Cultura e Lazer, Urbanismo

História Crítica do Prémio Valmor

02, Março 2019
  • Lançamento do livro "História Crítica do Prémio Valmor"
    Lançamento do livro "História Crítica do Prémio Valmor"

A Sala do Arquivo dos Paços do Concelho encheu-se de público interessado para assistir ao lançamento do livro "História Crítica do Prémio Valmor", de José Manuel Pedreirinho.

Na qualidade de anfitrião deste encontro participado sobretudo por arquitetos, o vereador do pelouro do Urbanismo, Manuel Salgado - ele próprio um arquiteto - salientou a importância da obra agora editada sobre a história de "um prestigiado prémio, que estimula a arquitetura de qualidade". Este prémio, instituído em 1898 e atribuído pela primeira vez em 1902, viria a fundir-se em 1982 com o Prémio Municipal de Arquitetura, resultando no atual Prémio Valmor e Municipal de Arquitetura. Manuel Salgado referiu o "esforço" encetado a partir de 2008 na "atualização da atribuição" do prémio, que estivera longos anos sem ser entregue e sublinhou a parceria existente desde o ano passado com a Trienal de Arquitetura no processo de atribuição do prémio.

Filipe Jorge, o arquiteto responsável pela editora Argumentum, lembrou a vocação desta "editora internacional mas muito focada em Lisboa", cidade a que já dedicou mais de dez títulos, incluindo o que agora se apresentou. Coube ao arquiteto municipal José Silva Carvalho uma minuciosa apresentação desta obra que traça a história do Prémio Valmor, que se inicia com a disposição testamentária do 2º visconde de Valmor, Fausto de Queirós Guedes, deixando dinheiro para distinguir obra de "casa nova ou restauração de edifício velho" que se destaca-se pela sua qualidade, repartindo-se o dinheiro em duas partes iguais pelo arquiteto e proprietário da construção. Para Silva Carvalho, esta obra é de "leitura aliciante, ficando nós a conhecer melhor a cidade".

Encerrando a sessão de apresentação do livro, José Manuel Pedreirinho, autor da obra - e que já anteriormente dedicara dois outros livros sobre o tema, detendo-se na descrição dos edifícios premiados e nos arquitetos que os desenharam - revelou ter preferido desta vez preferido traçar uma análise dos aspectos críticos da história do prémio, que é também "uma análise da arquitetura de Lisboa", deixando os enunciados tipológicos e cronológicos que constam das listagens publicadas no site da CML em favor de uma "história mais global".

O livro "História Crítica do Prémio Valmor", editado pela editora Argumentum, é profusamente ilustrado, de capa dura, tem 176 páginas e um preço de venda ao público de 30 euros. Está também disponível uma versão em inglês.

O Prémio Valmor foi instituído por disposição testamentária do 2º visconde de Valmor, Fausto de Queirós Guedes, em 1898, sendo atribuído a primeira vez em 1902 ao Palácio Lima Meyer, na Avenida da Liberdade, construído no ano anterior sob traço do arquiteto Nicola Bigaglia. Ao longo dos seus 116 anos de existência, distinguiu a generalidade das grandes obras de arquitetura na cidade e respetivos autores e proprietários.

Mais notícias sobre:
Cultura e Lazer, Urbanismo