Mobilidade, Município, Santa Maria Maior

Escadinhas da Saúde no Martim Moniz já têm escadas rolantes

13, Outubro 2018
São 32 metros de subida com um desnível de 13, agora vencidos com o auxílio de meios mecânicos. Mas a intervenção não pára aqui, seguem-se um novo troço pedonal e outro de escadas rolantes para ligar o Martim Moniz ao Castelo, um elevador no Campo das Cebolas e outro na Rua dos Lagares.
  • Abertura das escadas rolantes nas Escadinhas da Saúde, Martim Moniz
    Abertura das escadas rolantes nas Escadinhas da Saúde, Martim Moniz

Se “para baixo todos os santos ajudam”, também é agora mais fácil subir as Escadinhas da Saúde, no Martim Moniz. A obra, que faz parte de um plano mais vasto para melhorar a acessibilidade naquela zona da cidade, está concluída e a abertura foi assinalada este sábado, 13 de outubro, por Fernando Medina. 

“Um salto qualitativo na mobilidade”, afirmou o presidente da Câmara de Lisboa, que lembrou tratar-se de uma obra há muito almejada pela cidade e, particularmente, pelos moradores. 

“Há pouco uma senhora confessava esperar por este momento há 40 anos”, lembrou o edil, que subiu as escadas rolantes sob as palmas com que muitos moradores o quiseram brindar a partir das janelas. Desceu depois a pé as velhas escadinhas, agora também renovadas, cumprimentando muitos dos que não quiseram faltar ao momento e agradecer-lhe pessoalmente. 

Plano de novas acessibilidades à colina do Castelo

A obra faz parte de um conjunto de intervenções para melhorar a mobilidade e facilitar a deslocação pedonal naquela zona da cidade, lembrou Medina, que adianta para breve o início do novo troço de escadas rolantes até ao Castelo de São Jorge e a construção e dois elevadores, um no Campo das Cebolas e outro na Rua dos Lagares. 

Na subida inaugural estiveram com Fernando Medina os vereadores do Urbanismo e da Mobilidade, Manuel Salgado e Miguel Gaspar, respetivamente, o  vice-presidente da autarquia, Duarte Cordeiro, e o presidente da Junta de Freguesia de Santa Maria Maior, Miguel Coelho.

O custo da obra rondou os 830 mil euros e Manuel Salgado aproveitou para refutar algumas das acusações que apontam para um investimento virado para o turismo. "Não é verdade", disse, desde logo porque serve os moradores daquela zona, mas naturalmente também serve os muitos turistas que visitam a cidade e nesse aspeto permite libertar a utilização no elevador da Rua Augusta. 

O vereador revelou ainda que a intervenção é também "um sonho" que acalentava há muito, ainda dava aulas e fez um desafio aos seus alunos para encontrarem formas de facilitar a mobilidade naquela colina da cidade. As escadas integram o Plano Municipal de Novas Acessibilidades à Colina do Castelo, explica. 

Mais notícias sobre:
Mobilidade, Município, Santa Maria Maior