Educação, Município

Ajuda tem novo Jardim de Infância

17, Setembro 2018
Com o arranque do Ano Escolar, a autarquia assinalou o dia com a inauguração do Jardim de Infância Alexandre Rodrigues Ferreira, na Ajuda, que vai acolher 75 crianças.

A manhã foi de festa na Ajuda. Foram muitos os que acorreram ao renovado edifício para a inauguração do novo Jardim de Infância Alexandre Rodrigues Ferreira, na rua Coronel Pereira da Silva, n.º18, que vai acolher cerca de 75 crianças, com idades compreendidas ente os 3 e 5 anos.

A cerimónia contou com a presença do presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, do presidente da Junta de Freguesia da Ajuda, Jorge Marques, do vereador da Educação e Direitos Sociais, Manuel Grilo, do diretor do Agrupamento da Escola, António Mário Godinho, professores, educadores, técnicos e muitos munícipes.

As primeiras palavras de Fernando Medina foram de agradecimento para o Agrupamento da Escolas e a todos os que tornaram possível este projeto. ”Esta escola surgiu de uma visita com a Junta de Freguesia ao espaço, que precisava de ser recuperado e de vida nova. Ela aqui está. Hoje com muita luz, três amplas salas para o pré-escolar, sala polivalente, ginásio e cozinha com refeitório. Porque queremos que a escola passe a ser o local onde as crianças possam ter a melhor refeição do dia”, afirmou o autarca.

Para Manuel Grilo o dia é de enorme felicidade “o ano escolar abre com medidas novas em Lisboa: escolas novas, manuais escolares gratuitos para todas as crianças, refeições escolares sem serem transportadas em caixas de plástico e passes também gratuitos para carris e metro”, salientou o vereador do Pelouro, no seu primeiro ato público.

A obra, orçada em mais de 800 mil euros, trouxe muita alegria ao bairro. Elisabete Lourenço, de 23 anos de idade, acabava de deixar na escola, pela primeira vez, o seu irrequieto filho. "Hoje isto para mim é um misto de tristeza e de alegria, de tristeza porque o meu Nuno vai sair do pé de mim, mas de alegria por saber que tem tudo o que é bom aqui”.

Já Elizabete Baptista, de 72 anos de idade, estava eufórica e até pensámos que teria algum neto ali. “Nada disso. Vim ver esta obra maravilhosa que fizeram aqui no bairro. Deu-me saudades de quando a minha filha que vive no estrangeiro aqui andou. Isto era horrível, degradado, as casas de banho nem se fala e agora ver tudo isto tão lindo, até tinha vontade que ela voltasse a ser pequenina, para eu voltar a trazê-la todos os dias”, referiu esta munícipe com um brilhozinho nos olhos.

Array
Mais notícias sobre:
Educação, Município