Belem, Cultura e Lazer

Artistas angolanos expostos em Belém

07, Fevereiro 2018
Um encontro de culturas, foi afirmado na inauguração da "Artes Mirabilis", uma mostra com mais de 50 artistas plásticos angolanos e 20 esculturas patente na sede da União das Cidades Capitais de Língua Portuguesa - UCCLA (Avenida da Índia, n.º 110).

Mesmo o mais distraído visitante perceberá, pelas quentes cores e pelas formas, que entrou numa viagem tipicamente africana. É a Artes Mirabilis, uma coletiva de artistas plásticos angolanos patente na sede da União das Cidades Capitais de Língua Portuguesa - UCCLA até 4 de abril. Na inauguração estiveram, entre várias personalidades e artistas, o presidente da UCCLA, Vitor Ramalho, o ministro da cultura português, Luis Filipe de Castro Mendes, a vereadora da Cultura, Catarina Vaz Pinto, a ministra da cultura angolana, Carolina Cerqueira, e o embaixador daquele país em Portugal, José Marcos Barrica. 

São mais de cinquenta artistas plásticos expostos e 20 esculturas, numa mostra que tem curadoria do artista angolano Lino Damião.

Foi inaugurada propositadamente numa data próxima ao dia 4 de fevereiro, “uma data muito cara aos angolanos” que marca o início da luta armada pela independência daquele país, em 1961, explicou Vitor Ramalho, que adianta ainda a decisão também deliberada de terminar em 4 de abril, Dia da Paz e da Reconciliação em Angola [2002, fim da guerra civil]. 

Cultura, união, sonho e amizade

“Um período de reflexão que permite aprofundar o que é perene, as relações entre os nossos povos”, diz o presidente da UCCLA, para afirmar se trata de uma relação “que passa por cima de todas as contrariedades que possam existir”.

Palavras subscritas por José Marcos Barrica. Numa referência ao Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, que momentos antes tinha visitado a exposição, o diplomata afirmou que a mostra reflete “um traço de união entre culturas, entre os povos de Angola e de Portugal”.

“Um encontro de cultura”, diz por seu lado Luis Filipe de Castro Mendes, que afirma estarmos perante “uma escolha que mostra a grande vitalidade da arte angolana” e vinca a cultura como a melhor forma de entendimento entre Portugal e Angola. 

Já Carolina Cerqueira, que exaltou a mostra, “uma deslumbrante exposição”, salienta a cultural secular angolana e recorda a influência das pinturas africanas no modernismo Europeu, “tão visíveis nas obras de Pablo Picasso e outros, desde sempre marcadas pelo sonho”, esse sonho “que comanda a vida” na “nossa África de chão vermelho, céu azul e horizonte verde”. Esperança e futuro melhor são por isso palavras sublinhadas pela ministra, que encontra nas obras expostas “a personificação da diversidade” angolana. 

Artes Mirabilis tem entrada livre e pode ser visitada de segunda a sexta feira, das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 18h00.

__________ 

Morada:  Avenida da Índia, n.º 110 (entre a Cordoaria Nacional e o Museu Nacional dos Coches), em Lisboa

Autocarros: 714, 727 e 751 - Altinho, e 728 e 729 - Belém

Comboio: Estação de Belém

Elétrico: 15E - Altinho 

Coordenadas GPS: 38°41’46.9″N 9°11’52.4″W

 

 

Mais notícias sobre:
Belem, Cultura e Lazer