Cultura e Lazer, Intervenção social

Lisboa alarga proteção às vítimas de violência doméstica e atribui Prémio Municipal Madalena Barbosa

21, Outubro 2016
O vereador dos Direitos Sociais, João Afonso, assinou no dia 21 de outubro, nos Paços do Concelho de Lisboa três protocolos que visam apoiar vítimas de violência doméstica através de uma bolsa de fogos municipais.Na ocasião foi entregue o Prémio Municipal Madalena Barbosa – quinta edição aos projetos que se distinguiram na promoção e igualdade de género.
  • Lisboa alarga proteção às vítimas de violência doméstica e atribui Prémio Municipal Madalena Barbosa
    Lisboa alarga proteção às vítimas de violência doméstica e atribui Prémio Municipal Madalena Barbosa

A cerimónia, que decorreu na Sala do Arquivo da CML, contou com a presença da Secretária de Estado para a Cidadania e Igualdade, Catarina Marcelino, da presidente da Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género - CIG, Teresa Fragoso, representantes de organizações, além de outras individualidades.

A Câmara Municipal de Lisboa, na sua contínua preocupação em contribuir para a prevenção e combate à violência doméstica, bem como apoiar a proteção das suas vítimas, criou em 2012 uma bolsa de 12 fogos municipais, de caráter transitório, para apoiar o seu processo de autonomização no momento de saída das casas de abrigo. Neste sentido, foram estabelecidos protocolos de colaboração com a Associação Portuguesa de Apoio à Vítima – APAV e com a Associação de Mulheres Contra a Violência- AMCV, organizações especializadas no apoio a este público-alvo.

Revelando-se a avaliação do projeto da bolsa de fogos extremamente positiva, a autarquia procedeu, em 2016, à ampliação da bolsa de 12 para 18 fogos, onde se inclui, como parceira, a União de Mulheres Alternativa e Resposta - UMAR, organização reconhecida e ativa nesta área de apoio e que manifestou também interesse em integrar a bolsa, em condições análogas às anteriores referidas associações.


Prémio municipal Madalena Barbosa- Quinta edição

O prémio municipal Madalena Barbosa- PMMB, instituído pelo Município de Lisboa e pela Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género (CIG), pretende distinguir, aquelas e aqueles que, tendo como exemplo Madalena Barbosa (cofundadora do Movimento de Libertação das Mulheres e de todos os movimentos feministas que se lhe seguiram, ficou reconhecida pelos seus estudos que estiveram na base de medidas legislativas da igualdade do género na sociedade portuguesa, como os direitos humanos, o trabalho, a pobreza, a saúde e a sexualidade) se distinguiram em Lisboa com projetos/ações com o objetivo de promover a igualdade de oportunidades entre géneros.
Na sua quinta edição, o PMMB foi atribuído em ex aequo aos seguintes projetos:
Centro Maria Alzira Lemos- Casa das Associações. Um projeto promovido pela Plataforma Portuguesa para os Direitos das Mulheres- Associação (PpDM) que pretende ser uma “casa” de associações que intervêm na área dos direitos humanos das mulheres e na promoção da igualdade de género.
E “Crescer +Igual”, um projeto promovido pela Questão de Igualdade – Associação para a Inovação Social, implementado no concelho de Lisboa, e que teve como destinatários/as professores/as, pais, mães e alunos do 3.º ciclo do ensino básico.

Além de um prémio pecuniário, as duas organizações receberam uma serigrafia da autoria do artista plástico Rui Pereira pelas mãos de Catarina Marcelino e de João Afonso.

Catarina Marcelino emocionou-se ao falar de Madalena Barbosa, já falecida e que foi sua amiga“ uma grande lutadora que continua a manter presente na vida de outros a sua luta pela igualdade” e agradeceu à autarquia por ser “ um parceiro tão ativo no apoio e no combate à violência”.

Para João Afonso “hoje foram dois momentos muito importantes para a cidade que antecipam as comemorações do Dia Municipal da Igualdade, que se celebra em 24 de outubro, por todo o país e que a Câmara Municipal de Lisboa, para assinalar a efeméride, vai promover com várias atividades.”

Array
Mais notícias sobre:
Cultura e Lazer, Intervenção social