Ambiente

Lisboa assinala Dia da Terra

22, Abril 2016
A Câmara Municipal de Lisboa assinalou o Dia Mundial da Terra, 22 de abril, na Estufa Fria de Lisboa com o lançamento de dois livros sobre a flora deste espaço e com uma exposição subordinada ao tema “ Ver o presente”, que pretende levar as pessoas a refletir sobre os recursos do Planeta.
  • Lisboa assinala Dia da Terra na Estufa Fria
    Lisboa assinala Dia da Terra na Estufa Fria

No âmbito do Dia Mundial da Terra, instituído a 22 de abril de 1970, e que revela a crescente sensibilidade ambiental, nomeadamente com os limites dos recursos naturais do planeta, a contaminação dos solos e a conservação da biodiversidade, a autarquia preparou um vasto programa - “Semana da Terra” entre 22 de abril e 1 de maio em Lisboa. Esta iniciativa visa promover o debate em torno das questões ambientais e da sustentabilidade e dar a conhecer alguns dos projectos da cidade nesta área.

Nesse sentido, teve lugar na Estufa Quente da Estufa Fria, com a presença do vereador da Estrutura Verde e Energia, José Sá Fernandes e de várias individualidades, a apresentação dos dois mais recentes livros da Professora Maria Lisete Caixinhas, estudiosa da Estufa Fria –“Flora da Estufa Quente de Lisboa – Monocotiledóneas” e “Flora da Estufa Quente de Lisboa Ptéridofitos e Dicotiledóneas”. A apresentação esteve a cargo do antigo diretor do Jardim Botânico da Universidade de Lisboa, Professor Fernando Catarino.

“É uma maravilha trabalhar aqui. Fascina-me o exotismo das plantas, como esta por exemplo, a planta do camarão, que floresce nesta época”, diz-nos a investigadora Lisete, de 73 anos de idade, bióloga, agrónoma, há 54 anos a trabalhar no Instituto de Agronomia, e desde 1972 a estudar apaixonadamente a flora da EF, enquanto nos aconselha a ter em nossas casas a planta jiboia verde que absorve os poluentes atmosféricos. Tudo a pensar no Planeta.

Sá Fernandes enalteceu o trabalho da investigadora e salientou:” Terminar o Dia da Terra aqui na Estufa Quente com a ternura das histórias da Professora Lisete e do Professor Catarino é uma honra. A Estufa Fria pretende é um grande orgulho para a cidade de Lisboa”, concluiu.

Seguiu-se a inauguração da exposição “Ver o presente” que estará patente até dia 31 de julho no Centro de Interpretação da Estufa Fria em que os visitantes são convidados e desafiados a refletir, através de gráficos tridimensionais, com dados desde 1960 até à atualidade, na forma como estamos a consumir os recursos do Planeta.

Com início no dia 23 de abril e ao longo da semana estão previstas visitas guiadas à Estufa Fria, ao Corredor Verde de Monsanto, à Quinta Pedagógica dos Olivais e à Quinta do Zé Pinto, onde haverá atividades gratuitas, mediante inscrição prévia para grupos e famílias.

A Semana da Terra encerra com o Festival EarthFest que se realiza no Parque Florestal de Monsanto nos dias 30 de abril e 1 de maio, em co-organização com a Fareduca e com o apoio de vários parceiros da área da sensibilização e educação ambiental. O programa contempla um amplo conjunto de actividades, desde teatro, exposições, yoga ou conferências, em torno de temas ligados à sustentabilidade.

Para mais informações consulte http://earthfest2016.blogspot.pt/ .

Uma semana para pensar o Planeta.

Array
Mais notícias sobre:
Ambiente