Cultura e Lazer, Município

Igreja de São Cristóvão inicia recuperação do telhado e fachadas

04, Junho 2018
O arranque da obra, que contou com o apoio de mais de duas mil pessoas que deram a sua assinatura teve lugar esta 2ª feira, dia 4 de junho.A recuperação do telhado e fachadas durará seis meses e terá um custo de cerca 140 mil euros.
  • Igreja de São Cristóvão inicia recuperação do telhado e fachadas graças a 'crowdfunding'
    Igreja de São Cristóvão inicia recuperação do telhado e fachadas graças a 'crowdfunding'

A reparação do telhado é a primeira fase do projeto de reabilitação da Igreja de São Cristóvão, que o presidente da Câmara Municipal de Lisboa considera que ser uma igreja emblemática da nossa cidade.

Fernando Medina garantiu  que a autarquia "fará em seu papel e terá todo o gosto e apoiar esta iniciativa pioneira que nos inspirou em fazer a recuperação de outros espaços de culto da cidade, como o Convento da Graça, a antiga Casa dos 24 ou a a Igreja de Campolide".

" São locais da nossa história e da nossa cultura e espaçoS de reunião das comunidades", explicou o presidente da autarquia que, confessou, ter um carinho especial pelas igrejas desta zona da cidade, porque, diz, "Lisboa nasceu nesta colina". 

Fernando Medina assinou simbolicamente uma das telhas que vão fazer parte da recuperação do telhado.

Depois de vencer a edição de 2014 do Orçamento Participativo de Lisboa e de ter integrado a lista do Programa Watch da World Monuments Fund, organização internacional que tem como objetivo principal a preservação dos monumentos culturais no mundo, e que, em 2015, considerou a igreja de São Cristóvão como "um dos mais belos monumentos em risco e que merecem ser recuperados", começa agora uma recuperação orçada em um milhão de euros.

A paróquia está à procura de mecenas que “adotem” as 36 telas do século XVII da autoria de  Bento Coelho da Silveira, cujo restauro está avaliado em 350 mil euros, e o conserto de todos os altares de madeira em talha dourada, estimado em de 200 mil euros.

O arranque das obras reuniu os vários intervenientes que, ao longo dos anos, trabalharam para juntar a verba que permite, agora, o início das obras de restauro. Entre eles as várias associações da Mouraria e alguns dos artistas que fizeram parte da exposição de arte contemporânea que teve lugar na igreja em 2016.

Edgar Clara, pároco da Igreja, explicou a história do projeto de recuperação e o que levou ao processo de "crowfounding". Com uma nota de humor e, dirigindo-se a Fernando Medina, pediu "umas migalhinhas" numa alusão a uma passagem da bíblica que dedicou ao presidente da Câmara de Lisboa. 

A cerimónia prosseguiu com uma visita à capela dos arcebispos (que sofreu obras no âmbito do Orçamento Participativo), às três obras deixadas pelo Prémio Pessoa, Rui Chafes, fruto da exposição “Não te faltará a distância”, e com descerramento da placa alusiva ao início da obra.

Arte por São Cristóvão

Lançado em abril de 2015, o projeto "Arte por São Cristóvão" tem organizado várias ações para promover e divulgar o património da igreja de São Cristóvão.

Durante o mês de junho, têm início as Visitas em Obra que são abertas a todos os que quiserem visitar os trabalhos em curso e falar com os técnicos responsáveis.

Ao longo dos próximos meses, a igreja de São Cristóvão irá ainda promover visitas guiadas à Mouraria Cristã, jantares culturais e outros eventos que têm como objetivo angariar apoios para a recuperação do monumento do século XVII. Entre eles destaca-se Arte em Obra, uma iniciativa que convida artistas a pintarem nos andaimes a vida de São Cristóvão e o lançamento de uma monografia sobre a Igreja. 

Mais informação

Array
Mais notícias sobre:
Cultura e Lazer, Município