acontece-munícipe, Cultura e Lazer

Histórias de casas e de quem lá viveu – Cadernos do Arquivo Municipal

30, Novembro 2016
O lançamento do número seis dos Cadernos do Arquivo Municipal decorre em 6 de dezembro, às 19h00 na Sociedade de Geografia de Lisboa. Histórias de casas e de quem lá viveu é o tema desta edição.

O Arquivo Municipal de Lisboa lança em 6 de dezembro, às 19h00 na Sociedade de Geografia de Lisboa, o sexto número da 2.ª série dos Cadernos do Arquivo Municipal, revista científica com arbitragem por pares que conta nesta edição com a coordenação de Raquel Henriques da Silva, professora na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade NOVA de Lisboa e coordenadora científica do Mestrado em Museologia nesta Universidade. 

Este número dos Cadernos do Arquivo Municipal é dedicado ao tema Histórias de casas e de quem lá vive(u). Os artigos aprovados para publicação abrangem um leque variado de temas desde a sociologia histórica, arquitetura, património, história da arte e história patrimonial.

Os textos publicados são:
 
- A Casa Max Abecassis (1925-1932). Uma possibilidade moderna de continuidade na arquitetura doméstica de Raul Lino
Paulo Alexandre Alves Barroso Manta Pereira

- Aqui foi a “Floresta egípcia”. Vivências e moradores das casas nobres Cruz Alagoa na antiga rua Direita da Fábrica das Sedas, depois rua da Escola Politécnica, em Lisboa (1757-1967)
João de Figueiroa-Rego

- Habitar no coletivo: um prédio de apartamentos “futurista”, na Lisboa de 1930
Maria Helena Barreiros

- A Casa da Comenda de Raul Lino: de torre medieval a residência de veraneio
Isabel Maria Duarte Espada Pratas Sousa de Macedo

Pátios e vilas de Marvila e Beato: modos de vida de um movimento antigo
Margarida Reis e Silva

- A Casa do Largo de S. Mamede. Um projeto dos irmãos Rebelo de Andrade
Luís Soares Carneiro

________ 

Segue-se a secção da Documenta que divulga documentos à guarda do Arquivo Municipal de Lisboa. A revista contempla ainda duas secções: a Recensão com “ATALLAH, Claudia C. Azeredo - Da justiça em nome d’El Rey, justiça, ouvidores e inconfidência no centro-sul da América portuguesa. Rio de Janeiro: Editora da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, 2016”, de José Subtil e a Varia onde se apresenta o artigo sobre "Um equívoco com história: o palácio Melo e Castro da rua Formosa, denominado de "Bichinho de Conta", de Hélder Carita.