Ambiente, Higiene urbana, Município

Começou a Climathon, uma maratona pelo ambiente

25, Outubro 2018
São 25 jovens participantes, entre estudantes, investigadores e empreendedores, que numa autêntica maratona pelo ambiente procuram soluções tecnológicas para reduzir, reciclar e reaproveitar resíduos.

A Climathon Lisboa 2018 já começou, junta 25 jovens estudantes, investigadores membros de startups na procura de soluções para um ambiente mais sustentável, particularmente em torno do desperdício alimentar e da reciclagem de plásticos. No primeiro dia, 25 de outubro, reuniram-se no Impact Hub, em Alcântara, onde assistiram a diversas apresentações.

“Pessoas comuns podem criar extraordinários impactos. Juntas”, lia-se na apresentação introdutória. Esse é o espírito e por isso os participantes funcionam em equipas apoiados por mentores, que durante 24 horas lhes disponibilizam dados sobre a cidade e esclarecimentos.

No final, esta sexta feira, os projetos são apresentados a um júri composto por elementos da Câmara de Lisboa, da Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT), da organização e de uma investigadora da Universidade Católica Portuguesa. Algumas das ideias serão apresentadas ao Orçamento Participativo de Lisboa, que arranca já no dia 29.

Entre as apresentações esteve uma equipa de técnicos municipais do Departamento de Higiene Urbana, que desenvolveu o tema "Desperdício urbano na Economia Circular".

A equipa de técnicos, composta por Rute Carvalho, Vanessa Fonseca e Nuno Soares (diretor do departamento), abordou o Plano Municipal de Gestão de Resíduos, com enfoque em projetos como os novos contentores subterrâneos com sensores, a introdução da recolha seletiva porta-a-porta para os resíduos orgânicos, o Lisboa a Compostar, entre outros.

Na sexta feira há ainda lugar para a apresentação do Orçamento Participativo e são conhecidos os vencedores desta maratona ecológica.

Redução da utilização de plásticos descartáveis

Os dois projetos vencedores, premiados com entradas para a WebSummit, e incubação por 3 meses no ImpactHUB Lisboa, apostaram na redução da utilização de plásticos descartáveis.

pLESStic, "propõe a instalação de pontos de enchimento de garrafas com água da torneira em espaço público, bem como em cafés e restaurantes aderentes, o desenvolvimento de uma garrafa reutilizável a vender nalguns desses pontos e de uma app com informação sobre o projeto e pontos de enchimento".

Quanto ao LisbonCUP, promove a "utilização de copos reutilizáveis nos estabelecimentos de diversão noturna, que podem ser comprados pelos utilizadores, associado a um sistema de logística para a sua lavagem e desinfeção, para reutilização.

Mais informações sobre a Climathon

Mais notícias sobre:
Ambiente, Higiene urbana, Município