Investir

Lisboa quer ser ponto de partida de cruzeiros

04, Maio 2016
Lisboa quer tornar-se um destino de partida de cruzeiros. A notícia foi avançada por Fernando Medina no congresso “Crescer com o consumidor”, organizado pela Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição, que teve como palco o Museu do Oriente nos dias 3 e 4 de maio.

Ao segundo dia, o turismo foi “cabeça de cartaz” de uma iniciativa que já vai na sua quinta edição. 

O presidente da Câmara Municipal de Lisboa foi um dos principais intervenientes num painel com o tema: Cidades e turismo: retalho um ativo turístico. Fernando Medina teve como parceiros de debate, o presidente do Turismo de Portugal, Luís Araújo, o vice-presidente da TAP, Luís Mór, e o diretor da Global Blue Portugal, Renato Lira Leite, numa conversa moderada Ricardo Costa diretor geral de Informação do grupo Impresa.

O presidente da cidade onde o turismo mais cresceu em Portugal, começou por revelar os números desse crescimento: em 2015, o Aeroporto de Lisboa ultrapassou os 20 milhões de passageiros, com uma subida de 10,7% face a 2014 e as dormidas na cidade atingiram aos 10 milhões/ano. As vendas a estrangeiros em Lisboa rondam os 3 mil e 500 milhões/ ano, valores superiores a todo o setor nacional do calçado.

Um crescimento que não assusta Fernando Medina, “o que estamos a fazer é enfrentar os desafios do crescimento do turismo numa lógica positiva e nunca defensivamente.”

Para o autarca há que gerir em equilíbrio os sinais verdes que as receitas do turismo trazem à cidade, para investimento na reabilitação ou na qualificação do espaço publico, por exemplo, com os “sinais amarelos” acautelando e gerindo localmente fatores tensão como o ruído ou a circulação os veículos de transporte turístico mas acima de tudo “nunca esquecendo que é preciso continuar a assegurar a qualidade de vida de quem cá vive”, rematou Medina.

“ Uma cidade para ser boa para o turista tem que ser boa para o morador”

Na mesma linha de raciocínio o vice presidente da TAP diz que Lisboa está no bom caminho para se tornar uma cidade mais humanizada e amiga do cidadão, elogiando o trabalho feito pela autarquia em devolver o espaço publico aos lisboetas.

No final da conversa e questionado sobre o caminho a seguir o presidente da CML  avançou que o investimento no novo terminal de cruzeiros em Santa Apolónia tem como principal objetivo tornar Lisboa, não só um ponto de paragem mas um porto de partida de cruzeiros, “é cada vez mais possível que isso venha a acontecer”, revelou Medina.

As previsões apontam que o turismo de cruzeiros na capital duplique para um milhão de passageiros nos próximo três anos.

No final,  o presidente da Câmara Municipal de Lisboa teve ainda tempo para cumprimentar Paul Krugman, vencedor do prémio Nobel da Economia em 2008, que conhece bem a realidade portuguesa e uma das figuras deste congresso, que contou ainda com a presença da Ministra da Presidência e da Modernização Administrativa, Maria Manuel Marques.

Coube a Manuel Caldeira Cabral, Ministro da Economia, o encerramento do congresso onde as tendências, o futuro do sector, as melhores formas de responder à era digital, a sustentabilidade, os desafios geoestratégicos e o papel do turismo foram os eixos principais do debate.

Array
Mais notícias sobre:
Investir