Cultura e Lazer

Largo José Saramago

10, Dezembro 2018

Ao longo dos tempos o largo em frente à casa dos Bicos foi ganhando o nome de Campo das Cebolas por contaminação do terreiro a poente que tinha essa mesma e primeira designação. Foi sendo sucessivamente local de paragem de elétricos, estação de camionagem, parque de estacionamento, etc. Recentemente reconheceu uma nova valorização enquanto espaço verde e de lazer devolvido à cidade, tendo o estacionamento se tornado subterrâneo. Hoje, dia 10 de dezembro, volvidos 20 anos sobre o dia em que José Saramago recebeu da Academia Sueca o Prémio Nobel da Literatura, a cidade ganhou uma nova praça com o nome do escritor português que nos deixou obras que passaram a marcar a nossa identidade. 

Após o descerramento da placa que batiza o novo largo diante da Fundação José Saramago, a desta presidente instituição, Pilar del Rio, agradeceu à CML a concretização deste pedido que imortaliza o nome de Saramago e que era um desejo há muito acalentado. “Hoje é um dia em que se celebra a memória, mas sobretudo a vida ao homenagear José Saramago e o seu legado à cultura mundial”. 

Fernando Medina afirmou ser esta uma homenagem justa onde a figura de Saramago passa a integrar a cidade onde viveu, tornando-se presente numa zona central da cidade na proximidade do rio que tantas vezes descreveu nas suas obras. “É também uma forma de afirmar a atualidade de Saramago nos nossos dias. Cada um de nós tem um Saramago inscrito na sua identidade. Na minha foi a impressão que me deixou Levantado do Chão, o primeiro livro que li dele. Para outras pessoas será a História do Cerco de Lisboa, ou O Memorial do Convento. Saramago está nas nossas vidas e em cada um em particular na forma como se relacionou com ele, ajudou-nos a todos a crescer”. 

Muitos foram os convidados que fizeram deste momento de homenagem um momento de reencontro e de partilha em torno de um dos nomes maiores da cultura portuguesa e do mundo. 

Mais notícias sobre:
Cultura e Lazer