Intervenção social, Município

Lisboa traça roteiro no combate à pobreza

03, Julho 2018
Num encontro que juntou profissionais e decisores políticos nos Paços do Concelho, foram abordadas as etapas necessárias a ter em conta em áreas relacionadas com o conhecimento, governança, comunicação e avaliação. Fernando Medina e Ricardo Robles estiveram presentes.

Os Paços do concelho acolheram, em 3 de julho,  o encontro “ 1.º Patamar para o Compromisso- Estratégia Local integrada de combate à pobreza em Lisboa”, com o objetivo de traçar caminhos para o combate à Exclusão. Fernando Medina, presidente da Câmara Municipal de Lisboa, esteve na abertura, o vereador com o pelouro dos Direitos Sociais, Ricardo Robles, marcou o encerramento.

No debate, em que participaram profissionais e decisores políticos, foram abordadas as etapas necessárias a ter em conta em áreas relacionadas com o conhecimento, governança, comunicação e avaliação.

Reforçar parcerias

Fernando Medina salientou a importância deste encontro, que, disse, “vem encaixar peças estratégicas e fundamentais numa dinâmica integrada”. O autarca, que valoriza as parcerias das redes nas reduções de riscos das exclusões, nomeadamente o trabalho com as freguesias, colectividades, organizações, “com todos, para que possamos ter políticas mais justas num país digno e desenvolvido”, afirmou que é preciso apostar na sustentabilidade social “para que possamos ter uma sociedade integrada e forma de reduzir fenómenos de pobreza na cidade”.

Já Ricardo Robles sublinhou o mérito do Observatório, a criação do roteiro e a construção de um compromisso que permita acolher a possibilidade e aproximar a ideia de que é possível erradicar a pobreza na cidade de Lisboa. 

Um objectivo que tem em conta a realidade de Lisboa em todos os parâmetros da vulnerabilidade, afirmou, “que configura uma extensão que transcende o próprio território de cidade e reveste de diversidade todas as áreas inerentes à condição humana, no envelhecimento, nos cuidados primários, no acesso à saúde mental, à educação e mobilidade, na autonomia e capacitação, no acesso ao emprego e tempo lúdico, na inserção cultural e colectiva, o que é mais elementar na vivência e na partilha de cidade.”

A iniciativa, que resulta de um protocolo estabelecido entre a autarquia e a EAPN/Rede Europeia Anti Pobreza, que durante seis meses tem vindo a promover vários debates para a discussão dos passos necessários na construção do Roteiro, contou ainda com a presença do presidente daquela organização, Agostinho Jardim Moreira, da secretária regional da Solidariedade Social do Governo dos Açores, Andreia Costa, mais de meia centena de participantes e muitas outras individualidades.

O Roteiro

A construção deste Roteiro, que pretende ser um mapa da “viagem”, definindo e esclarecendo as diferentes etapas e os passos necessários a alcançar até chegar ao destino – Estratégia Local Integrada Combate Pobreza Lisboa –, é o primeiro patamar para um compromisso que a cidade assume. Também a importância e pertinência de ser uma estratégia integrada, ultrapassando, deste modo, dois dos principais obstáculos no combate à pobreza: a falta de integração e articulação das políticas e dos serviços. Permite a identificação de um modelo de governação que responda a esta necessidade de integração e articulação, para que Lisboa, ao implementar uma Estratégia Local Integrada no Combate à Pobreza, seja o município pioneiro, podendo vir a impulsionar e alavancar o surgimento de outras estratégias locais noutros territórios.

Array
Mais notícias sobre:
Intervenção social, Município