Alvalade, Educação

Banco de Manuais da Cidade - Protocolo entre CML e Universidade Lisboa

26, Outubro 2018
A CML e a ULisboa garantem a criação de um banco de empréstimo de livros universitários a alunos da cidade de Lisboa.
  • Banco de Manuais da Cidade - Protocolo entre CML e Universidade Lisboa
    Banco de Manuais da Cidade - Protocolo entre CML e Universidade Lisboa

A Câmara Municipal de Lisboa e a Universidade de Lisboa assinaram, no dia 26 de outubro, no edifício Caleidoscópio, o protocolo para a criação do Banco de Manuais da Cidade, iniciativa que resulta de um projeto vencedor do Orçamento Participativo de Lisboa e que contou com a presença vereador com o pelouro da Educação, Manuel Grilo e do reitor da Universidade de Lisboa, António Cruz Serra.

Na cerimónia, Manuel Grilo lembrou que este projeto vencedor do Orçamento Participativo (OP) garante o investimento de 35 mil euros, nos estudantes que escolhem a capital para estudar, e que a Câmara de Lisboa, “tem a honra de poder contribuir para o fim de algumas barreiras para a educação e garantir assim o acesso a manuais, para que ninguém fique para trás neste acesso ao conhecimento. Contamos agora com a Universidade de Lisboa para escolher os melhores manuais, para serem disponibilizados aos alunos, neste magnífico espaço que é o edifício Caleidoscópio”.

António Cruz Serra fez questão de sublinhar a importância da implementação dos projetos do orçamento participativo, recordando que a Universidade de Lisboa tem beneficiado desta iniciativa, “como é também o caso da construção da pista de manutenção do Estádio Universitário, que foi esta semana adjudicado”. O reitor da ULisboa acrescentou ainda que estão criadas as condições para a construção de residências universitárias, “a maior preocupação que devemos ter, neste momento, em termos de acesso ao ensino superior. Não é aceitável que algum estudante com capacidade e com vontade de vir estudar para Lisboa não o possa fazer porque o preço dos quartos está inacessível e por isso, a construção de residências universitárias é urgente e estamos a trabalhar nisso”.

O Orçamento Participativo teve a sua 1ª edição em 2008 e constitui uma marca emblemática do modelo de governação da cidade, sendo Lisboa a primeira capital europeia a implementá-lo, com o objetivo de aprofundar a ligação da autarquia com os seus munícipes, inspirado nos valores da democracia participativa, onde os cidadãos podem apresentar propostas para a sua cidade e votar nos projetos que considerem prioritários.

Neste seguimento, um dos projetos vencedores na área da Educação, foi o da criação do “Banco de Manuais da Cidade”, definido como a “compra de livros universitários com vista à criação de um banco de empréstimo durante todo o semestre de livros a alunos da cidade de Lisboa”, com um orçamento estimado de 35 mil euros. Neste momento, encontram-se reunidas as condições para a sua implementação, através da celebração de Protocolo de Cooperação com a Universidade de Lisboa.

Mais notícias sobre:
Alvalade, Educação