Educação, Investir

A hora do código nos Paços do Concelho

12, Dezembro 2016
Porque a brincar também se aprende, foi a aprender a programar um jogo que vários alunos do ensino básico assinalaram a Hora do Código nos Paços do Concelho, uma iniciativa que pretende despertar para o ensino la linguagem de programação.

Aprender a linguagem de programação foi durante muito tempo algo reservado a poucos, mas essa é uma realidade que a Câmara de Lisboa quer mudar.  Por isso o projeto Academia de Código mobilizou em 12 de dezembro alunos do ensino básico e adultos, entre eles o vice-presidente da Câmara Municipal de Lisboa, e transformou o Salão Nobre numa autêntica sala de aula, para, em sessões de uma hora, mostrar como afinal não é assim tão difícil programar. 

“Quem costuma jogar no computador em casa?” Os braços no ar respondem ao vereador o que se imaginaria, gestos que se repetem mas com mais entusiasmo quando Duarte Cordeiro inquire a pequenada sobre a vontade de aprenderem a programar os seus próprios jogos.

E lançaram-se ao desafio, de manhã alunos do ensino básico, à tarde adultos que se inscreveram antecipadamente, apoiados pelos monitores da Academia de Código. 

Uma iniciativa que Duarte Cordeiro considera "muito importante" para a preparação dos jovens e para o desenvolvimento futuro. A programação está hoje em todos os níveis da nossa vida, frisa, e o ensino da linguagem de programação aos jovens dá-lhes mais condições para que entendam o mundo. 

Rui Ferrão é diretor técnico da Academia de Código, esteve lá com a criançada e explica que a Hora do Código é um movimento global que teve início nos Estados Unidos e chegou mesmo a mobilizar o Presidente Obama. Esta é a Semana Europeia do Código, explica, adiantando que a iniciativa consiste em aulas de uma hora, com o objetivo de incutir nas crianças "os gostinho pela programação". Apenas crianças não, pois à tarde foi a vez dos adultos e a Academia de Código tem vindo de resto a levar a cabo ações de formação nesta área para adultos, com excelentes resultados de inserção posterior no mercado de trabalho. 

Array
Mais notícias sobre:
Educação, Investir