Cultura e Lazer

Exposições 10 anos de “fados”, Amazogramas e Shadows

20, Maio 2017
Foram inauguradas este sábado, 20 de maio, três exposições integradas em Passado e Presente – Lisboa, Capital Ibero-americana de Cultura 2017, iniciativas que contaram com a presença de Catarina Vaz Pinto, vereadora da Cultura, e dos artistas.
  • Exposições 10 anos de “fados”, Amazogramas e Shadows
    Exposições 10 anos de “fados”, Amazogramas e Shadows

Inauguraram no dia 20 de maio, três exposições, organizadas no âmbito de Passado e Presente – Lisboa, Capital Ibero-americana de Cultura 2017. Catarina Vaz Pinto, vereadora da Cultura da CML, acompanhada dos artistas, participou nas iniciativas.

O Museu do Fado acolhe a exposição 10 anos de “Fados”, uma mostra que revisita o filme de Carlos Saura, relembrando os detalhes que celebraram o Fado e propõem uma reflexão sobre a mudança da presença desta canção na vida dos portugueses e dos lisboetas.
 
A segunda exposição, patente frente ao Centro Cultural de Belém, apresenta Amazogramas, do fotógrafo peruano Roberto Huarcaya. O trabalho reflete a experiência fotográfica nas profundezas da Amazónia, onde Huarcaya através de uma produção experimental utilizou três bobinas de papel fotográfico para fotografar a noite na região de Bahuaja Sonema. O resultado final transporta a floresta tropical amazónica para a cidade urbanizada.

A terceira mostra, Shadows , , do chileno Alfredo Jaar, encontra-se patente nas Carpintarias de São Lázaro. Shadows (2014) é uma obra de homenagem ao fotógrafo holandês Koen Wessing que, em 1978, em Esteli, na Nicarágua, testemunhou um grupo de camponeses a carregarem o corpo de um homem morto pela guarda nacional do ditador Somoza.

Mais notícias sobre:
Cultura e Lazer