Visitar

Lisboa é o destino de eleição dos passageiros de cruzeiros

05, Fevereiro 2018
Um inquérito a passageiros de cruzeiro divulgado pelo Observatório do Turismo de Lisboa coloca a idade no topo das preferências dos passageiros de cruzeiro, maioritariamente britânicos.

A capital portuguesa está no top dos destinos a visitar pelos passageiros de cruzeiro, maioritariamente casais britânicos, atraídos pelos monumentos, igrejas, museus e clima, e que preferem as zonas de Belém, Bairro Alto, Cais do Sodré, Baixa-Chiado. Os dados são do Inquérito a Passageiros de Cruzeiro do Observatório do Turismo de Lisboa que revela ainda a recomendação de Lisboa como destino turístico e ponto de passagem de cruzeiro por 100 por cento dos inquiridos.

O estudo realizado pelo Observatório do Turismo de Lisboa, em conjunto com a Administração do Porto de Lisboa, observou que em 2017 a maioria dos passageiros de cruzeiro é de nacionalidade britânica (40,5 por cento). Já os espanhóis, que ocupam o segundo lugar, registaram a maior subida de passageiros (22,1 por cento) comparativamente a 2016 (11,3 por cento). O terceiro lugar vai para a nacionalidade alemã, que representa 12,9 por cento dos passageiros (10,6 por cento no ano anterior). 

O número de passageiros que já tinha visitado Lisboa subiu em larga escala (88,9 por cento), em comparação com 2016 onde apenas 49 por cento conhecia a capital portuguesa. A esmagadora maioria, 97,7 por cento considera provável ou muito provável regressar a Lisboa em lazer ou fora do contexto de cruzeiro. 

Para explorar a cidade, os passageiros elegeram a zona ribeirinha de Belém, Bairro Alto, Cais do Sodré e Baixa-Chiado como as favoritas. Em 2016, o top 3 das rotas de eleição incluía a zona de Alfama, Castelo e Mouraria, que em 2017 passou para quarto lugar, seguida pelo Parque das Nações.  

Para as pessoas entrevistadas, a principal motivação para fazer um cruzeiro é o entretenimento (94,2 por cento), embora muitas ainda procurem este tipo de viagens para criar amizades (36,3 por cento) ou para estar em contacto com o mar (21,4 por cento).

Para 84,4 por cento dos inquiridos, a fonte de informação privilegiada para a recolha de informação sobre o cruzeiro é a agência de viagens (41,3 por cento em 2016), quando anteriormente eram os familiares e amigos.

Quando comparado com o ano anterior, os dados revelam que há menos passageiros (6,1 por cento) a viajar apenas com amigos (12,8 por cento em 2016) e mais (44,8 por cento) a viajar apenas em casal (28,1 por cento em 2016). A esmagadora maioria viaja acompanhado (98,3 por cento).

Em 2017, os passageiros dos cruzeiros mostraram-se mais satisfeitos com os serviços do Porto de Lisboa, atribuindo uma avaliação de 8,33 numa escala de 1 a 10 à qualidade dos serviços do Porto (8 em 2016).

No que toca às despesas efetuadas na viagem, os passageiros tiveram em média uma despesa individual de 49,31 euros durante a sua passagem por Lisboa, sendo a maioria registada por compras (42,4 por cento) e alimentação (22,5 por cento).

O estudo teve como base uma amostra de 49 navios que fizeram escala em Lisboa, entre os meses de abril e novembro de 2017, tendo sido entrevistados um total 1003 passageiros.

Fonte: Associação Turismo de Lisboa (ATL)

Mais notícias sobre:
Visitar