Alcantara, Belem, Desporto

15 mil Vencedoras na "Corrida da Mulher"

24, Maio 2015
  • Corrida Lisboa, a Mulher e a Vida
    Corrida Lisboa, a Mulher e a Vida
  • Corrida Lisboa, a Mulher e a Vida
    Corrida Lisboa, a Mulher e a Vida
  • Corrida Lisboa, a Mulher e a Vida
    Corrida Lisboa, a Mulher e a Vida

A zona ribeirinha de Lisboa, foi palco da décima edição da corrida que celebra “Lisboa, a Mulher e a Vida”. As mais de 15 000 mulheres, de todo o país, que participaram em mais esta corrida solidária, na manhã de 24 de maio, foram as grandes vencedoras.

À partida, o entusiasmo estava bem estampado nos rostos de todas. Profissionais ou amadoras, famosas ou ilustres anónimas, todas responderam ao apelo do Maratona Clube de Portugal, e da Câmara Municipal de Lisboa, que desde sempre tem apoiado esta corrida. Graças ao seu esforço, a compra de novos aparelhos de rastreio do cancro da mama está assegurada.

Para Jorge Máximo, vereador do Desporto da Câmara Municipal de Lisboa, o entusiasmo à volta da corrida deve ser capitalizado como um “veículo de promoção de boas causas”, neste caso o apoio à luta contra o cancro da mama.
Esta corrida é o paradigma da “afirmação do desporto em Lisboa” no feminino, considerou Jorge Máximo, sublinhando que as mulheres estão a participar “cada vez mais” nas inúmeras provas desportivas da cidade.

Ao longo de 10 anos, a Corrida, desde sempre organizada pelo Maratona, angariou e entregou cerca de € 651 000 à Liga Portuguesa Contra o Cancro. O cheque de € 20 350 hoje entregue, será, como sempre, usado na compra de novas máquinas, para o rastreio de uma doença que “ainda mata 1 500 mulheres por ano em Portugal”.

Cerca de 40% das mulheres não fazem rastreio do cancro da mama. Por medo, "não do rastreio, mas do resultado". Para combater os números - cerca de 4 500 novos casos de cancro da mama por ano - que "não mudaram" ao fim de 10 anos, Carlos Móia deitou mãos à obra e organizou esta corrida de solidariedade.

Ao pódio, pequeno para acolher as 15 mil vencedoras, subiram as três mais rápidas a percorrer os 5 km, até chegar à meta, junto à Torre de Belém: Priscah Jeptoo, Filomena Cheyech e  Aberu Kebede. Entre as atletas portuguesas, destacaram-se Dulce Félix, em sexto lugar, Vanessa Fernandes em oitavo, Doroteia Peixoto em nono e Daniela Cunha na décima posição.

“Mães e Filhas”, “Empresas”, “Avós e Netas”, “Amigas”, “Idade”, “Vencer o Cancro”, foram outros prémios atribuídos, numa corrida que teve como lema “Juntar familiares, amigas e colegas de trabalho”.

Rosa Mota, uma vez mais madrinha da prova, deixou um apelo a todas as mulheres: “façam o rastreio porque só temos uma vida”.

Mais notícias sobre:
Alcantara, Belem, Desporto