Cultura e Lazer, Município

Homenagem a Sarmento de Matos - o Historiador que preferia ser Olisipógrafo

22, Janeiro 2019
José Sarmento de Matos foi hoje homenageado em Lisboa. Obra completa do olisipógrafo vai ser reeditada.
  • Homenagem de Lisboa a José Sarmento de Matos
    Homenagem de Lisboa a José Sarmento de Matos
  • Homenagem de Lisboa a José Sarmento de Matos
    Homenagem de Lisboa a José Sarmento de Matos
  • Homenagem de Lisboa a José Sarmento de Matos
    Homenagem de Lisboa a José Sarmento de Matos
  • Homenagem de Lisboa a José Sarmento de Matos
    Homenagem de Lisboa a José Sarmento de Matos

Uma Casa em Lisboa é a homenagem que o Museu de Lisboa presta durante todo o dia a José Sarmento de Matos. Uma data que não foi escolhida ao acaso. Hoje, dia 22 de janeiro, celebra-se o Dia de São Vicente, padroeiro da cidade a quem o historiador dedicou a sua vida.

Na sessão de abertura, o presidente da Câmara Municipal de Lisboa anunciou a reedição de todas as obras de José Sarmento de Matos "num formato capaz de chegar às novas gerações". Para Fernando Medina, esta é "a melhor forma de homenagem que a cidade poderá fazer a alguém que contou a história da cidade, envolvendo-se nela".

Historiador e Olisipógrafo

Sarmento de Matos – falecido a 28 de outubro de 2018 –, dedicou a maior parte da sua vida ao estudo de Lisboa. Em 2017, recebeu a Medalha de Mérito Municipal.

Os seus estudos sobre o desenvolvimento histórico e urbanístico da cidade levaram-no, ao longo dos anos, a publicar vários livros sobre a cidade, mas já não conseguiu concluir "A Invenção de Lisboa", a sua obra maior, em vários volumes. É considerada um dos mais belos retratos vivido e humano da cidade.

Em 2017, numa entrevista ao jornal Expresso, revelou ter "muitos estudos feitos que ainda não foram publicados. Espero que um dia mais tarde, quando eu desaparecer, alguém pegue nesses estudos todos e faça alguma coisa com eles".

Sarmento de Matos, integrou a equipa que traçou os primeiros esboços da Expo 98. Deixa uma marca na toponímia da freguesia, tendo sido responsável pela escolha de várias dezenas de nomes que viriam a figurar nas ruas do Parque das Nações.

 

Mais notícias sobre:
Cultura e Lazer, Município