Ambiente, Cultura e Lazer, Investir

A Feira vai voltar

03, Novembro 2015
A cinco minutos do Colombo, com acesso direto pela linha azul do metro e servida pelas principais vias da cidade, a Feira Popular de Lisboa ficará instalada em Carnide, integrada num parque verde com cerca de 20 hectares. O anúncio foi feito pelo presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina.
  • Fernando Medina anunciou a construção da nova Feira Popular
    Fernando Medina anunciou a construção da nova Feira Popular

12 anos depois a Feira Popular vai regressar a Lisboa. “Um sonho de muitos e muitos Lisboetas”, um passo importante que é agora dado na sua concretização, afirmou o presidente da Câmara de Lisboa aos muitos jornalistas que acorreram ao anúncio, em que participaram vários vereadores do executivo. 

A Feira ficará instalada em Carnide, nuns terrenos muito próximos do centro comercial Colombo e com acesso direto pela linha azul do metro, explicou Fernando Medina, clarificando que não se trata apenas de um parque de diversões. São cerca de 20 hectares de terreno que agora ficam destinados a espaço verde, envolvendo a futura feira.

Depois de ter sido instalada em 1943 junto à atual Praça de Espanha, em Palhavã, e de se ter mudado em 1961 para entrecampos, a Feira Popular conhecerá agora a sua “terceira casa” e Medina salienta que o projeto permite “uma profunda regeneração urbana” naquela zona da cidade. 

Por isso, para além de um local de divertimento a feira Popular será um “grande espaço de lazer quatro vezes maior que o atual terreno de Entrecampos”, adianta, explicando que o projeto entra agora numa fase de estudo e será implementado ao longo de vários anos, por etapas. 

Um projeto “muito ambicioso, que será desenvolvido com grande empenho” pela Câmara de Lisboa, com o apoio da Junta de Freguesia de Carnide e “num processo que queremos amplamente participado pela cidade”, garante, frisando que a autarquia tenciona instalar naquele local “as infraestruturas mais modernas e de maior qualidade.” 

E o presidente da Câmara de Lisboa adianta: “a Feira Popular será um exemplo de ligação à história e à memória, mas também um exemplo de modernidade e de qualidade”. A opção da autarquia não é por um tradicional parque de diversões mas sim por um espaço que constitua o exemplo do que melhor se faz ao nível da qualidade de vida de uma cidade, um espaço para todos, disse. 

O trabalho começou. #afeiravaivoltar é um hashtag que agora inunda a cidade, a olhar para o futuro. 

Mais notícias sobre:
Ambiente, Cultura e Lazer, Investir