Ambiente

Lisboa vai de viatura clássica ao Caramulo Motorfestival para plantar árvores

31, Agosto 2018
  • Uma Árvore para o Caramulo
    Uma Árvore para o Caramulo

No dia 7 de setembro, às 10h00, uma carrinha Volkwagen “pão de forma”, peça do património histórico do município de Lisboa, sai da Praça do Município em direção ao Caramulo. Viaja por estradas secundárias, transporta duas árvores dos viveiros da autarquia e participará no Caramulo Motorfestival, no dia 9. Duarte Cordeiro, vice-presidente da autarquia, e o vereador da Estrutura Verde e Energia, José Sá Fernandes, estiveram na apresentação da iniciativa “Uma Árvore para o Caramulo”, que decorreu nas oficinas municipais dos Olivais e contou com a participação de Tiago Patrício Gouveia, diretor do Museu do Caramulo.

“Uma ideia muito feliz”, afirmou Duarte Cordeiro, pois Uma Árvore para o Caramulo permite mostrar o cuidado que os serviços da autarquia tem tido com a preservação de várias viaturas históricas, que acabam por contar um pouco a história da cidade, e ao mesmo tempo afirmar a solidariedade da autarquia “com um território do país muito fustigado pelos fogos”.

Os parabéns aos trabalhadores da autarquia foram secundados por José Sá Fernandes, que lembra tratar-se de uma iniciativa que junta os serviços municipais da manutenção e reparação de viaturas com os espaços verdes e a higiene urbana. Lisboa é Capital Verde Europeia 2020 e o vereador sublinha esse galardão para afirmar as diversas vertentes que envolve, dos espaços verdes à energia, do ambiente aos transportes.

Por seu turno Tiago Patrício Gouveia frisou os dois últimos incêndios que assolaram o Caramulo, para afirmar a importância “desta visita” que junta uma entidade pública a uma privada - a autarquia lisboeta e o museu - nesse esforço esforço de preservação daquela serra um esforço. “é importante continuar a falar”, diz, “porque a ação de limpar e de replantar é constante”. O MotorFestival é organizado pela décima vez pelo Museu do Caramulo e o seu diretor afirma que “este será também um dos momentos importantes” do evento.

LxClassicos

O Município de Lisboa possui um conjunto de viaturas históricas que testemunham mais de 100 anos de história dos serviços municipais, algumas com considerável valor de mercado.
São, no total, 17 viaturas, das quais seis estão recuperadas e 11 aguardam reparação, de acordo com a disponibilidade dos serviços. Parte das viaturas têm certificado de património com relevância histórica, atribuído por entidade competente, outras estão a ser sujeitas a novo processo, entre as quais uma viatura pesada.

Entre as viaturas históricas compõem o espólio municipal e integram o projeto museológico “LxClássicos”, destaca-se:

- A Biblioteca Itinerante nº1, uma Citroen HY1500 idêntica às viaturas utilizadas pela Fundação Calouste Gulbenkian para semelhante serviço em todo o território nacional.
- O velocípede Velosolex 3800S do serviço de limpeza urbana- varredura das ruas, munido de sidecar para transporte de contentores realizado nas oficinas municipais.
- O Land Rover 88 Regular de 1980 da Policia Municipal.
- O Mercedes-Benz 300SEL de 1971 da presidência do município.
- O Oldsmobile F-28 de 1928, o Táxi mais antigo conhecido em Lisboa e um dos mais relevantes ícones rodoviários da cidade. Circulou como tal durante cerca de 50 anos com o mesmo proprietário. Participou em diversos filmes e documentários, foi “carro de casamentos” e chegou a transportar três gerações da mesma família. Transportou individualidades como Fernando Pessoa, Pablo Picasso, o fotógrafo alemão Leonore Mau, e o escritor Português Vergílio Ferreira.

Uma Árvore para o Caramulo

A participação no Caramulo Motorfestival alia a vontade de preservar e dinamizar este património histórico do município à disponibilidade solidária da autarquia, do DRMM e dos funcionários que integram o projeto museológico “LxClassicos”, sensibilizados pelo flagelo dos incêndios que devastaram o país no ano passado.
“Uma Árvore Para o Caramulo” é, naturalmente, uma iniciativa simbólica, que transporta a total solidariedade do município de Lisboa para uma das serras que mais têm sido atingidas pelos incêndios e procura, ao mesmo tempo, despertar consciências.
Com partida prevista para a manhã do dia 7 de setembro, na Praça do Município, uma carrinha Volkwagem “pão-de-forma” transportará duas árvore autóctones da Serra do Caramulo (amieiros), numa viagem que é feita por estradas secundárias e com paragens na Aldeia de Amoreira, Torres Novas, Pedrogão Grande e Vila Nova de Poiares, zonas igualmente fustigadas severamente pelos acontecimentos de outubro passado.
As árvores serão plantadas no jardim público da povoação do Caramulo, juntamente com uma placa alusiva.
No domingo, dia 9, a carrinha participa no desfile do Motor Festival e associam-se a esta causa um grupo de funcionários municipais, que se deslocam em autocarro.   



Array
Mais notícias sobre:
Ambiente