Ambiente, Areeiro, Higiene urbana

Começou a vertente comunitária do Lisboa a Compostar

16, Fevereiro 2019
Aos contentores para reciclagem de resíduos orgânicos já instalados em quatro locais da cidade, junta-se agora o da freguesia do Areeiro. A manutenção fica a cargo da junta de freguesia. O Lisboa a Compostar pretende envolver a população neste processo.
  • Vertente comunitária do Lisboa a Compostar
    Vertente comunitária do Lisboa a Compostar
  • Vertente comunitária do Lisboa a Compostar
    Vertente comunitária do Lisboa a Compostar
  • Vertente comunitária do Lisboa a Compostar
    Vertente comunitária do Lisboa a Compostar
  • Vertente comunitária do Lisboa a Compostar
    Vertente comunitária do Lisboa a Compostar

O sucesso do Lisboa a Compostar abriu horizontes a uma versão comunitária do projeto, que em 16 de fevereiro arrancou oficialmente na Rua Presidente Wilson (logradouro poente, do lado da Praça de Londres), freguesia do Areeiro.

Deolinda Revez, técnica municipal e uma das responsáveis pelo Lisboa a Compostar, explica que a vontade manifestada por muitos dos munícipes levou a autarquia a instalar, em modo experimental, cinco equipamentos comunitários, que permitem a qualquer pessoa, mesmo vivendo num apartamento, dar um destino sustentável aos seus resíduos orgânicos.

O fertilizante natural será utilizado nos espaços verdes públicos, ou nos vasos das varandas de quem o solicite.

O processo é simples: os compostores, de grande dimensão, são instalados numa zona com terra e sombra, no caso o jardim do logradouro, os munícipes inscrevem-se e recebem uma chave para que aí possam depositar os seus resíduos. A chave e a ação de sensibilização são fundamentais, explica Deolinda, pois é preciso acautelar que ali não seja depositado outro tipo de resíduos.

Regras de compostagem

Resíduos aconselhados: não cozinhados, que sobram da preparação das refeições (casca de fruta ou de batatas, folha de couve, caroço de maçã, casca de ovo, etc.).

Resíduos não aconselhados: restos de comida cozinhada, ou outros produtos como casca de laranja ou limão.

Mais notícias sobre:
Ambiente, Areeiro, Higiene urbana