Educação, Município

A cidade e a Educação

11, Janeiro 2018
Num encontro que juntou vereadores e diretores dos agrupamentos escolares, foram muitas as ideias abordadas para melhorar o sistema educativo na cidade.

A política educativa para a cidade foi tema de debate que, no dia 11 de janeiro, juntou os diretores de agrupamento das escolas de Lisboa. 

Na reunião, que teve lugar no Salão Nobre dos Paços do Concelho, com o objetivo de abordar a política educativa do município e traçar uma estratégia para a cidade, estiveram presentes os vereadores da Educação e dos Direitos Sociais, Ricardo Robles, do Urbanismo, Manuel Salgado, da Mobilidade e Transportes, Miguel Gaspar e vários técnicos da autarquia.

Ricardo Robles deu início aos trabalhos e fez um ponto de situação de vários temas que pretende ver implementados, salientando a importância do reembolso dos manuais escolares dos 2.º e 3.º ciclos, que até 28 de fevereiro podem ser requeridos, assim como as fichas escolares do 1.º ciclo.

Manuel Salgado falou sobre as obras em curso e as previstas nas várias escolas e jardins de infância do concelho. Um orçamento de 77 milhões de euros para efetuar neste mandato.

“Que nenhuma criança saia da escola básica sem saber andar de bicicleta”

Já Miguel Gaspar apresentou o programa municipal "Lisboeta", um projeto que pretende capacitar as crianças para uma mobilidade mais sustentável e aproximá-las aos equipamentos culturais da cidade, onde passam a usufruir gratuitamente de um único cartão com diversas valências. Trata-se do Navegante Escola, que engloba o cartão da escola, o cartão de transporte e o cartão cultural, que dá acesso livre a todos os equipamentos culturais da EGEAC. Numa primeira fase abrange cerca de 14 200 alunos do primeiro ciclo, mais tarde 22 mil dos segundo e terceiro ciclos. 

E numa sala cheia, houve perguntas e respostas com um debate animado que pretendeu trazer para Lisboa uma melhor rede de estabelecimentos de ensino, escolas com mais qualidade nos níveis do edificado, dos equipamentos, da promoção de competências e do apoio às famílias. E ainda a promessa “que nenhuma criança saia da escola básica sem saber andar de bicicleta”.

Mais notícias sobre:
Educação, Município