Alvalade, Ambiente, Areeiro

Nasceu um novo Parque Verde na cidade

21, Março 2018
Chama-se Parque Urbano do Vale da Montanha, tem 11 hectares e está localizado nas traseiras da Avenida Gago Coutinho.

Inaugurado pelo presidente da Câmara Municipal de Lisboa no Dia da Árvore, onde antes havia um espaço abandonado e degradado, surge agora um novo espaço verde requalificado - o Parque Urbano do Vale da Montanha.

São 11 hectares de verde (o equivalente a 11 campos de futebol), à disposição dos lisboetas com percursos pedonais e clicáveis, um parque infantil e um quiosque.

O primeiro dia da vida do Parque Urbano do Vale da Montanha foi marcado pela presença de cerca de 120 crianças do Agrupamento de Escolas D. Dinis que, com Fernando Medina, ajudaram a tornar o espaço ainda mais verde.

Como forma de assinar o Dia da árvore e conquista para Lisboa de mais uma área de lazer foram plantadas cerca de 30 espécies autocnes entre elas choupos, alfarrobeiras, pinheiros mansos, freixos e salgueiros.

Depois de conhecer o espaço, acompanhado pelo Vereador do Ambiente, Estrutura Verde, Clima e Energia, José Sá Fernandes, o Presidente da Câmara Municipal de Lisboa destacou a "grande importância mais 11 hectares devolvidos à cidade e que vai permitir ligar outros espaços verdes da cidade. Estamos a consolidar a zona verde para a fruição de todos os lisboetas!" Um projeto que, garante Fernando Medina" vai continuar até ao rio numa área total de mais de 150 hectares só nesta zona da cidade."

Um parque "desenhado de forma ambientalmente sustentável" e que vai mudar a vida e a forma como esta zona da cidade vai ser vivida"concluiu Medina.

O dia de hoje é assim o culminar de um processo iniciado pela Câmara Municipal de Lisboa na Primavera de 2015, na sequência da deliberação de reabilitação de toda a área da Quinta da Montanha pela Câmara Municipal de Lisboa.

Um parque que, diz José Sá Fernandes," é tudo aquilo que de deve fazer num país do sul da Europa em termos ambientais e de combate às alterações climáticas e que, acima de tudo, liga bairros e une pessoas. Este é um parque construído pelos lisboetas, que ajudaram na plantação das árvores, e para os lisboetas.

O Parque Urbano do Vale da Montanha

Nesta primeira fase, o parque estende-se entre a Avenida Marechal António Spínola e a ponte ciclo pedonal que liga a Bela Vista ao Casal Vistoso e proporciona uma nova ligação entre o Bairro do Armador, as Olaias e as Avenidas Novas formando um contínuo com o Parque da Bela Vista. No seu interior a rede de percursos pedonais e clicáveis, duas praças, parque infantil e quiosque são algumas das estruturas que contribuem para a diversificação de usos deste espaço.

A intervenção no local, uma das linhas de água mais importantes de Lisboa e para onde esteve prevista uma urbanização, envolveu a deposição e movimentação de grandes quantidades de terras com vista à plantação de árvores e arbustos, instalação de prados e relvados e, através da modelação do terreno, à diminuição do impacto sonoro e visual das Avenidas Marechal António Spínola e Estados Unidos da América para os utilizadores do parque.

Tal como no Parque da Bela Vista, no Parque Urbano do Vale da Montanha as soluções adotadas passam pelo recurso ao prado bio diverso de sequeiro e a espécies arbóreas adaptadas às características do solo e clima desta zona, aumentando a sua resistência e reduzindo as necessidades de manutenção, nomeadamente de rega.

Também a nível da drenagem a opção pelo escoamento à superfície ou em vala cega, restituindo o circuito hidrológico próprio de um vale, contribui para promover a retenção de águas e a sua infiltração através de soluções naturais. Opções que refletem a estratégia municipal que passa pela implementação de espaços verdes de elevada qualidade e baixos custos de manutenção representando por isso um ganho ambiental e financeiro.

2ª fase com início “em breve”

O Parque Urbano do Vale da Montanha, cuja segunda fase irá iniciar-se em breve, insere-se no programa de expansão do Corredor Verde Oriental, que no seu conjunto terá uma extensão de cerca de 150 hectares, assegurando a ligação do Areeiro à zona ribeirinha, em Marvila.

Array
Mais notícias sobre:
Alvalade, Ambiente, Areeiro