Cultura e Lazer, Município

Maior desfile militar de sempre leva milhares à Avenida da Liberdade

04, Novembro 2018
Foi o maior desfile militar de sempre em Portugal, e teve lugar hoje, dia 4 de novembro, em Lisboa.As comemorações do centenário do Armistício da 1ª Grande Guerra levaram à Avenida de Liberdade mais de 4500 militares numa cerimónia que pretendeu homenagear a paz e honrar a memória de todos os que lutaram e morreram por Portugal.
  • Maior desfile militar de sempre leva milhares à Avenida da Liberdade
    Maior desfile militar de sempre leva milhares à Avenida da Liberdade

A iniciativa, organizada pelo Estado-Maior-General das Forças Armadas (EMGFA) e pela Liga dos Combatentes contou com o apoio da Câmara Municipal de Lisboa e com a presença, na tribuna, de Fernando Medina.

Ao longo da Avenida milhares de pessoas assistiram ao desfile.

Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República e Comandante Supremo das Forças Armadas, presidiu à cerimónia e invocou os que “combateram pela compreensão contra o ódio”, defendendo uma “Europa aberta contra uma Europa fechada”.

"Não toleraremos que se repita a sangrenta divisão da Europa. Não toleraremos que se repita o perder-se a paz ganha com tantas mortes às mortes de aventureiros criadores de novas guerras”, disse.

O chefe do Estado defendeu que “hoje mais do que nunca” é necessário “afirmar os valores” que identificam Portugal “como nação na relação fraterna com as nações aliadas e amigas”, o primeiro dos quais “é a dignidade da pessoa humana”.

Marcelo Rebelo de Sousa condecorou os três ramos das Forças Armadas com a Ordem Militar de Torre e Espada.

A cerimónia realizou-se uma semana antes das comemorações oficiais em França, a 11 de novembro.

Os números da cerimónia

Pela Avenida da liberdade desfilaram 3.437 militares das Forças Armadas, 390 militares da GNR, 390 polícias da PSP, 160 antigos combatentes, 80 militares de forças estrangeiras [Alemanha, Estados Unidos da América, França e Reino Unido], e 180 alunos do Colégio Militar e dos Pupilos do Exército.

A cerimónia contou ainda com 111 viaturas e motos das forças de segurança, 86 cavalos e 78 viaturas das Forças Armadas.

Durante o momento de homenagem aos mortos, formação de F-16 sobrevoou a Avenida da Liberdade, assim como diversas aeronaves da Marinha e Força Aérea .

No Tejo estiveram fundeados uma fragata e um navio de patrulha oceânico.

Portugal participou na Grande Guerra com cerca de cem mil homens ao lado dos aliados, enviando para a frente ocidental o Corpo Expedicionário Português, em 1917.

Os soldados portugueses estiveram também presentes na frente de Angola, em 1914-1915, em Moçambique, entre 1914 e 1918, e em França, em 1917 e 1918.

Mais notícias sobre:
Cultura e Lazer, Município