Misericordia, Município, Urbanismo

Largo do Conde Barão vai mudar

12, Abril 2018
Com uma área superior a cinco mil metros quadrados, a intervenção, no âmbito do programa Uma Praça em cada Bairro, prevê atrair mais e melhor comércio para a zona, melhor iluminação, melhor circulação e acessibilidade, cargas e descargas melhor ordenadas, mais árvores e requalificar edifícios degradados.

No âmbito do Programa municipal “Uma Praça em Cada Bairro”, foi apresentado à população, no dia 12 de abril, o projeto de alteração para o Largo do Conde Barão. A sessão contou com técnicos da autarquia e a presidente da Junta de Freguesia da Misericórdia, Carla Madeira.

Com uma área de intervenção aproximada de 5.240 metros quadrados, o Largo do Conde Barão está genericamente circunscrito a norte pela frente edificada descendente da encosta da Bica, centrada nos seus três Palácios contíguos – Palácio do Conde-Barão de Alvito, Palácio Almada Carvalhais e Palácio Alarcão – e a sul pela frente edificada plana do aterro da Boavista; no espaço “alargado” que surge entre os eixos bem definidos da Calçada Marquês de Abrantes, vinda da Madragoa, e da rua da Boavista, vinda do Cais do Sodré.

A intervenção abrange todo o espaço público do Largo, bem delimitado pelas suas densas frentes edificadas norte/sul, fronteiro aos Palácios, complementado na envolvente a nascente e a poente pelo último quarteirão da Rua da Boavista, a partir do seu alargamento após o Beco Francisco André, e pelo primeiro quarteirão da Calçada Marquês de Abrantes, terminando na Av. Dom Carlos I, no sentido de vinda do centro da cidade, como espaços de transição entre estes eixos distribuidores e o espaço do Largo propriamente dito.

Encontra-se igualmente contemplada nesta intervenção a requalificação e reconversão funcional da totalidade da Travessa do Cais do Tojo, bem como dos segmentos finais da Travessa dos Pescadores e da rua da Silva, na sua interseção respetivamente à Calçada Marquês de Abrantes e ao Largo do Conde Barão, por forma a unificar o espaço público de toda a “Praça” do Conde Barão.

A voz dos cidadãos

Atrair mais e melhor comércio para a zona, melhor iluminação, melhor circulação e acessibilidade, cargas e descargas melhor ordenadas, mais árvores, requalificar edifícios degradados, são alguns exemplos das muitas sugestões deixadas pelos moradores, num processo que a autarquia implementou online.

Com esta forma de participação, dando voz aos cidadãos, pretendeu-se obter uma avaliação sobre diversas questões pertinentes na vivência do espaço público, com implicações tanto na concretização do desenho urbano, como na definição de prioridades de requalificação, o que permitiu um diagnóstico da situação existente e partir para a definição das prioridades de intervenção a integrar nos projetos de reabilitação que vão mostrar um novo e renovado Largo do Conde Barão.

Mais notícias sobre:
Misericordia, Município, Urbanismo