Intervenção social, Segurança

Exposição "10 anos de Policiamento Comunitário"

23, Março 2018
"10 anos de Policiamento Comunitário" é o título da exposição que pode ser vista desde o dia 19 de março, no átrio do Edifício Central do Campo Grande, da Câmara Municipal de Lisboa.
  • Exposição "10 anos de Policiamento Comunitário
    Exposição "10 anos de Policiamento Comunitário

A exposição é centrada no modelo de policiamento comunitário que a Polícia Municipal tem vindo a desenvolver na cidade de Lisboa: um policiamento planeado, realizado e avaliado com a participação dos cidadãos e parceiros locais, visando a identificação e resolução conjunta de problemas de segurança a nível local, através de uma abordagem preventiva e participativa.

Joaquim Gordicho, chefe da Equipa do Policiamento Comunitário da Polícia Municipal de Lisboa, juntamente com uma das parceiras do projeto, Cristina Dias, Coordenadora da Biblioteca Maria Keil, na Alta de Lisboa fizeram questão de explicar todo o conceito deste modelo de policiamento “único no país”. 

Joaquim Gordicho sublinhou a importância que é dada ao perfil de cada agente que é selecionado para o terreno. “Tentamos ao máximo, quando vamos para o terreno com uma brigada de policiamento comunitário, que o elemento tenha o perfil que mais se adeque ao pedido pela população.”

São criados grupos de segurança compostos por diversos parceiros como: Santa Casa da Misericórdia, Juntas de Freguesia, Câmara de Lisboa, Gebalis, entre outras, “e nessas reuniões planeamos e tentamos definir algumas estratégias no sentido de diminuir a criminalidade e aproximar a polícia do cidadão. Tentamos que a comunidade veja a polícia como um amigo, coisa que não acontecia até aqui”, explica Cristina Dias. 

A coordenadora da Biblioteca Maria Keil dá um exemplo: “Ao início na biblioteca, há 12 anos atrás, as crianças não podiam ver um polícia, as crianças choravam pois associavam os elementos da polícia às detenções dos pais e, hoje em dia, é totalmente diferente. Os dois elementos da polícia já são amigos, já criaram uma relação de confiança e é para isso que nós trabalhamos”.

A exposição é constituída por quatro painéis, os quais revelam desde o conceito e planeamento deste modelo de policiamento, passando pelo enfoque nos seis territórios em que o policiamento comunitário está atualmente implementado (Baixa-Chiado,  Alvalade-Guerra Junqueiro, Alta de Lisboa, Mouraria, Ameixoeira-Galinheiras e Bairro Padre Cruz) até à exemplificação da sua operacionalização (reuniões dos grupos de segurança, patrulhamento apeado pelas equipas, dinamização de ações de sensibilização, entre outras atividades). 

Não deixe de visitar esta exposição, que estará patente até 18 de abril, de segunda a sexta, das 8 às 20h.

Mais notícias sobre:
Intervenção social, Segurança