Investir, Município

Lisboa tem um novo terminal de cruzeiros

10, Novembro 2017
Inaugurou hoje, dia 10 de novembro, o novo terminal de cruzeiros de Lisboa da autoria do arquitecto João Luís Carrilho da Graça, uma estrutura fundamental para a cidade que vem dar resposta à crescente procura de Lisboa enquanto destino turístico de cruzeiros de lazer. Lisboa está preparada para acolher mais de 2 milhões de visitantes por ano no novo terminal.

A cerimónia contou com a presença do primeiro-ministro, António Costa, acompanhado pela Ministra do Mar, Ana Paula Vitorino e pelo Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina. Estiveram também presentes o CEO da Global Ports Holding, Emre Sayin, do presidente da Lisbon Cruise Terminals, Luís Miguel Sousa e a presidente do Porto de Lisboa, Lídia Sequeira, o os vereadores Manuel Salgado, Duarte Cordeiro e Catarina Vaz Pinto, entre muitas outras entidades.

O ato inaugural iniciou-se com um descerramento de placa seguindo-se uma visita pelas instalações do novo terminal, em particular salientando a vista extraordinária que se avista do topo do edifício. 

Na parte dos discursos, Emre Sayin deixou uma palavra de agradecimento pela colaboração das autoridades portuguesas na concretização deste projeto prometendo a chegada e a qualidade de melhor serviço a muitos passageiros de cruzeiros até Lisboa. 

Luís Miguel Sousa referindo o investimento de 24 milhões de euros na concretização do projeto que irá permitir um aumento das operações da industria de cruzeiro a partir já deste ano, agradeceu ainda a todos os parceiros envolvidos e com uma palavra especial a António Costa.

Fernando Medina disse ser hoje um dia grande para a cidade de Lisboa,salientando duas razões. A primeira prendendo-se com o crescimento do turismo na cidade relacionando com o reforço da economia da região que daí decorre, permitindo mudar o papel de Lisboa no turismo nacional. A segunda razão é a concretização da ambição de requalificação da zona ribeirinha da cidade de Lisboa, que irá a continuar até à zona da Expo. Esta obra é um passo em frente, e integra-se numa velha ambição, concretizada com grande determinação e gosto, de modo a permitir um continuo de mobilidade suave entre Belém e a Expo. O presidente da CML deixou uma palavra de agradecimento a Carrilho da Graça pela capacidade de construir um edifício que não choca e se integra na vista da cidade, mantendo um elevado nível de funcionalidade. "Este edifício vale por si e tira partido extraordinário da vista de Alfama", concluiu. 

Ana Paula Vitorino lembrou ter-lhe cabido a tomada de decisão de construção deste projeto, dizendo ser este um dia muito feliz pessoalmente, por ver o "sonho concretizado". Agradecendo o papel de António Costa, enquanto presidente da CML, na defesa que tomou deste projeto, deixou uma palavra também a Carrilho da Graça "pelo brilhantismo da sua proposta", deixando em permanência o testemunho da capacidade da arquitectónica portuguesa. Lembrou também que o impacto direto, o ano passado, da industria de cruzeiro foi estimado em 30 milhões de euros. 

A encerrar a cerimónia António Costa referiu que este é um excelente exemplo da continuidade de políticas em investimentos de grande vulto nacionais. Lembrou ainda o caminho que a ideia de trazer para o centro de Lisboa este terminal de cruzeiros deslocando-o de Alcântara foi fazendo e que chega hoje a bom porto. Salientou ainda o peso do turismo afirmando que há ainda potencial de crescimento e que se pode deixar a sua sazonalidade e tornar o país atrativo 350 dias por ano. Referindo-se ao novo edifício, o primeiro ministro destacou a inovação que nele foi integrado sobretudo a capacidade de  integrar novas tecnologias e novos materiais. A terminar salientou ainda a necessidade de revitalizar as zonas interiores do país, tal como foi possível concretizar em Lisboa, também o país pode-se requalificar e revitalizar-se.  

O novo terminal apresenta um cais com uma extensão de cerca de um quilómetro e meio, com capacidade para servir quase 2 milhões de passageiros por ano, e com estacionamento e capacidade para 80 autocarros e outras viaturas turísticas, capaz de operar com diversos cruzeiros ao mesmo tempo.  

Array
Mais notícias sobre:
Investir, Município