Município

Na Minha Rua Lx: mais poder nas mãos dos lisboetas

16, Junho 2017
A partir de agora é mais fácil reportar um problema em Lisboa, pelo smartphone ou na internet. A nova app permite comunicar com rapidez problemas em área como a higiene urbana, passeios, arruamentos, espaços verdes, habitação, equipamentos culturais, ou outros, e acompanhar o desenvolvimento do processo. “Uma aplicação verdadeiramente democrática”, diz Fernando Medina.

Foi apresentada em 16 de junho, nos Paços do Concelho, a nova app para o portal Na Minha Rua Lx, uma aplicação disponível para os sistemas Adroid e iOS que permite a comunicação mais rápida e eficaz de diversos problemas na cidade – dos espaços verdes ou arruamentos aos equipamentos culturais, higiene urbana ou habitação. “A manutenção da cidade é um grande desafio e nós assumimo-lo”, afirmou Fernando Medina, que considera tratar-se de uma aplicação “que vai mudar a forma como as pessoas se relacionam com a cidade”. 

Após a Reforma Administrativa de Lisboa e de várias mudanças levadas a cabo nos serviços municipais, incluindo a aquisição de novos equipamentos e recrutamento de trabalhadores, “este é o momento certo de avançar com esta plataforma para uma cidade mais amiga”, disse o vice-presidente da autarquia, Duarte Cordeiro, que explicou o funcionamento da app, perante uma plateia que integrava alunos da Escola Básica Parque Silva Porto. 

Mais perto do munícipes

O funcionamento é simples e intuitivo. Após ser descarregada a aplicação, é apresentado um menu que permite ao utilizador reportar ocorrências, fazer o acompanhamento das ocorrências que já reportou e conhecer as que estão em curso, bem como aceder a dados estatísticos. Para além de uma breve descrição, a nova ocorrência pode ser comunicada com fotografia do local e será imediatamente georreferenciada. O utilizador ficará de imediato a saber qual serviço responsável, ou, sendo o caso, a junta de freguesia. 

“Uma nova realidade nas relações do cidadão com a autarquia”, sublinha Duarte Cordeiro, “um grande projeto para a cidade de Lisboa, adianta Fernando Medina. Na sessão esteve também o vereador com o pelouro dos Sistemas de Informação, Jorge Máximo, que salienta tratar-se de “mais um passo no vasto processo de transformação tecnológica” em curso na cidade, lembrando que a aplicação resulta do desenvolvimento da plataforma  municipal “na minha Rua”, que recebeu um prémio em 2014 e já permitia reportar diversas ocorrências. 

O candeeiro com a lâmpada fundida durante meses a fio, os passeios estreitos com carros estacionados, a calçada por arranjar durante semanas, os grafittis ou os vidros partidos são alguns exemplos que o presidente da Câmara adianta para a utilidade desta aplicação. “Uma imensidão de pequenos problemas que constituem um grande desafio”, diz, para sublinhar que desta forma “damos às pessoas uma forma de utilização do seu poder e esse é um dos melhores contributos que podíamos dar para a melhoria da cidade.”

Trata-se, adianta, de um projeto de transformação da forma como os munícipes se relacionam com a câmara e a juntas de freguesia, “uma aplicação verdadeiramente democrática” que foi inteiramente desenvolvida pelos serviços municipais e “permite resolver uma lacuna que tínhamos na cidade”. 

Ao mesmo tempo que acarreta mais responsabilidade para os serviços envolvidos, da higiene urbana à proteção civil ou aos jardins, e para mostrar as suas implicações estiveram estacionadas frente aos Paços do Concelho diversas viaturas. Que o grupo de alunos da Escola Básica Parque Silva Porto visitou, podendo mesmo experimentar como são prestados alguns serviços, como o arranjo das calçadas atualmente a cargo das Brigadas Lx.  

Array
Mais notícias sobre:
Município