Cultura e Lazer, Município

ModaLisboa 50

08, Março 2018
A MODALISBOA N.50 representa o atingir das 50 edições da Lisbon Fashion Week, com apresentação das coleções outono / inverno 2018/19, no Pavilhão Carlos Lopes, nos dias 8, 9, 10 e 11 de março.
  • Fast Talks marcam o arranque da ModaLisboa 50
    Fast Talks marcam o arranque da ModaLisboa 50

 

Fast Talks

As “Fast Talks” marcaram, no dia 8 de março, na Estufa-fria, o arranque da edição 50 da ModaLisboa.

É uma das várias iniciativas abertas à cidade e que procurou refletir sobre os desafios que se colocam à comunicação da moda contemporânea.

Coube, como habitualmente à Vereadora da Cultura da Câmara Municipal de Lisboa, entidade que coorganiza o evento, dar as boas vindas a mais uma edição da ModaLisboa, edição 50.

Catarina Vaz Pinto lembrou os 27 anos de presença da ModaLisboa na cidade, uma iniciativa que " leva nome de Lisboa pelo mundo e um elemento catalizador nesta área cultural".

Eduarda Abbondanza, presidente da Associação ModaLisboa avançou que esta será uma edição marcada "pelas saudades do futuro", agradecendo o apoio do "parceiro de uma vida, a Câmara Municipal de Lisboa". 

O debate “sobre os desafios que se colocam à comunicação de moda contemporânea”, foi moderado pela criativa Joana Barrios, e contou com a participação da escritora parisiense Haydée Touitou, da ‘fashion stylist’ norte-americana Olive Duran, do escritor e curador britânico Paul Gorman e da apresentadora portuguesa Raquel Strada.

Um tema que de, acordo com a organização, está na ordem do dia em que  novos desafios e linguagens surgem como resposta a uma alteração profunda no paradigma dos meios de comunicação social e onde a moda não é exceção.

Nesta edição e à semelhança de edições anteriores, além das ‘Fast Talks’, estão abertos ao público o ‘Wonder Room’ [uma ‘pop-up store’ (loja temporária)], a ‘Work Station’, exposição de fotografia que vai sendo construída ao longo dos dias da ModaLisboa, a exposição de calçado "Portuguese Shoes by APICCAPS" e o "‘Showcase ModaPortugal", uma mostra de moda de autor e indústria.

Há ainda o ModaLisboa Resort, uma zona exterior do Pavilhão Carlos Lopes com food trucks e muita animação que a funcionar durante os três dias de ModaLisboa, entre as 13h00 e as 23h00.


Sangue Novo / Primeiros desfiles

Os desfiles começaram na sexta-feira, ao final do dia, no Pavilhão Carlos Lopes, com a apresentação das propostas dos participantes do concurso Sangue Novo, que se dividiram entre a Estufa-Fria e o Pavilhão Carlos Lopes. O presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, foi um dos que assistiram a este que é um dos momentos mais inovadores do evento, acompanhado pela diretora da Moda Lisboa, Eduarda Abbondanza.

O Sangue Novo contou com as ousadas propostas de Filipe Augusto (Prémio Moda Lisboa), Rita Sá (Prémio FashionClash e Menção Honrosa Prémio MLx), Federico Protto (Menção Honrosa Prémio MLx), Inês Nunes do Valle (Prémio The Feeting Room), Federico Cina, Isidro Paiva, Opiar e N'a Pas de Quoi empolgaram o público entusiasta dos jovens criadores.

Seguiram-se os desfiles de Carolina Machado, Duarte Lab, Aleksandar Protic e Morecco Lab, numa noite em que, apesar do mau tempo, o ambiente foi pleno de calor criativo e surpresa artística.

ModaLisboa 50 - Dia 2 

A homenagem ao guitarrista dos Xutos e Pontapés, Zé Pedro, marcou o desfile do estilista Nuno Gama que encerrou este sábado, 10 de março, o segundo dia de desfiles da ModaLisboa.

Ao som do “Homem do Leme”, os manequins desfilaram uma colecção construída entre os coordenados clássicos e desportivos, de tons azuis, roxo, bege com apontamentos de cor e reinterpretando a tradicional capa de honra mirandesa.

O muito publico que lotou a sala do Pavilhão Carlos Lopes pode ainda assistir a uma invasão de caretos de Podence, personagens enigmáticas do carnaval da região de Trás-os-Montes e Alto Douro.

“Under Your Skin”, foi nome da coleção que Luís Carvalho trouxe para a ModaLisboa.

Silhuetas retas e oversized, com casacos de pelo a fazerem de vestido assim como conjugações de preto e roxo e fatos clássicos marcaram esta viagem do estilista pelos anos 60.

Já Ricardo Preto apresentou Self-Possession”, uma colecção para o próximo outono-inverno que aposta em linhas clássicas e simultaneamente modernas.

Tempo anda para a apresentação das propostas de Patrick de Pádua,Valentim Quaresma, Imauve, de Inês Oliveira, e Gonçalo Peixoto que tomaram conta da passerelle do Pavilhão Carlos Lopes.

A tarde deste segundo dia de Moda Lisboa começou na Estufa –Fria com o desfile do coletivo Awaytomars.


Último Dia

O derradeiro dia de desfiles começou com a apresentação dos últimos trabalhos de Olga Noronha Lab e de David Ferreira Lab, intercalados com um happening no Wonder Room por Cristina Real.

Seguiram-se os desfiles das coleções de estilistas consagrados, já com presença habitual na Moda Lisboa: Filipe Faísca, com uma coleção inspirada na candura do "sexto sentido"; a conjugação de materiais e cores da imaginação de Kolovrat; o rigor experimental de Ricardo Andrez; e o derradeiro desfile do sempre aplaudido Dino Alves, em ambiente já nostálgico pelo fim desta edição, já na expectativa da próxima. 

Mais notícias sobre:
Cultura e Lazer, Município