Belem, Cultura e Lazer, Município

Lisboa está em Festa(s)

31, Maio 2015
  • Abertura Festas Lisboa 2015 (Torre Belém 500 anos)
    Abertura Festas Lisboa 2015 (Torre Belém 500 anos)

O Tejo e a Torre de Belém foram, dia 30 de maio, o palco para a abertura das Festas da Cidade com um espetáculo transdisciplinar de música, teatro e projeções multimédia. Fernando Medina, presidente da Câmara de Lisboa e Catarina Vaz Pinto, vereadora da Cultura assistiram a este momento único e deslumbrante, que juntou milhares de pessoas.

Quinhentos teve a assinatura do italiano Renzo Barsotti e mobilizou, durante cerca de hora e meia, a Companhia Ilotopie, a Banda da Armada, os Djs BeatBombers, o Coro Infanto-juvenil da Universidade Lisboa e o atelier OCubo para um deslumbrante espetáculo de luz, cor e som que deu as boas vindas às Festas de Lisboa, assinalando ao mesmo tempo os 500 anos da construção da Torre de Belém e o 40.º aniversário das independências dos países africanos colonizados por Portugal.

Ao som da Banda da Armada vários atores foram recriando a história de Portugal desde os Descobrimentos, no século XV, até aos dias de hoje, passando por momentos como a Restauração da Independência, o Terramoto de 1755, a Revolução Industrial, o Estado Novo e a Revolução de Abril de 1974.

Ao mesmo tempo, na fachada da Torre de Belém eram projetadas imagens multimédia de seis obras de arte recriadas pelo Atelier OCUBO, como os “Painéis S. Vicente” de Nuno Gonçalves,  “7.ª Página d’A Berlinda” de Rafael Bordalo Pinheiro, “Domingo Lisboeta” de Almada Negreiros e “25 de Abril de 1974”, de Hein Semke.

No final, muito aplaudido, o Coro Infanto-juvenil da Universidade Lisboa deslumbrou a assistência terminando com o tema Acordai do maestro Lopes Graça, uma chamada de atenção para a defesa do património e um apelo “à colocação do ser humano no centro de todos os nossos interesses”, explicou Renzo Barsotti.  

 

Durante todo o mês de junho a cidade está em festa e a empresa municipal EGEAC preparou um extenso e variado programa que “convida a refletir sobre o passado, como forma de projetar o futuro.“

Dos arraiais populares ao teatro ou ao fado, da música mais erudita ao desporto, atividades para a pequenada ou à gastronomia, as Festas prometem. Não faltam, claro, os Casamentos de Santo António, as Marchas e.. a bela e saborosa Sardinha!