Arroios, Cultura e Lazer, Santa Maria Maior

Ano Novo Chinês no Martim Moniz

30, Janeiro 2016
Milhares de lisboetas - muitos dos quais de origem chinesa - participaram na celebração do Ano Novo Chinês 2016, que teve lugar na Praça de Martim Moniz, no dia 30 de janeiro.
  • Ano Novo Chinês
    Ano Novo Chinês

As celebrações - organizadas pela Câmara Municipal de Lisboa e pela Associação de Comerciantes e Industriais Luso-Chineses, com o apoio da Embaixada da República Popular da China e da Junta de Freguesia de São Jorge de Arroios - iniciaram-se com um desfile na Avenida Almirante Reis e na Rua da Palma, desde a Igreja dos Anjos até à Praça de Martim Moniz. O cortejo integrou muitas centenas de figurantes, incluindo equipas de dança do dragão, de artes marciais, de bailado e de teatro, para além de várias centenas de estudantes de escolas chinesas.

Já na Praça de Martim Moniz, onde estavam instaladas várias tendas com produtos e motivos chineses, decorreu um espetáculo de música e artes performativas, desde o final da manhã até meio da tarde, e que contou com uma audiência de milhares de pessoas.

Entre o público, destacavam-se o ministro da Cultura, João Soares, o embaixador da República Popular da China, Rai Cun, o secretário de Estado da Internacionalização, Jorge Costa Oliveira, a vereadora do pelouro da Cultura da Câmara Municipal de Lisboa, Catarina Vaz Pinto, o presidente da Associação de Comerciantes e Industriais Luso-Chineses, Choi Man Hin, os presidentes das Juntas de Freguesia de Arroios e de Santa Maria Maior, Margarida Martins e Miguel Coelho, respetivamente, o antigo governador de Macau, Rocha Vieira, e diversos representantes do Corpo Diplomático acreditado em Lisboa.

Na ocasião, o ministro da Cultura, João Soares, leu uma mensagem do primeiro ministro de Portugal, António Costa, ao seu homólogo da República Popular da China. Na missiva, o governante português endereçou ao povo chinês "votos de felicidade" nesta passagem de ano, salientando as "relações de amizade sólidas e duradouras" entre os dois países que "pretendemos reforçar". António Costa recordou a importância da comunidade chinesa em Lisboa, que "muito contribui para o desenvolvimento da cidade e do país".

Já o embaixador da República Popular da China, Rai Cun, endereçou agradecimentos à Câmara Municipal de Lisboa pelo apoio prestado à realização nesta cidade da "festa tradicional mais importante da China, que celebra a chegada da primavera". O diplomata referiu a coincidência desta festa decorrer na Praça de martim Moniz, "que simboliza a convivência das diversas comunidades da cidade", referindo ainda a programação que acontece paralelamente no Largo do Intendente, por iniciativa da Junta de Freguesia de Arroios. No ano em que se pretende seja de consolidação da Parceria Estratégica Luso-Chinesa, "a comunidade chinesa vê esta iniciativa como uma retribuição ao acolhimento dispensado pela sociedade portuguesa", considerou Rai Cun. Lembrando que no ano passado 250 000 chineses visitaram Portugal, o embaixador espera que 2016 - ano do macaco, que simboliza a inteligência e a energia - traga "novo progresso às relações entre Portugal e a China", para as quais expressou "votos de longevidade".

Falando em representação das diversas associações chinesas em Portugal, o presidente da Associação de Comerciantes e Industriais Luso-Chineses, Choi Man Hin, sublinhou que "conseguimos apresentar esta celebração da primavera" graças aos esforços de muitos, agradecendo o apoio da Embaixada da República popular da China e da Câmara Municipal de Lisboa que, "com a sua atitude aberta e tolerante", faz com que os chineses "se sintam aqui como em casa". Choi Man Hin terminou desejando a todos "um ano de boa fortuna".

Por seu lado, a vereadora do pelouro da Cultura da Câmara Municipal de Lisboa, Catarina Vaz Pinto, considerou esta como uma entre uma "série de iniciativas culturais para estreitar as relações entre os dois povos", de que a convivência multicultural nas freguesias de Arroios e Santa Maria Maior "é exemplo dessas relações". A autarca agradeceu "ao povo chinês a sua permanência em Portugal", a todos desejando para este ano "muita sabedoria e energia".

O ministro da Cultura, João Soares, que considerou ser "uma grande honra e um grande prazer" o ter lido a mensagem de António Costa ao seu homólogo chinês, referiu que "a amizade entre Portugal e a China é uma constante da política externa portuguesa". Para o governante, "este evento é exemplo da convivência e entrosamento entre as duas comunidades", recordando ter sido durante a sua presidência na Câmara Municipal de Lisboa, durante o ano de 1997, que se celebrou pela primeira vez publicamente o Ano Novo Chinês em Lisboa. "Estamos aqui a celebrara paz e a cooperação entre dois países com uma longa história", importando agora que entre Portugal e a China se estabeleçam também "relações comerciais cada vez mais vastas", nomeadamente com a entrada no mercado chinês dos "produtos portugueses de grande qualidade", concluiu João Soares.

Seguiu-se um extenso espetáculo com grupos de música, canto, dança e outras artes performativas, desde uma equipa portuguesa da dança do dragão a crianças das escolas chinesas, passando por grupos de dança e malabarismo vindos da China.

As celebrações contaram também com diversas iniciativas promovidas pela Junta de Freguesia de São Jorge de Arroios, que promoveu uma Semana da China. 

Programa das celebrações do Ano Novo Chinês

Array
Mais notícias sobre:
Arroios, Cultura e Lazer, Santa Maria Maior