Arroios, Município, Urbanismo

Arroios: Junta tem nova sede

13, Setembro 2019
Inauguração contou com primeiro ministro
  • Inauguração da nova sede da Junta de Freguesia de Arroios
    Inauguração da nova sede da Junta de Freguesia de Arroios

A nova sede da Junta de Freguesia de Arroios fica mesmo em frente da anterior, no Largo do Intendente, num edifício acabado de reabilitar. A inauguração, que decorreu no dia 13 de setembro, contou com a presença do primeiro ministro, António Costa, do presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, membros do Governo e da Vereação lisboeta, representantes das principais entidades estabelecidas na freguesia e, naturalmente, da presidente da Junta, Margarida Martins.

O ato inaugural contou com o retrato da anterior locatária deste edifício, ja falecida: Ilda Nunes almeida. Quem a apresentou foi Marta Silva, uma ativista cultural e social da zona que aqui esteve envolvida em vários projetos de regeneração urbana, desde o início deste processo, em 2011, em articulação com o GABIP Mouraria - Gabinete de Apoio ao Bairro de Intervenção Prioritária. Trata-se de uma senhora que, então, foi sinalizada como vivendo isolada e em situação de vulnerabilidade neste edifício, que se encontrava em risco de colapsar. Foi possível intervir rapidamente, apoiando socialmente esta senhora e arranjando-lhe, em poucos dias, habitação num edifício vizinho, acabado de reabilitar.

A presidente da Junta de Freguesia de Arroios, Margarida Martins, visivelmente feliz com a concretização deste sucesso, agradeceu a presença do primeiro ministro e da edilidade, bem como à equipa de projetistas responsáveis pelo projeto e pela obra de reabilitação do edifício. Do mesmo modo, não esqueceu os membros do seu executivo e os funcionários desta autarquia que, nos últimos dias carregaram centenas de caixas e caixotes, "embalando o passado e preparando o futuro". Margarida Martins não se esqueceu de estabelecer uma ponte entre esse passado e esse futuro: os gatos da Dona Ilda, que preenchiam o pátio do logradouro do edifício, têm aí agora o seu "hotel" - uma estrutura de madeira como uma casa, com pequenos nichos para abrigar os membros da colónia felina.

Fernando Medina manifestou a sua satisfação pela profunda transformação operada no Largo do Intendente nos últimos anos. Todos os anteriores candidatos à presidência da Câmara abriam o seu programa eleitoral com a promessa de reabilitar o centro histórico e "eu fui o primeiro que não tive de fazê-lo", necessidade ultrapassada pela obra que atribuiu ao seu antecessor, agora primeiro ministro. O autarca lembrou que o processo de renovação do Intendente e da Mouraria não se limitou à reabilitação do edificado e à requalificação do espaço público, tendo também uma importante vertente de regeneração social e económica, envolvendo as entidades locais, antigos e novos moradores.

O primeiro ministro, António Costa, não deixou de recordar o dia de 2011 em que, quando presidente da Câmara, decidiu transferir o seu gabinete para o Largo do Intendente, para o edifício onde, precisamente, funcionava até agora a Junta de Freguesia. Ao contrário do que muitos então pensaram, "não se tratava de uma operação de varrimento ou de segurança policial". Tratava-se, isso sim, de "lançar a semente de um profundo processo de regeneração urbana", qua aqui começou com a intervenção no espaço público através da Mouraria até ao Largo do Caldas, e que depois foi replicado pelos sucessivos projetos do programa "Uma Praça em cada Bairro". Quanto ao resultado, o atual primeiro ministro convida a recordar o que era o Largo do Intendente e a olhar para ele agora.

Mais notícias sobre:
Arroios, Município, Urbanismo