Habitar, Misericordia, Município

Entregues as primeiras casas municipais no centro histórico

17, Julho 2018
Foram hoje, dia 17 de julho, entregues as primeiras 52 chaves aos moradores do Programa "Habitar o Centro Histórico". Uma iniciativa da CML que disponibiliza 100 habitações municipais aos moradores dos bairros históricos, em risco de ficar sem contrato de arrendamento.
  • Entregues as primeiras casas municipais no centro histórico
    Entregues as primeiras casas municipais no centro histórico

Acompanhado da Vereadora da Habitação, Paula Marques e dos Presidente das juntas de freguesia de Santa Maria Maior e da Misericórdia, Miguel Coelho e Carla Madeira, o presidente da Câmara Municipal de Lisboa esteve na Rua do Recolhimento onde entregou simbolicamente a primeira chave à Dª Maria Simões Francisco, seguindo-se depois uma “visita” à nova casa do Sr. António Caldeano, na Calçada de São Vicente.

Para Fernando Medina “este é um momento de especial importância perante a grave crise que vivemos no acesso à habitação e que só a alteração da lei do arrendamento permitirá recuperar alguma normalidade no mercado de arrendamento em Lisboa. É necessário que sejam criados incentivos para que os arrendatários coloquem os imóveis em contratos de longa duração.”

Para o presidente da capital a CML tem uma palavra a dizer para combater forma a combater esta situação “estamos a recuperar 630 casas do património municipal que serão entregues até setembro com rendas acessíveis que as pessoas possam pagar e que irão beneficiar mais de 2 mil pessoas .”

As primeiras 52 chaves

Depois da deslocação até São Vicente para a entrega da casa à Dª Maria Rosa Marques pela vereadora Paula Marques e pela presidente da junta de freguesia, Natalina Moura, foi tempo para seguir até à Misericórdia.

No centro cultural das Gaivotas, as restantes 46 famílias que receberam uma nova habitação no âmbito do programa municipal Habitar o Centro Histórico assinaram os seus contratos e receberam chaves.

A cerimónia, que Paula Marques dedicou a João Semedo, contou com a presença de Carla Madeira, presidente da junta de freguesia da Misericórdia, e Inês Carrolo, representante da Junta de freguesia de Santo António. Foi o final da primeira fase de entrega de chaves deste programa de habitação municipal destinado a moradores do centro histórico, que assim puderam continuar a viver nestas áreas da cidade.     

Habitar o Centro Histórico

Este primeiro concurso envolveu 100 habitações, que terminou a 5 de maio e foi direcionado para as freguesias de Santo António, S. Vicente, Misericórdia e Santa Maria Maior 

Candidataram-se ao Programa Habitar no Centro Histórico 110 famílias sendo que a maioria indicou necessitar de T1 e T2.

Para se poderem candidatar, as famílias em causa tinham de ter um contrato de arrendamento nas freguesias abrangidas há mais de 5 anos e de residir numa das quatro freguesias referidas há pelo menos 10 anos. Era ainda necessário estar em risco de comprovada perda de habitação por despejo ou oposição ao contrato.

O Programa Habitar o Centro Histórico é uma das várias iniciativas que têm vindo a ser delineadas pela autarquia para criar condições que permitam às pessoas continuar a viver em Lisboa a preços acessíveis. 

A CML está ainda a apostar na construção de centenas de fogos para colocar no mercado no âmbito do Programa Renda Acessível.

  

Mais notícias sobre:
Habitar, Misericordia, Município