Ambiente

Hospital Júlio de Matos abre seus jardins ao público

19, Julho 2013
  • Isabel Paixão e José Sá Fernandes
    Isabel Paixão e José Sá Fernandes
  • Isabel Paixão
    Isabel Paixão
  • Hospital Júlio de Matos abre seus jardins ao público
    Hospital Júlio de Matos abre seus jardins ao público
  • José Sá Fernandes
    José Sá Fernandes
  • Hospital Júlio de Matos abre seus jardins ao público
    Hospital Júlio de Matos abre seus jardins ao público
  • Hospital Júlio de Matos
    Hospital Júlio de Matos

Teve lugar, dia 19 de julho, no edifício do conselho de administração do Centro Hospitalar Psiquiátrico de Lisboa (CHPL), a assinatura de um protocolo que visa a abertura ao público dos jardins do CHPL, vulgarmente conhecido como Hospital Júlio de Matos.

Assinaram este protocolo o vereador do Ambiente e Espaços Verdes da Câmara Municipal de Lisboa, José Sá Fernandes, e a presidente do conselho de administração do Centro Hospitalar Psiquiátrico de Lisboa, Isabel Paixão. 

Isabel Paixão explicou o passado histórico do hospital e como ele promovia a separação entre os doentes psiquiátricos e a sociedade. Com o passar dos anos, o hospital foi-se abrindo à comunidade promovendo regularmente um conjunto de eventos culturais como forma de convívio e integração dos utentes, colaboradores e da própria comunidade no geral.

“A assinatura deste protocolo significa mais um passo que queremos dar de uma maior e melhor utilização do espaço que utilizamos diariamente e que é de todos. Insere-se numa lógica de partilha e parceria e representa também uma colaboração já iniciada com a câmara e que desejamos que perdure”, diz a presidente do CHPL.

José Sá Fernandes mostrou-se bastante satisfeito com a possibilidade dos jardins do Hospital Júlio de Matos estarem abertos ao público, acrescentando que “é preciso coragem” para que isso aconteça já que outras instituições ainda não o aceitaram fazer. “Este protocolo significa uma valorização para a cidade e para o hospital e  também, para temos unidos aqui, atividades que sejam benéficas para todos”, refere o vereador.   

O protocolo promove o livre acesso a pé ou de bicicleta ao campus, respeitando os horários entre as 7 horas e a uma da manha, sete dias por semana, organização conjunta de visitas e eventos aos espaços verdes e ainda a disponibilização por parte da câmara de apoio técnico às atividades fitossanitárias do hospital e a toda a problemática de armazenamento e recolha de resíduos.

O  espaço é uma importante área de equipamentos integrada numa zona verde da cidade de Lisboa, parte integrante do denominado corredor verde do arco interior. Ao permitir a circulação e o atravessamento de peões e bicicletas, vai encurtar a ligação entre o Parque Oeste e a Quinta das Conchas e outros espaços verdes como a Mata de Alvalade e o Campo Grande, através do eixo central da Alta do Lumiar.

Array
Mais notícias sobre:
Ambiente