Benfica, Higiene urbana

Primeiro pombal contracetivo em Lisboa

25, Maio 2017
Entrou em funcionamento em Benfica o primeiro pombal contracetivo de Lisboa. “O dia de hoje pode servir para alterar, a prazo, a forma de controlar a população de pombos de uma forma saudável”, afirmou Duarte Cordeiro na inauguração do equipamento, instalado em 25 de maio no Parque Silva Porto.

Começou a funcionar no dia 25 de maio em Benfica, no Parque Silva Porto, o primeiro pombal contracetivo de Lisboa, dando início a uma rede que a Câmara Municipal pretende estender pela cidade, garantindo mais higiene urbana, conforto dos animais e redução de custos. O vice-presidente da CML, Duarte Cordeiro, responsável pelo pelouro da Higiene Urbana, a presidente da Junta de Freguesia de Benfica, Inês Drummond, e Joana Antunes, membro do grupo de voluntários e proponente ao Orçamento Participativo que deu origem ao equipamento, estiveram presentes na iniciativa que assinala a sua entrada em funcionamento.

Duarte Cordeiro considera que esta é uma forma eficaz de controlar a população de pombos de uma forma saudável, onde as aves podem procurar alimentação e abrigo e onde nidificam com conforto. O controlo populacional é feito trocando os ovos nos primeiros dias e para o autarca “o dia de hoje pode servir para alterar, a prazo, a forma como trabalhamos”. Destacando o papel da comunidade que, com as juntas de freguesia e os voluntários permitirá dimensionar a população de pombos em cada zona da cidade, o vereador espera que este seja o primeiro passo para avançar para freguesias como Alcântara, Alvalade, Olivais, Arroios, Carnide, Lumiar ou Penha de França.

Seguiu-se a entrega simbólica de Chaves à equipa de voluntários e uma visita ao pombal, acompanhando um grupo de alunos, também presente.

Pombal contracetivo

Resultante de um projeto do Orçamento Participativo de Lisboa, este método permite controlar melhor a propagação de pombos, com vantagens financeiras, higiénicas, paisagísticas e ambientais, que evita a proliferação de pombos pelos telhados de casas e monumentos. É um conceito inovador de controlo desta população, que permite atraí-los através da oferta de alimento, água e sombra em liberdade. Após os voos pela cidade os pombos regressam aos seus ninhos, onde será possível proceder à retirada dos ovos entre dois a três dias após a postura, prevenindo mais nascimentos e evitando a propagação.

 

Mais notícias sobre:
Benfica, Higiene urbana