Intervenção social, Município

Bandeira arco-íris hasteada simbolicamente nos Paços do Concelho

17, Maio 2017
Para lembrar que a homossexualidade não é uma doença e apelar ao respeito pela diversidade sexual, o edifício dos Paços do Concelho de Lisboa teve esta manhã, simbolicamente, hasteada a bandeira arco-íris.

No Dia Internacional Contra a Homofobia, Bifobia e Transfobia, a bandeira arco-íris foi hasteada simbolicamente nos Paços do Concelho de Lisboa. Uma forma de manifestar a solidariedade do município com a causa desta camada da população contra todas as formas de discriminação, pela tolerância e a igualdade. 

O Dia Internacional contra a Homofobia, Bifobia e Transfobia foi oficialmente declarado em 1992 como forma de assinalar a data em que a Organização Mundial de Saúde (OMS) excluiu a homossexualidade da Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde (CID). 

A homossexualidade foi classificada pela OMS [código 302.0] como um transtorno mental entre 1948 e 17 de maio de 1990, data em que a assembleia geral da organização aprovou a sua retirada da Classificação Internacional de Doenças e declarou que “a homossexualidade não constitui doença, nem distúrbio e nem perversão”. A nova classificação entrou em vigor nos países-membros das Nações Unidas em 1993. 

Um pouco por todo o mundo são realizadas neste dia marchas e acções de sensibilização apelando ao respeito pela diversidade sexual. Em Lisboa decorrem acções promovidas por diversos movimentos, como a ILGA-Portugal.  

Em Nova Iorque, um grupo de especialistas da ONU apela à garantia da proteção a crianças e adolescentes trans, para que não sofram "discriminação, exclusão, violência e estigma".

Mais notícias sobre:
Intervenção social, Município