Ambiente

Resultado do Inquérito sobre os Espaços verdes de Lisboa

30, Agosto 2018

No âmbito do projeto Europeu GREEN SURGE e do Plano de Ação Local para a Biodiversidade 2020 da Câmara Municipal de Lisboa, o Centro de Ecologia, Evolução e Alterações Ambientais (cE3c) da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, em colaboração com a CML, realizaram um inquérito sobre os espaços verdes mais frequentados na cidade de Lisboa e as razões dessa escolha.

Aderiram ao inquérito 2091 pessoas, dos quais 51% são mulheres e os restantes homens, que na sua maioria encontram-se na faixa etária dos 25 aos 44. Os espaços verdes indicados pela maioria dos participantes como mais frequentados foram, por ordem decrescente de respostas: 1) Jardins da Fundação Calouste Gulbenkian, 2) Jardim do Campo Grande, 3) Jardim da Estrela (Jardim Guerra Junqueiro), 4) Parque Eduardo VII de Inglaterra, e 5) Parque Florestal de Monsanto.

Entre as razões que levam os participantes a frequentar determinados espaços verde, a maioria apontou para: i) o facto de se encontrar próximo da área de residência ou de trabalho; ii) o local escolhido transmitir tranquilidade, sossego e a possibilidade de contacto com a natureza; iii) pela sua beleza intrínseca e pela biodiversidade que possuem; e ainda iv) por possuírem parque infantil.

Verificou-se também que as áreas postais com maior cobertura verde (tendo em conta apenas os grandes parques, jardins, miradouros, praças e cemitérios) são as áreas 1500 (com 50% de cobertura verde), 1300 (45%) e 1400 (41%). Aquelas com menor cobertura verde são as áreas postais 1170, 1150 e 1200 com uma cobertura que varia entre os 1% e 5%.

Plano de Ação Local para a Biodiversidade 2020

Projeto GREEN SURGE

Mais notícias sobre:
Ambiente