Intervenção social, Santa Maria Maior

Assinatura de protocolo do “Projeto Radar” com três freguesias

19, Dezembro 2018
O Projeto “Radar”, uma das dimensões do Programa “Lisboa, Cidade de Todas as Idades”, vai arrancar em fase piloto, durante um período de três meses nas freguesias da Ajuda, Areeiro e Olivais, com o objetivo de identificar cerca de 4000 pessoas com mais de 65 anos em situação de isolamento.
  • Assinatura de Protocolo do “Projeto Radar” com 3 freguesias
    Assinatura de Protocolo do “Projeto Radar” com 3 freguesias

Por essa razão, os presidentes das Juntas de Freguesia da Ajuda, Areeiro e Olivais, assinaram hoje, dia 19 de dezembro, a carta de compromisso, na Sala do Arquivo dos Paços do Concelho, na presença do vereador dos Direitos Sociais Manuel Grilo, do provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa Edmundo Martinho e do administrador da SCML Sérgio Cintra.

O Projeto “Radar” tem o ambicioso e necessário objetivo de sinalizar 30.000 pessoas com mais de 65 anos em situação de isolamento e fragilidade social e que ainda não estejam identificadas pelas várias instituições da cidade. Segundo o vereador Manuel Grilo “este projeto vem responder a uma necessidade urgente de cidadãos isolados e muitas vezes ignorados pelos poderes públicos numa cidade demograficamente envelhecida e a precisar de novas soluções coletivas para o bem-estar dos seus cidadãos”. 

Na apresentação do projeto, Manuel Grilo referiu a importância de recuperar as relações de bairro e de proximidade, sendo que o Projeto Radar “nada mais é que colocar uma dimensão tecnológica a um sentimento de vizinhança e comunidade local para sinalizar apoio a quem mais precisa dele, neste caso as pessoas com 65 anos ou mais”. “Esta é mais uma ferramenta que a cidade terá no apoio à população idosa e a Câmara Municipal de Lisboa dará todo o apoio a estas três primeiras juntas de freguesia que vão iniciar esta caminhada, sabendo que após esta fase piloto as restantes juntas terão um projeto bem mais preparado para todas as realidades dos vários territórios de Lisboa”, concluiu o vereador.