Intervenção social, Misericordia, Município

Misericórdia de Lisboa apresenta “RADAR”, um projeto comunitário pioneiro em Portugal

17, Setembro 2018
Protocolo do projeto RADAR, da Santa Casa da Misericórdia, em colaboração com a Câmara de Lisboa e mais quatro entidades apresentado hoje. Este projeto consiste em identificar as necessidades de pessoas com mais de 65 anos em Lisboa.
  • Misericórdia de Lisboa apresenta o “RADAR”, um projeto comunitário pioneiro em Portugal
    Misericórdia de Lisboa apresenta o “RADAR”, um projeto comunitário pioneiro em Portugal

A Santa Casa da Misericórdia de Lisboa (SCML) assinou, esta segunda-feira, o protocolo de colaboração do “RADAR”; um projeto da economia social que consiste em sinalizar a população da cidade com mais de 65 anos e identificar as suas necessidades, de modo a detetar precocemente situações de risco e agilizar uma intervenção ajustada a cada situação.

Este projeto é pioneiro em Portugal, uma vez que funciona em rede com várias entidades: SCML, Câmara Municipal de Lisboa (CML), Instituto da Segurança Social (ISS), Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARS – LVT), Polícia de Segurança Pública (PSP), Comissões Sociais de Freguesia (CSF) e Juntas de Freguesia.

Para o provedor da SCML, o programa RADAR tem como objetivo identificar todas as pessoas com mais de 65 anos que vivem sozinhas na cidade para que com isso, “possamos não apenas sinalizar problemas que possam existir e intervirmos, mas fundamentalmente conhecermos bem a cidade e podermos garantir a cada uma das pessoas, segurança na forma como vive a sua vida, segurança na forma como vive a sua autonomia e sobretudo a certeza de que há uma rede de serviços e instituições a apoiar”, sublinhou Edmundo Martinho.

Na apresentação do projeto “RADAR”, que decorreu no Convento de São Pedro de Alcântara, em Lisboa, Fernando Medina explicou o funcionamento do programa que “pretende sinalizar os idosos que vivem isolados e para isso mobilizará toda a rede social, através da PSP, dos Bombeiros, das Juntas de Freguesia, e para cada um irá definir-se um programa de acompanhamento. Poderá passar por obras de reabilitação se for necessário, pelo apoio domiciliário no fornecimento da alimentação e do apoio médico ao domicílio ou até pelo encaminhamento para uma resposta de institucionalização, se tal for necessário".

A cerimónia contou ainda com a presença da diretora do ISS do Centro Distrital de Lisboa, Isabel Saldida; do presidente do Conselho diretivo do ARS-LVT, Luís Pisco; e da superintendente do Comando Metropolitano PSP de Lisboa, Virgínia Cruz.


Projeto RADAR

Gerar condições para a promoção e prolongamento da vida autónoma da população com mais de 65 anos; constituir “radares” de base comunitária, ou seja, uma comunidade mais solidária e sensível às questões intergeracionais, atenta aos riscos e às necessidades desta população; estabelecer um registo base estimado em 30 mil pessoas que vivem sozinhas; conceber um protocolo de sinalização único com a Rede Social de Lisboa; centralizar numa plataforma tecnológica toda a informação sobre a população destas faixas etárias; e criar um mecanismo de parcerias entre trabalho comunitário e as instituições no âmbito do envelhecimento ativo, são alguns dos objetivos deste projeto.

O “RADAR” é inspirado no programa com o mesmo nome existente em Barcelona, e faz parte do Programa “Lisboa, Cidade de Todas as Idades”, assinado entre a SCML e a CML em fevereiro deste ano, que tem como intuito diminuir o isolamento social dos idosos que vivem em Lisboa (e que constituem um quarto da população da cidade).

Saiba mais sobre o projeto aqui.

Array
Mais notícias sobre:
Intervenção social, Misericordia, Município