Benfica, Desporto

Grupo Desportivo de Direito inaugura segundo campo de râguebi

24, Março 2018
O Grupo Desportivo de Direito (GDD) escreve hoje mais uma página de sucesso, na sua história de 65 anos. A inauguração de mais um campo de râguebi, projeto apoiado pela Câmara de Lisboa, traduz o “grande empenho em fazer crescer o râguebi na cidade de Lisboa”.
  • Grupo Desportivo de Direito inaugura campo de râguebi
    Grupo Desportivo de Direito inaugura campo de râguebi
  • Grupo Desportivo de Direito inaugura campo de râguebi
    Grupo Desportivo de Direito inaugura campo de râguebi
  • Grupo Desportivo de Direito inaugura campo de râguebi
    Grupo Desportivo de Direito inaugura campo de râguebi
  • Grupo Desportivo de Direito inaugura campo de râguebi
    Grupo Desportivo de Direito inaugura campo de râguebi
  • Grupo Desportivo de Direito inaugura campo de râguebi
    Grupo Desportivo de Direito inaugura campo de râguebi
  • Grupo Desportivo de Direito inaugura campo de râguebi
    Grupo Desportivo de Direito inaugura campo de râguebi
  • Grupo Desportivo de Direito inaugura campo de râguebi
    Grupo Desportivo de Direito inaugura campo de râguebi
  • Grupo Desportivo de Direito inaugura campo de râguebi
    Grupo Desportivo de Direito inaugura campo de râguebi
  • Grupo Desportivo de Direito inaugura campo de râguebi
    Grupo Desportivo de Direito inaugura campo de râguebi
  • Grupo Desportivo de Direito inaugura campo de râguebi
    Grupo Desportivo de Direito inaugura campo de râguebi

Um ano depois do arranque da obra, está assim concluído o novo campo do GDD, no Complexo Desportivo de Monsanto, junto ao Bairro da Boavista, em Benfica.

Fernando Medina, presente na cerimónia de inauguração, considerou o clube “uma das grandes instituições desportivas da cidade de Lisboa”. Para o presidente da Câmara Municipal de Lisboa – instituição sócia honorária do clube, como sublinhou um dos seus fundadores, Miguel Ferreira – o apoio dado pela autarquia mostra o “grande empenho em fazer crescer o râguebi na cidade”. Dentro de dias, revelou, vai ser aberto o campo do Belenenses, já se definiu o novo campo para o CDUL, ficando a faltar apenas o Técnico.

No final da intervenção, o autarca lançou um apelo a todos para a continuação do trabalho desenvolvido. “Espero que em 2021 o râguebi seja um dos grandes polos de afirmação de Lisboa e do desporto da cidade”. Capital Europeia do Desporto “significa mobilizar toda a cidade para o desporto e mostrarmos a toda a comunidade o valor do desporto, na saúde e no bem-estar, da cultura cívica das crianças e jovens", concluiu.

Antes do descerramento da tradicional placa de inauguração do novo campo, que, de acordo com as estimativas de Luís Morais, “vai potenciar cerca de 30% do aumento do crescimento em termos de atletas”, o presidente do Grupo Desportivo de Direito agradeceu à câmara o apoio "muito importante", mas salientou que “é importante que as entidades olhem com outros olhos para esta modalidade”. Estamos já a pensar no terceiro campo, avançou Luís Morais, que “poderá trazer receitas financeiras que nos vão dar a sustentabilidade económica e financeira”.

O complexo desportivo do GDD, frisou, “está ao serviço de Lisboa”, tendo o clube celebrado protocolos com entidades diversas, incluindo escolas, para utilização dos seus campos.

Paralelamente, decorre hoje o III Torneio Internacional do Direito, com a participação de cerca de 1 300 jogadores dos escalões de formação, em representação de 24 clubes. Para a organização do torneio, "o objetivo não é ganhar, mas sim participar…e usufruir do convívio e do espírito e valores do râguebi".

Formado por “um grupo de amigos e estudantes da Faculdade de Direito de Lisboa”, no início da década de cinquenta do século passado, foi “o primeiro clube de râguebi a ter instalações próprias”, que ocupa desde 1995. Desde a fundação oficial, em 14 de outubro de 1952, o GDD conquistou 11 campeonatos nacionais, 11 supertaças, 9 taças de Portugal, e 4 taças ibéricas.

Mais notícias sobre:
Benfica, Desporto