clientes” são turistas, chegam a fazer fila, e Marta revela que muitos ficam surpreendidos pelo facto de se tratar de água da rede. “As pessoas quando viajam não sabem se podem beber água da torneira, nós explicamos que tem qualidade e eles mudam de ideias”. 

O objetivo é sensibilizar para a qualidade, importância e uso eficiente da água, por trás da carrinha é bem visível a canalização que liga à rede pública e esse é também um alvo de curiosidade. Mas há outro. Perfiladas sob o balcão estão as Fill Forever, as garrafas da EPAL 100 por cento ecológicas e reutilizáveis, que ali são vendidas a um euro e meio. Enchidas diretamente na torneira ou pelos jarros com as variantes aromatizadas, o apelo é que as levem e as reutilizem, enquanto por ali andarem podem abastecer as vezes que quiserem. “Há pessoas que vêm duas e três vezes”, explica Andreia. 

Qualidade garantida

Já foram vendidas cerca de 1 500 garrafas e Marcos Sá sublinha que esse foi o número alcançado em três meses durante a iniciativa Pátio da Água, inaugurado em 2016. “A adesão é forte”, diz,  seja para beber a água, seja para comprar a garrafa, que basicamente serve para cumprir um conceito de sustentabilidade”. Conceito que de resto é também aplicado aos copos em que é servido o líquido H2O, pois são de papel, biodegradáveis. 

O dirigente lembra que Lisboa foi distinguida recentemente com o galardão Capital Verde Europeia 2020 e também por isso a iniciativa faz mais sentido. O conceito é o da sustentabilidade e o objetivo é “educar”, por isso futuramente o modelo passará por manter um espaço físico na Avenida da Liberdade e um ponto móvel que passe por outros locais da cidade. 

Porque, diz, é importante dizer às pessoas que “a nossa água é de qualidade, estamos completamente à vontade para beber água da torneira. Seja no restaurante, no hotel ou em casa”. Confiança, garantia e qualidade são por isso palavras chave, “temos uma das melhores águas da Europa e do mundo”, remata. 

___________ 

Concurso Instagram 

A EPAL promove ainda um concurso de Instagram com o tema “Eu bebo água da torneira”, destinado a participação exclusivamente individual e gratuita. Os prémios são de 1 000 euros (1.º), 750 euros (2.º) e 250 euros 3.º) em vales FNAC, poderão ainda ser atribuídas três menções honrosas, premiadas com a garrafa Lisbon Soul, desenhada pelo arquiteto Siza Vieira.

Consulte aqui o regulamento

 

Mais notícias sobre:
Ambiente, Município