Alcantara, Ambiente

Jardim Avelar Brotero devolvido à cidade

18, Janeiro 2017
O Jardim Avelar Brotero, no Alto de Santo Amaro, em Alcântara, reabriu hoje, após obras de requalificação.
  • Jardim Avelar Brotero devolvido à cidade
    Jardim Avelar Brotero devolvido à cidade

Fernando Medina, presidente da Câmara Municipal de Lisboa, e José Sá Fernandes, vereador da Estrutura Verde, estiveram presentes na reabertura do jardim, obra que contou "com a participação, iniciativa e ajuda" da população local, como salientou Davide Amado, presidente da Junta de Freguesia de Alcântara.

"Mais um", observou Sá Fernandes, referindo a recuperação de mais um espaço verde da cidade, numa freguesia que "tem sido esquecida durante muitos anos". Nos últimos anos, disse, "ela tem sido alvo de uma grande atenção da Câmara". Para o futuro, revelou, fica o "sonho" deste jardim como "zona central de cruzamento, de ligação a outros sítios ótimos de Alcântara", nomeadamente a ligação à Capelinha do Alto de Santo Amaro, "um trajeto lindíssimo".

A requalificação do espaço, resulta de uma "promessa" feita a Davide Amado, adiantou o presidente da câmara. "É uma grande alegria dar-vos este espaço, que é vosso, que vos estava subtraído", disse Medina, dirigindo-se às muitas pessoas que encheram o espaço do jardim, apesar da tarde fria.

Estamos a fazer em Alcântara, disse ainda, "um grande esforço para dar a esta freguesia aquilo que ela não teve durante tantos anos". Um novo hospital, que vai nascer na zona baixa da freguesia, o começo das obras dos Largos de Alcântara e do Calvário - "um dos projetos mais bonitos do programa Uma Praça em cada Bairro" - são alguns dos projetos hoje anunciados pelo autarca.

Considerada "premente", pela Câmara Municipal de Lisboa, dado o "estado de degradação em que se encontrava", a obra quer terminar com "a utilização problemática por uma camada marginal da população". Com as obras, agora terminadas, a autarquia "devolve o jardim à população", de Alcântara, e da cidade, dotando-o de "novos equipamentos e usos destinados aos vários estratos etários da população".

Atenta à preservação e recuperação da estrutura original do jardim, os trabalhos consistiram em: pavimentação dos percursos e áreas pedonais; implantação de novos equipamentos na praça central – recreio infantil (faixa etária dos 1 aos 12 anos) e quiosque com esplanada - e recuperação do tanque existente; recuperação do mobiliário existente (bancos, bebedouro) e implantação de novos modelos (bancos, papeleiras); remoção das palmeiras doentes e outros exemplares em mau estado vegetativo e plantação de novas árvores, de forma a reconstituir a imagem pré-existente; renovação total das áreas verdes, com instalação de relvados  e plantação de manchas arbustivas e herbáceas.

O jardim, construído no início do século XX, deve o seu nome a Félix de Avelar, que nasceu em Santo António do Tojal a 25 de novembro de 1744, adotando posteriormente o apelido "Brotero", que significa "amante dos mortais". Apesar de ser licenciado em medicina, pela Universidade de Reims, foi a botânica que o notabilizou, com a publicação do seu "Compêndio Botânico" em 1788, em Paris. Foi diretor do Real Museu e do Jardim Botânico da Ajuda, lente da Universidade de Coimbra e deputado.

Array
Mais notícias sobre:
Alcantara, Ambiente